Dia dos Namorados e Dia de S. Valentim – 14 de Fevereiro

No dia 14 de Fevereiro de cada ano, em muitos países do mundo, celebra-se o Dia de S. Valentim, também conhecido como Dia dos Namorados. No Brasil, o Dia de S. Valentim é comemorado no dia 12 de Junho, véspera do 13 de Junho, data em que a Igreja Católica celebra a memória litúrgica de Santo António, santo português com tradição de casamenteiro.

Nas listas de mártires mais antigas, elaboradas nos primeiros séculos da era cristã, existem pelo menos três santos com nome de Valentim, cuja memória é celebrada no dia 14 de Fevereiro: dois bispos sepultados em diferentes locais da Via Flamínia (Roma), e um terceiro que teria sido torturado e morto na África.

Também os dados que chegaram até aos nossos dias atuais esses três mártires "carecem de valor histórico" por serem escassos, insuficientemente fundamentados e de data muito posterior à época em que se supõe que tenham vivido. É admissível que ao longo dos séculos, os dados sobre a vida e morte desses três "Valentim" foram sendo unificados na memória popular, para dar lugar a um único S. Valentim.

Por volta do fim do século V, o papa Gelásio I acolheu as lendas sobre São Valentim e instituiu sua celebração no dia 14 de fevereiro. No decreto papal afirmava-se que São Valentim era um daqueles "cujos nomes são venerados pelos homens, mas cujos atos só Deus conhece", admitindo assim uma enorme falta de dados verosímeis sobre a respectiva vida e morte.

Entretanto, desde 1969 que o Dia de S. Valentim não é mais celebrado oficialmente pela Igreja Católica, dada a falta de comprovativos históricos que põem em questão até mesmo a sua existência.

De qualquer modo, e seguindo o ditado de que “Voz do povo é voz de Deus”, o que perdurou até hoje é que S. Valentim foi morto por não abdicar da sua fé em Jesus Cristo nem naquilo que acreditava ser o mais correcto.