Actividades no campo ao longo do ano

 

Quando falamos em campo, em termos agrícolas, estamos a falar, essencialmente de uma parcela de terreno, sem edifícios, localizada fora da zona urbana, e que se destina exclusivamente à agricultura, podendo ter uma zona de cultivo e/ou de pastoreio. É certo que para este tipo de actividade agrícola é necessário um espaço de dimensões bastante maiores do que as necessárias para uma horta. No entanto, o resultado pode ser muito gratificante. Saiba o que tem a fazer e como, ao logo do ano, se decidir cultivar produtos agrícolas num campo.

Janeiro

Janeiro é o mês das lavouras da terra. Preparação de todas as culturas do Inverno e das terras para batatal (iniciando-se, onde for possível, a plantação da batata precoce).

Para evitar quaisquer possibilidades de alagamento ou encharcamento dos campos, deve manter-se em estado de eficiência a rede de drenagem de terrenos.

Fevereiro

Prosseguimento da preparação das terras – lavouras, gradagens, adubações, estrumações, etc. – destinadas às culturas da Primavera.

Sacha ou monda nos ervilhais e favais; exterminar as ervas daninhas dos prados ou dos lameiros.

Sementeiras de cereais de Inverno e Primavera – aveia, centeio, cevada e trigo.

Março

Concluir a preparação das terras para as próximas sementeiras e plantações, incorporando os fertilizantes e os correctivos mais convenientes.

Semear: arroz, aveia, centeio, cevada, milho temporão, trigo tremês, legumes e forragens.

Abril

Proceder à preparação dos campos ou terras destinadas às próximas sementeiras.

Para aceleração das ervas daninhas devem-se lavrar e gradar as terras de pousio.

Maio

Sacham-se os campos de milho e os batatais, assim como as sementeiras e plantações de gi­rassol, feijão e soja.

Iniciar a colheita da fava.

Semear: cânhamo, feijão, milho, pensos para o gado, trigos, etc.

Plantar: açafrão, arroz, batata, beterraba, couve-galega, melancia, melão, pimento e tomate.

Pulverizar batatais e tomates com caldas cúpricas, para evitar o aparecimento do míldio.

Defender os feijoais e os meloais contra o piolho.

Mondar e sachar trigo de Primavera.

Junho

Concluir a sementeira do feijão e do milho, e a plantação da batata nas terras fundas.

Sachar batatais e milheirais, fazendo já a amontoa da batata e do milho do sequeiro.

Sulfatar batatais e tomatais com caldas cúpricas ou de fungicidas orgânicas de síntese.

Arrancar a batata plantada em Fevereiro/Março, depois de principiar o amarelecimento da rama, e os tubérculos arrancados devem ficar espalhados por algum tempo sobre a terra para enxugarem bem e, só depois, serão conduzidos para lugar fresco, ventilado e que receba pouca luz.

Terminar a colheita da ervilha, favas e grãos.

Julho

Ainda se pulverizam com caldas cúpricas os batatais mais atrasados, a fim de evitar ataques de míldio, tão prejudiciais ao desenvolvimento e conservação dos tubérculos.

Mês da ceifa e da debulha, como principal actividade agrícola no campo.

Imediatamente à colheita, os canteiros devem ser lavrados preparando-os para as plantas de Outono.

Terminar a colheita da batata temporã e começar ou acabar a destinada a semente.

Sachar e regar os meloais, milharais, roçar matos para estrume.

Agosto

Continuam os trabalhos indicados para Julho, cavando e sachando frequentemente as hortaliças e regando, quando é possível, abundantemente antes das sementeiras e das transplantações.

Recolha de muitas sementes, que deverão ser bem seleccionadas para evitar as hibridações.

Em estufa podem semear-se ervilhas e feijão, para abrigar as plantas após os primeiros gelos.

Sachar e regar as áreas a milho.

Mondar os arrozais.

Setembro

Prosseguem as lavouras de alqueiva e deslavre, iniciando-se as gradagens das terras para as sementeiras outono-invernais.

Fazem-se as últimas limpezas nas valas do campo e abrem-se frenos naqueles locais onde se costumem verificar excessos de água durante o Inverno e a Primavera. Estes trabalhos são indispensáveis, pois não é possível cultivar terrenos demasiado húmidos, visto a humidade em excesso ser tão grande ou mesmo maior inimiga das plantas do que a seca.

Enterram-se os estrumes destinados às próximas sementeiras sachadas.

Outubro

Terminar as colheitas que não puderam ser concluídas em Setembro: batata, feijão, milho, etc.

Concluir a preparação das terras para as sementeiras Outono – Inverno.

Semear favas e ervilhas.

Novembro

Proceder à abertura de valas, regos ou outras obras, que se considerem vantajosas para evitar a estagnação da água das chuvas.

Continuar a sementeira dos cereais de pragana (aveia, centeio, cevada, trigo) e de legumes (ervilha, fava).

Plantar batatas, nas áreas secas.

Dezembro

Continuar as lavras, incorporação de estrumes e correctivos, e proceder a outras actividades relacionadas com a preparação das terras para as sementeiras da Primavera.

Semeiam-se os últimos trigos de Inverno.