O dia, a noite e os vinte e quatro fusos horários

Como a Terra roda de oeste para leste, o Sol surge a oriente e eleva-se até alcançar o seu zénite ao meio-dia, descendo a seguir até se pôr a ocidente. Este ciclo cumpre-se uma vez por dia.

A alternância do dia e da noite foi a base para estabelecer a primeira unidade de tempo. Os Egípcios dividiram o tempo do ciclo completo em 24 horas. A seguir, os Gregos, subdividiram cada uma dessas horas em 60 minutos, dispondo assim de uma unidade bastante precisa para medir o tempo.

O tempo utilizado pela terra para dar uma volta completa sobre si mesma é um dia solar. Mede-se desde que o Sol passa por um meridiano até que volta a passar por ele. Mas o dia solar tem uma duração variável, pois a órbita da Terra não é circular e o eixo do nosso planeta não é perpendicular ao plano da órbita; por isso se utiliza o dia solar médio, que tem uma duração fixa de 24 horas (tempo dos relógios). Comparando o tempo médio do dia solar com o tempo verdadeiro de um dia determinado obtém-se o que se chama a equação do tempo. A diferença máxima entre ambos é de 16 minutos.

Para obter uma medida do dia mais precisa tem de se observar as estrelas, muito mais afastadas de nós do que o Sol. Neste caso, a rotação da Terra mede-se como um dia sideral, que é o tempo que decorre durante a revolução (aparente) de uma estrela e que equivale a 23 horas, 56 minutos e 4 segundos. À translação do nosso planeta na sua órbita se deve esta diferença entre o dia sideral e o dia solar, que é um pouco mais longo do que aquele. É por isso que as estrelas «nascem» todos os dias cerca de 4 minutos mais cedo.

Vinte e quatro fusos horários

No passado, cada cidade tinha a sua hora própria; era meio-dia quando o Sol estava no zénite (tempo civil). Mas ao viajar de leste para oeste, ou vice-versa, tinha de se mudar repetidamente a hora do relógio. Dividiu-se, pois, a Terra em 24 secções limitadas por linhas traçadas desde o Pólo Norte ao Pólo Sul. Estas secções denominam-se fusos horários. Tomou-se como meridiano de origem o que passa por Greenwich (Inglaterra). O tempo civil de Greenwich é considerado tempo universal (TU). As terras e mares que estão dentro de um mesmo fuso têm a mesma hora (tempo legal). Quando é meio-dia em Greenwich (fuso O), é 1 hora em Berlim (fuso 1) e uma mais em Moscovo (fuso 2), etc.

Em certa época do ano, alguns países utilizam um horário que não é o que corresponde ao seu fuso. É o horário de Verão, que consiste em adiantar uma hora em relação ao tempo legal. [Meses mais tarde, é atrasado uma hora, voltando ao horário normal]. A linha de mudança de dia está situada no meridiano 180º, que corresponde a um fuso em que há poucas terras habitadas. E, em função das entidades politicas dessas terras, a dita linha sofre algumas variações.

Fonte: Alfa Estudante – Enciclopédia Juvenil (Vol.I)