Cronologia das principais batalhas no tempo dos Gregos e Romanos

Ao longo dos tempos, muitas foram as batalhas onde ficaram decididas guerras, e pelas quais generais e imperadores ficaram para a História. Nos tempos áureos da Grécia e de Roma, estas foram das mais importantes.

Ano 490 a. C. | Maratona – Uma força de 10.000 atenienses e seus aliados derrotou 50.000 persas, esmagando uma tentativa de invasão persa e dando novo ânimo aos Gregos. Conta a lenda que a atual corrida de 42,195 km foi assim designada para homenagear o feito do soldado ateniense Fidípides (mensageiro do exército de Atenas), que teria corrido cerca de 40 km entre o campo de batalha de Maratona até Atenas, com o objectivo de anunciar aos atenienses que os persas tinham sido derrotados, tendo morrido de exaustão, após cumprir a missão. (1)

Durante a expedição persa contra a Hélade (Grécia), o exército persa está sob o comando do oficial medo Dátis, e a esquadra é guiada por Artafernes, filho de um sátrapa persa. Este conquista a maior parte das ilhas Cíclades. Os Persas chegam a Eubeia, provenientes de Rodes e Naxos, e arrasam Erétria.

Hípias, filho de Pisístrato, que acompanha o exército persa, deve ter certamente recomendado o desembarque na costa oriental da Ática, exactamente na planície de Maratona. Atenas tem de fazer frente, sozinha, ao ataque persa. Um exército espartano não chega a tempo de a auxiliar. Os Plateenses, dedicados a Atenas, prestam o auxílio de mil hoplitas. Cerca de 10.000 soldados têm de enfrentar as numerosíssimas tropas dos invasores persas. Milcíades aconselha à assembleia popular que se abandone a construção da muralha defensiva de Atenas e se impeça na própria Maratona que os invasores penetrem na estrada de Maratona a Atenas.

Os Persas, seguros da sua força, atacam o acampamento dos Atenienses, instalado na encosta nordeste dos Agrieliqui. A falange dos hoplitas avança em perfeita formação debaixo da chuva dos dardos persas, conseguindo rechaçar o centro do exército medo.

Entretanto, as alas do exército grego rodeiam as tropas invasoras, alcançando, assim, a vitória sobre o inimigo desvairado.

Os Persas fixaram-se, em derradeiro esforço, na ribeira Cáradra e na ponte, com o objectivo de poderem embarcar as tropas; desta maneira se salva a maior parte do exército persa. Milcíades conduz, em marchas forçadas, o exército a Atenas, onde se dispõe a defender a cidade, e ocupa posições defensivas no ginásio de Cinosarges. Dátis tem de renunciar ao seu intento de conquistar a cidade por mar. O corpo expedicionário persa regressa à Ásia.

Ainda que a batalha de Maratona nada acarrete de decisivo entre Gregos e Persas, em compensação, com esta primeira vitória grega sobre os invictos Persas, inicia-se a ascensão de Atenas à sua futura situação na Grécia. Com a vitória de Maratona, Atenas começa a adquirir poder político sobre a Hélade. (2)

Ano 480 a. C. | Salamina – Uma esquadra Grega de 360 navios, sob o comando de Temístocles, derrotou a esquadra persa de 1.000 navios, comandada por Xerxes. Os Persas foram obrigados a retirar da Grécia. (1)

Durante a segunda expedição persa, Xerxes invade, com o exército de terra, a Grécia Central. O seu objectivo é a Ática.

Temístocles evacua a população de Ática e de Atenas, levando-a para Salamina, Egina e a costa do Peloponeso. Uma pequena guarnição permanece em Atenas a fim de proteger a Acrópole, insuficientemente defendida por uma muralha de madeira. Mediante um ardil, Temístocles consegue incitar a frota persa, em Setembro de 480 a.C., a atacar a esquadra grega ancorada na baía de Salamina. Neste local favorável à esquadra grega, entre a ilha de Psitália e o pequeno monte de Egáleo, a numerosa frota persa vê-se imobilizada.

Os Persas querem circum-navegar com uma esquadra a ilha de Salamina, para fechar o estreito entre Salamina e Mégara e deixar os Gregos bloqueados. Estes conseguem, num surpreendente movimento pelo flanco, agrupar mais as já apinhadas naves persas, e, depois de doze horas de batalha, a vitória grega é certa e decisiva.

As perdas dos Persas são pesadas. O resto da esquadra regressa a Faleros. Xerxes vai com o exército de terra a Atenas, sem tentar um ataque sobre a posição do istmo. Após a batalha de Salamina fica baldada a exposição persa do ano de 480 a.C.. O general persa Mardónio inverna com o seu exército de terra na Tessália e o rei regressa a Sárdis. (2)

Anos 414 – 413 a. C. | Cerco de Siracusa – Os Atenienses cercaram a cidade de Siracusa, Durante a Guerra do Peloponeso. O cerco terminou quando um ataque nocturno conduzido pelo general ateniense Demóstenes foi decisivamente repelido. (1)

Ano 405 a. C. | Egospótamo – A esquadra espartana, sob o comando de Lisandro, derrota a última esquadra ateniense e termina com a Guerra do Peloponeso. (1)

O oficial espartano Lisandro foi o vencedor da decisiva batalha de Egospótamo, nos Dardanelos, ao derrotar, durante o Verão de 405 a.C., a última esquadra ateniense. Cónon, sob cujo comando estavam as desbaratadas naus atenienses, foge para Chipre. Esparta domina os Dardanelos, causando, assim, graves prejuízos ao comércio de Atenas. (2)

Ano 331 a. C. | Arbelos – O exército grego de Alexandre, o Grande, derrota uma força persa duas vezes maior, comandada por Dario III, conquistando a Pérsia. A batalha teve lugar em Guagamelos, a 40 km de Arbelos. (1)

Ano 202 a. C. | Zama – Os romanos, comandados por Cipião, o Africano, derrotaram os Cartagineses de Aníbal, ganhando a Segunda Guerra Púnica. (1)

Ano 31 a. C. | Áccio – Uma esquadra romana com 400 navios, comandada por Octávio (mais tarde imperador) derrotou os 500 navios da frota combinada de Marco António e Cleópatra. A vitória tornou Octávio senhor de Roma e do seu império. (1)

Na Primavera do ano 31 a.C., Octávio parte com o seu exército para o Epiro e desencadeia uma série de ataques contra Marco António. No dia 2 de Setembro trava-se uma batalha naval diante de Áccio, no golfo de Ambrácia. Marco António combate a esquadra sitiadora, comandada por Agripa. Quando Cleópatra abandona Marco António e foge com a esquadra egípcia antes de terminar o combate, os navios atacantes aniquilam as restantes naus. (2)

Ano 9 d. C. | Floresta de Teutoburgo – Tribos germânicas comandadas por Armínio destruíram três legiões romanas, acabando com os planos romanos de invasão e conquista dos seus territórios. (1)

Ano 373 | Adrianópolis – Os Visigodos, comandados por Fridigern, derrotaram e mataram o imperador romano Valens, em Adrianopólis, agora Edirne, na Turquia. (1)

Ano 451 | Châlons-sur-Marne – Os Romanos, comandados por Flávio Aécio, e os Visigodos de Teodorico I, derrotaram os Hunos de Átila, detendo a sua ameaça ao Ocidente. (1)

Fontes

  1. História – Resposta a tudo
  2. História Universal Comparada – vol. II

 

Poderá ainda gostar de ler sobre…

= Cronologia das principais batalhas (2)
Principais batalhas na Europa antiga | Principais batalhas das guerras religiosas e de sucessão | Principais batalhas nas lutas coloniais | principais batalhas na época de Napoleão Bonaparte

= Cronologia das principais batalhas (3)
Principais batalhas nos primeiros conflitos modernos | Principais batalhas – Primeira Guerra Mundial (1914-1918) | principais batalhas – Segunda Guerra Mundial (1939-1945)