Actividades agrícolas e outras em Julho

Depois da leitura deste artigo, vai ficar a conhecer todas as tarefas agrícolas e outras que pode e deve desenvolver durante o mês de Julho

Na horta

As regas são de grande importância neste período, e devem ser efectuadas à tarde e de acordo com as necessidades das plantas.

Semear: acelgas, agriões, alface de Outono e Inverno, beldroegas, brócolos tardios, cenouras, chicória, couve-de-bruxelas, couve-nabo, couve-flor tardia, ervilhas, feijão (de trepar e anão), nabo, rabanetes, repolho de Inverno, salsa.

No pomar

Continuar com a defesa contra o pedrado das macieiras, nespereiras e pereiras.

Continuar o combate à formiga em todas as fruteiras e ao bichado das macieiras e pereiras.

Vigiar os enxertos feitos anteriormente, procedendo, sempre que necessário, a esladroamentos.

Regar e manter limpos de ervas, por sachas superficiais, os pomares de espinhos.

No campo

Ainda se pulverizam com caldas cúpricas os batatais mais atrasados, a fim de evitar ataques de míldio, tão prejudiciais ao desenvolvimento e conservação dos tubérculos.

Mês de Julho é o mês da ceifa e da debulha, como principal actividade.

Imediatamente à colheita, os canteiros devem ser lavrados, preparando-os para as plantas de Outono.

Terminar a colheita da batata temporã e começar ou acabar a destinada a semente; sachar e regar os meloais, milharais, roçar matos para estrume.

No jardim

Às roseiras cortam-se as rosas murchas, que desfeiam e enfraquecem as plantas.

Aparar, sachar e mondar as relvas, as quais precisam de ser regadas abundantemente (2 ou 3 vezes por dia).

Semear: amores-perfeitos, calêndulas, cinerárias, etc., bem como as plantas bienais e vivazes de demorada germinação, para serem transplantadas e dispostas no Outono.

Na vinha

Ainda se fazem enxofras e sulfatadas, efectuadas consoante as necessidades.

Se além do calor próprio da época também caírem chuviscos, ou houver névoas, as curas repetem-se amiudadas vezes. Desfolhar em volta dos cachos, não deixar que estes fiquem expostos à incidência directa dos raios solares.

Empar os bardos nas ramadas ou latadas, não cortar as pontas das varas para não comprometer a actividade das videiras.

Na adega

Iniciar a preparação dos equipamentos e produtos indispensáveis às próximas vindimas e ao fabrico do vinho.

Atestar o vinho e arejar a adega, mas evitando a entrada da luz solar.

Animais

Tosquiar os rebanhos laníferos.

Atenção à higiene nas pocilgas.

Nos olivais

Para conveniente pegamento das oliveiras, regue-as durante três anos após a plantação. A primeira rega deve ser abundante. Se possível, regue as oliveiras destinadas à produção de azeitona de conserva.

Prossiga o combate à mosca da azeitona e à traça, se necessário.

Nas matas

Deve evitar o perigo de incêndios. Prossiga a recolha de gema ou resina dos pinheiros.

Nos currais

Evite a entrada de moscas nos estábulos. Mude, pouco a pouco, o regime alimentar do gado. Prossiga a cobrição de cabras e ovelhas.

Nos apiários

Continue com a extracção do mel, de modo especial nas regiões norte e centro. A subida da temperatura ambiente aconselha a que se prossiga no arejamento das colmeias e na colocação de recipientes com água.

 

Obras de JULHO

conforme Paládio, in “Lunário Perpétuo”, de 1901

No crescente da Lua de Julho se costuma plantar nabos, cenouras, cebolas e mostarda. É muito bom cobrir as cepas, para que não as queime o Sol e cortar a grama da terra, a qual não torna a crescer como em outro tempo.

No minguante é muito proveitoso segar o trigo, para que melhor se guarde e conserve; e o mesmo se fará às amêndoas.

Se neste mês se ouvirem os primeiros trovões, denota carestia de pão, e abundância de frutas onde eles se ouvirem.