Actividades no apiário ao longo do ano

Um apiário é um conjunto de colmeias, nas quais se faz criação de abelhas.

A apicultura é a criação de abelhas essencialmente para a produção de mel e de cera. É uma atividade muito antiga, e as suas origens encontram-se já na pré-história. São conhecidos os desenhos descobertos em caverna, mostrando o homem primitivo colhendo o mel de um enxame. A Bíblia também faz inúmeras referências ao mel e enxame de abelhas. A abelha é o único insecto que foi domesticado pelo ser humano.

Aqui vão ser fornecidas informações básicas sobre as actividades que deve desenvolver, ao longo do ano, no seu apiário particular.

Janeiro

É absolutamente necessário que as abelhas passem o Inverno bem protegidas dos rigores da estação e tenham provisões em abundância.

Aproveite o período de repouso para mudar as colmeias ou cortiços para lugares com melhor exposição.

Fevereiro

Dum modo geral, as obreiras iniciam por toda a parte a faina da colheita, pelo que se deve dedicar muita atenção à vida do comeal.

Faltando mel ou pólen, temos de fornecer quaisquer dos substitutos que são: xarope de açúcar, farinhas de centeio e leguminosas comestíveis.

Março

Nas regiões do Norte, continue os trabalhos recomendados para os meses anteriores. No Sul, deve recolher já enxames para povoamento de novas colmeias.

Inspeccione, todas as semanas, as colmeias ou cortiços para verificar a presença da rainha, o andamento das posturas e a quantidade de provisões existentes.

A água não deve faltar e devem ser instalados recipientes que a possam oferecer.

Combata a tinha ou a traça da cera nas colmeias atacadas.

Abril

Na generalidade das regiões Centro e Sul é neste mês que normalmente se procede à apanha dos enxames.

São trabalhos muito importantes desta época a colocação de melários, a passagem de colmeias fixas (cortiços) para colmeias móveis.

Também se pode iniciar a criação de mestras.

Maio

No Norte do país execute as tarefas sugeridas no mês anterior para as regiões do Centro e do Sul.

A cresta só deve efectuar-se quando se verificar que as abelhas transportam mais néctar e que o armazenado se encontra tapado.

Ao realizar a operação, guarde alguns favos de mel nessas condições para dar às abelhas, que dele necessitem, durante o próximo Inverno.

A cera, proveniente da desoperculação, bem como os favos velhos, devem ser purificados para com eles se fazerem novas lâminas de cera moldada, para os quadros a utilizar na Primavera do ano que vem.

Junho

No sul, terminam geralmente nesta quadra os trabalhos de extracção do mel, que começam no norte e centro do país.

Nesta altura do ano, sendo já elevada a temperatura ambiente, devem distribuir-se pelo apiário alguns recipientes com água e pequenas boias de cortiça que permitam às abelhas pousar nelas para matarem a sede.

É também conveniente proporcionar maior arejamento a todos os enxames que forem encontrados a “fazer a barba”, isto é, a mostrarem sofrer de excesso de valor.

Julho

Continue com a extracção do mel, de modo especial nas regiões norte e centro. A subida da temperatura ambiente aconselha a que se prossiga no arejamento das colmeias e na colocação de recipientes com água.

Agosto

Com o tempo quente, assegure o necessário arejamento às colmeias muito povoadas para evitar que as abelhas saiam para se defenderem do calor. Para isso, coloque-lhes alças vazias ou levante-lhes os corpos sobre calços metidos no estrado. Mantenha os bebedouros perto das colmeias.

Setembro

Quando o ano corre de feição, é costume, nalgumas regiões, proceder-se, por esta altura, a uma segunda extracção do mel. É quase sempre um mel de qualidade inferior e em pequena quantidade que melhor será deixá-lo às abelhas que, na Primavera, o devolverão de melhor qualidade.

Outubro

Defenda as colmeias contra a traça. Alimente-as com xarope de açúcar concentrado, se não houver quadros de mel.

Nos apiários infectados, continue os tratamentos de Outono contra a acariose.

Coloque jornais ou esteiras de palha sobre as pranchetas que cobrem o corpo das colmeias. Nas regiões de clima agreste.

Novembro

A partir deste mês, o repouso deve ser absoluto. No entanto, é preciso verificar, de vez em quando, se as colmeias expostas ao tempo não vão metendo chuva. Se necessário, deve colocar calços ou ripas sob os pés traseiros da colmeia por forma a conseguir uma inclinação que permita o escoamento das águas infiltradas.

Deve, igualmente, assegurar a alimentação artificial das colónias fracas.

Dezembro

Continue a ter os cuidados recomendados.

Aproveite a ápoca de repouso para a preparação do terreno onde plantar árvores, arbustos e outras plantas melíferas, escolhendo as espécies que floresçam nas épocas de pólen na flora local.