Aeronáutica – do “Flyer III» ao avião a jacto

O dia 17 de Dezembro de 1903 marca os inícios da aeronáutica moderna. Nesse dia, os irmãos Wright, Wilbur e Orville, realizam o voo dum «mais-pesado-que-o-ar» em Kitty Hawk, na Carolina do Norte. O seu biplano, Flyer I, é propulsionado por um motor de combustão interna de doze cavalos. Percorre 37 metros em doze segundos (uma média de 19km/h), a uma altitude de alguns metros.

Nesta data, a lista dos pioneiros do voo é já longa e remonta pelo menos à Antiguidade grega. O êxito dos irmãos Montgolfier só veio encorajar as investigações, pois o balão, apesar das suas grandes qualidades, continua a ser um modo de deslocação aérea lento, pesado e pouco manobrável.

 

A série dos Flayer dos irmãos Wright

O Flyer I descola para o seu histórico voo em 17 de Dezembro de 1903. Encorajados com os primeiros resultados, os irmãos Wright decidem melhorar o seu comportamento em voo e metem-se ao trabalho num modelo mais potente e mais perfilhado, o Flyer II, que descola setenta e cinco vezes no Outono-Inverno de 1904, conseguindo cobrir, no melhor voo, cerca de 4,8 quilómetros em cinco minutos e quatro segundos.

A 20 de Setembro, executa a primeira volta completa sobre a asa, demostrando a sua grande maneabilidade. Com estes êxitos, os irmãos Wright constroem então o primeiro avião verdadeiramente funcional, o Flyer III. Os órgãos de comandos, a motorização e a solidez geral do aparelho são melhorados, mas mantém o desenho de base dos primeiros Flyer, que deram as suas provas. O Flyer III consegue, por seis vezes, manter-se em voo mais de quinze minutos, e cobre, em 24 de Outubro de 1905, 38,6 quilómetros em trinta e oito minutos e três segundos. A máquina não sofre, na altura, qualquer avaria. Mas o principal resultado foi que os irmãos Wright puderam pilotar à sua vontade um avião e assim provaram definitivamente a possibilidade do voo aéreo controlado.

 

Do “Flyer III» ao avião a jacto

Ano 1906 – Primeiro voo num mais-pesado-que-o-ar independente, dos irmãos Wright, por Alberto Santos-Dumont, no Parque Bagatelle (Boulogne). Primeiro motor de avião verdadeiramente eficaz, construído por León Levavasseur.

Ano 1907 – Biplano de hélice propulsora dos irmãos Gabriel e Charles Voisin.

Ano 1908 – Aperfeiçoamento do biplano dos irmãos Voisin por Henri Farman, que lhe acrescenta aileron para garantir o controlo lateral e direccional.

Ano 1909 – Travessia da Mancha por Louis Blériot num monoplano de hélice tractora. Invenção do biplano por Louis Breguet, destinado a servir de modelo aos aviões da época.

Ano 1910 – Invenção do hidroavião, pelo francês Henri Fabre.

Anos 1914-1918 – A Primeira Guerra Mundial intensifica as investigações de aeronáutica e leva à construção dos primeiros caças e bombardeiros. Perto de 200.000 aviões são construídos nste período, contra uns 5.000 de 1903 a 1914.

Anos 1919-1926 – Início dos serviços aéreos comerciais na Alemanha, Holanda, Bélgica e Grã-Bretanha.

Ano 1925 – Lançamento do primeiro avião de turismo popular, o De Havilland Moth.

Ano 1927 – Travessia do Atlântico em solitário por Charles Lindbergh no seu monoplano, o Spirit of Saint Louis.

Ano 1929 – Realiza-se o primeiro voo por instrumentos, efectuado por J. H. Doolittle.

Ano 1931 – Primeira aterragem cega efectuada por M. S. Boggs.

Ano 1933 – O Boeing 247, primeiro avião comercial, entra ao serviço nos EUA.

Ano 1935 – Entrada ao serviço do DC3 da construtora americana Douglas. Será o maior sucesso comercial da história da aviação civil.

Ano 1936 – Primeiras experiências de pilotagem automática, nos EUA.

Ano 1939 – Construção do primeiro avião a jacto, o Heinkel HE-178 alemão.

Fonte: “Memória do Mundo – das origens ao ano 2000”