Com o mês de Dezembro termina cada ano

Dezembro é o 12º e último mês do ano civil nos calendários Juliano e Gregoriano, composto por 31 dias. Deriva do latim Decembris ou December, assim chamado por ser o 10º mês do primitivo calendário romano que começava em Março. A reforma de Numa Pompílio acrescentou ao ano civil os meses de Janeiro e Fevereiro, passando Dezembro a ser o 12º mês, mas mantendo o nome que tinha inicialmente. Mais tarde, o Imperador Cómodo mudou-lhe o nome para Amazónio, em homenagem a uma amazona romana de quem possuía o seu retrato num anel. Tal como todas as tentativas usadas para mudar os nomes aos meses anteriores, também esta não sobreviveu.

Na civilização romana celebravam-se neste mês diversos festejos, entre os quais as Saturnais, no dia 17, em honra de Saturno, e a 25, dia do Solstício de Inverno no Calendário Juliano, as Natalis Invicti Solis (o Nascimento do Sol Invicto).

Enquanto duravam estas festas, a ninguém era permitido trabalhar, os tribunais e as escolas mantinham-se fechados, não se começava qualquer guerra e não se executavam criminosos nem se exercia ofício algum, excepto o de cozinhar.

As Saturnais, festas ruidosas, foram mais tarde substituídas pelo Carnaval, a quem legaram os folguedos; as Natalis Invicti Solis, celebradas a 25 de Novembro por a maior parte dos povos antigos e sob diferentes nomes, homenageava o dia do nascimento do Sol.

A Igreja católica, desde o século IV, celebra a 25 de Dezembro o nascimento de Jesus Cristo, o Sol da Justiça.

O mês de Dezembro era representado pela figura de um velho muito enroupado, encolhido com frio e com as mãos estendidas para um braseiro aceso. É neste mês que começa o Inverno!

 

Da natureza e efeitos do Signo de CAPRICÓRNIO

(22 de Dezembro a 20 de Janeiro)

Este signo é figurado por uma cabra, animal que vai trepando e subindo pelos montes e brenhas mais altas que acha. Assim o Sol, quando entra neste signo, vai subindo para nós e começam a crescer os dias. É de natureza da terra, frio e seco e é feminino, nocturno e movível: porque sai o Outono e entra o Inverno. Entra o Sol neste signo e 22 de Dezembro e desde que entra até que sai cresce o dia meia hora.

O varão que nascer debaixo da subida deste signo, será iracundo, vão e mentiroso. Denota que andará muitas vezes falando só consigo: será algum tanto melancólico, animoso e inclinado á guerra. E finalmente que padecerá algumas tribulações por causa das mulheres. Viverá enfermo; mas promete-lhe, conforme sua natureza, setenta e sete anos de vida.

Se for fêmea, terá a condição perversa e correrá perigo de se perder, se não lhe forem à mão em suas leviandades. Denota que será mordida de animal de quatro pés e que corre perigo de cair de alto; padecerá de algumas enfermidades, porém pequenas; à qual promete este signo, conforme sua natureza, sessenta e nove anos de vida.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Superstições e crendices no mês de Dezembro

Para os nascidos neste mês a flor da sorte é o azevinho, que desempenha um papel importante nas celebrações do Natal. O verde permanente das suas folhas representa a vida eterna, as bagas vermelhas são símbolo da crucificação e os seus espinhos tornam-no ideal para afugentar os espíritos malignos. As folhas espinhosas dão sorte aos homens, e a variedade lisa dá sorte às mulheres.

As pedras preciosas que proporcionam felicidade quando oferecidas às pessoas no seu aniversário em Dezembro são as turquesas, símbolo de altruísmo. A turquesa, com a sua cor deslumbrante, representa um emblema de prosperidade e, oferecida por mãos carinhosas, dissipa a animosidade entre quem dá e quem recebe, proporcionando felicidade e fortuna. A turquesa de cor azul é a mais valiosa, e a de cor verde a mais vulgar.

Os agricultores acreditam que se neste mês se ouvirem os primeiros trovões do ano, denotam próspera saúde, e bom ano, para quem os ouvir.

 

Crença popular – Casado nos dias de pureza de Dezembro, a estrela do amor torna-se mais brilhante de ano para ano.

 

Provérbios:

– Natal à Sexta-feira, onde puderes semeia.
– Dezembro quer lenha na lareira e vinho a andar na cafeteira.
– No tal no lar e Páscoa em casa.
– Dezembro molhado, Janeiro geado.
– Natal ao soalhal e Páscoa à lareira, fazem um ano de primeira.
– Dezembro frio, calor ao Estio.