Actividades no pomar ao longo do ano

 

Se tiver disponível um espaço para plantar variadas árvores de fruto, não hesite e avance para a criação do seu próprio pomar, no qual, nas épocas apropriadas, poderá apanhar frutos saborosos e que são essenciais numa alimentação saudável. Comer fruta sabe sempre bem e faz ainda melhor, pelo quem não hesite em ser o produtor das frutas que come em família. Saiba o que fazer e como fazer, ao longo do ano, para ter o seu próprio pomar.

Janeiro

Plantar árvores de fruto; cavar os pomares de modo a não ofender as raízes. Arrancar as árvores decrépitas e pouco produtivas, e substituí-las por outras de boa qualidade e sãs; limpar e raspar os troncos e pernadas principais das árvores fruteiras dos musgos e líquenes. Enxertia de garfo nas amendoeiras.

Fevereiro

Iniciar o tratamento das macieiras, pereiras e pessegueiros contra as cochonilhas, ovos de insectos e de ácaros e formas hibernantes de pedrado; pulverização com calda bordalesa nas nespereiras (contra o pedrado), nos pessegueiros (contra o crivado e a lepra) e noutras fruteiras – laranjeiras, etc. (contra o míldio).

Março

Continuar, nos pomares de macieiras e pereiras, com os tratamentos contra as cochonilhas, ovos de insectos, ácaros e formas hibernantes de pedrado.

Aplicar às fruteiras cítricas emulsões oleosas depois da floração.

Concluir a poda das fruteiras de pevide e das figueiras, e adiantar as de espinho.

Adubar as diversas fruteiras que existam no pomar.

Pulverizar as laranjeiras com cal em pó ou ainda em leite.

Proteger os pessegueiros contra a lepra e crivado por meio de pulverizações preventivas com calda bordalesa.

Abril

Plantar fruteiras de espinho (laranjeiras, etc.).

Enxertar diversas fruteiras e aplicar bons ungentos, que facilitam o pegamento; inspeccionar as ligaduras dos enxertos feitos anteriormente.

Proceder a esladroamentos, principalmente nas fruteiras novas e nos enxertos executados anteriormente.

Terminar a poda dos citrinos, por vezes limitada à supressão dos ramos secos e dos ladrões mal implantados.

Desbotoar os pessegueiros assim que os botões medirem 2-3 centímetros.

Pulverizar: contra o pedrado das macieiras, contra lapas e escamas dos citrinos, contra os atídios, piolhos, pulgões e outros insectos.

Maio

Prosseguir com os tratamentos preven­tivos e curativos contra as doenças e pragas das diversas fruteiras: pedrado das macieiras e pereiras, lepra dos pessegueiros, etc.

Plantar ainda fruteiras de espinho, cujo pegamento é agora mais rápido e garantido, desde que não falte a água.

Sachar sempre que as ervas daninhas o justifique.

Junho

Defesa contra as seguintes pragas e doenças das fruteiras:

– pedrado das pereiras com caldas apropriadas;

– lepra do pessegueiro, lapas, escamas e cochonilhas com emulsões oleosas de Verão;

– piolhos ou pulgões com caldas nicotinadas e outras apropriadas;

Julho

Continuar com a defesa contra o pedrado das macieiras, nespereiras e pereiras.

Continuar o combate à formiga em todas as fruteiras e ao bichado das macieiras e pereiras.

Vigiar os enxertos feitos anteriormente, procedendo, sempre que necessário, a esladroamentos.

Regar e manter limpos de ervas, por sachas superficiais, os pomares de espinhos.

Agosto

Continuar a desfolha progressiva e sempre moderada dos pessegueiros.

Enxertar ameixieiras, cerejeiras, damasqueiros, macieiras, pereiras e pessegueiros.

Semear fruteiras de caroço.

Setembro

Dar início, nos pomares onde a colheita da fruta já estiver terminada, à poda e limpeza das árvores.

Prosseguir a enxertia a “olho dormente” de macieiras e pessegueiros, operação que convém ficar concluída em princípios de Outono.

Enxertar, “em fenda”, cerejeiras, macieiras e pereiras de formas altas.

Aplicar caldas oleosas aos citrinos atacados por cochonilhas, desde que os frutos não tenham mais que 2cm de diâmetro.

Outubro

Continuar com a abertura de covas destinadas às plantações Outono – Inverno; as covas devem permanecer abertas até à altura da plantação.

Proceder à estrumação e/ou adubação do pomar.

Iniciar, com os devidos cuidados, a plantação de fruteiras.

Inspeccionar as enxertias.

Pulverizar os citrinos ou fruteiras de espinho com caldas cúpricas ou oleosas, conforme as pragas.

Proceder, logo que tenha ocorrido a queda das folhas, aos tratamentos contra a lepra e o pedrado nos pomares de pessegueiros.

Novembro

Manter vigilância, nos pomares de macieiras e pereiras, contra eventuais ataques de ácaros, cachonilhas e formiga.

Executar, nos pomares de pessegueiros, logo que se tenha verificado a queda da folha, os tratamentos contra o crivado e a lepra.

Plantar: cerejeiras, pereiras, macieiras.

Dezembro

Continua a plantação de fruteiras de caroço e inicia-se a das de pevide.

Iniciam-se os tratamentos de Inverno, que continuam a ter o seu papel bem definido, não obstante a existência de insecticidas que podem usar-se na Primavera e que têm, por assim dizer, efeitos duplos.

Às laranjeiras que apresentam frutos já amarelos aplica-se calda cúprica a 2%.