Cronologia da libertação de Timor-Leste

Desde que a Indonésia, em 7 de Dezembro de 1975, invadiu Timor-Leste, o conflito assumiu foros de insolúvel: de um lado, a ONU, Portugal e a Resistência Timorense reivindicavam o direito à autodeterminação do povo timorense; do outro lado, o poderoso regime indonésio teimava que esse acto fora cumprido e a integração de Timor-Leste como 27ª província indonésia fora consumada. Mas em 1999 surgiu a oportunidade de um referendo.

A oportunidade decorreu da recessão económica de 1997/98 que atingiu duramente a Indonésia e desencadeou uma grave crise económica, social e política que levou à queda do presidente Suharto, substituído por Habibe, um indonésio que aceitou referendar Timor-Leste.

 

Cronologia da libertação de Timor-Leste

21 de Maio de 1998 – O presidente indonésio (desde 12.03.1967 até 21.05.1998) Hadji Mohamed Suharto (n. 08.06.1921 – f. 27.01.2008), ou simplesmente Suharto, resigna e é nomeado, em sua substituição, Jusuf Habibe (nasceu a 25.06.1936, e foi presidente desde 21.05.1998 até 20.10.1999).

5 de Agosto de 1998 – É aceite discutir a proposta indonésia de autonomia alargada.

27 de Janeiro de 1999 – Habibe declara que a rejeição da autonomia pode significar independência.

Abril de 1999 – Início das atrocidades das milícias contra o povo timorense, em Liquicá e Díli.

5 de Maio de 1999 – Acordo de Nova Iorque sobre a consulta ao povo de Timor-Leste.

O acordo de Nova Iorque, celebrado a 5 de Maio, decorre do aproveitamento inteligente da ONU e Portugal de uma oportunidade, talvez única. O texto integrou o exercício do direito de autodeterminação do povo de Timor-Leste sob a forma de uma «votação directa, secreta e universal», deixando claro que, se o resultado da consulta fosse a rejeição à autonomia, a Indonésia deixaria Timor-Leste.

11 de Maio de 1999 – Entrada da ONU (UNAMET) em Timor-Leste.

Julho / Agosto de 1999 – Recenseamento do povo timorense.

30 de Agosto de 1999 – Votação do povo timorense.

4 de Setembro de 1999 – Anúncio da vitória dos independentistas.

5 de Setembro de 1999 – Início dos ataques generalizados das milícias e dos militares indonésios.

6 de Setembro de 1999 – Libertação de Xanana Gusmão.

Xanana Gusmão, o líder carismático da resistência, nasceu em Manatuto (Timor-Leste) a 20 de Junho de 1948. Membro discreto do partido FRETILIN, entrou na Resistência desde os primeiros tempos da invasão indonésia. Depois da morte em combate, em 1978, do líder da FRETILIN, Nicolau Lobato, Xanana assumiu a liderança da Resistência, que organizou e impulsionou, conseguindo a integração de todas as facções partidárias nacionalistas.

Preso em Díli, em Novembro de 1992, foi julgado e condenado a vinte anos de prisão. Iniciou a pena na prisão de Cipinang (Jacarta). Aí, apesar de todas as restrições, continuou a conduzir a Resistência e a dirigir-se ao mundo. Na prisão recebeu personalidades célebres, como Nelson Mandela, Madeleine Albright e Jimmy Carter. Liberto em Setembro de 1999, regressou em 21 de Outubro a Timor-Leste como presidente indiscutível da Resistência.

A história de Xanana Gusmão confunde-se coma da Resistência Timorense, uma história de coragem, sacrifício e de fidelidade às raízes da afirmação nacional. No seu perfil associam-se o político, o guerreiro e o humanista. Rai Kala Xanana Gusmão tornou-se uma personalidade internacional que ultrapassa, em muito, o pequeno território e o povo de Timor-Leste.

12 de Setembro de 1999 – Habibe aceita a entrada de uma força internacional em Timor-Leste.

15 de Setembro de 1999 – A Resolução 1265 do Conselho de Segurança da ONU mandata a INTERFET.

17 de Setembro de 1999 – Início da retirada dos militares indonésios de Timor-Leste.

20 de Setembro de 1999 – Desembarque da INTERFET em Timor-Leste.

27 de Setembro de 1999 – A INTERFET assume a segurança de Timor-Leste.

19 de Outubro de 1999 – O Parlamento indonésio desanexa Timor-Leste da Indonésia.

 

Fonte: “Memória do mundo – das origens aos ano 2000”