Efemérides para lembrar ou celebrar em Março

No mês de Março, sugerimos estas efemérides para lembrar ou mesmo celebrar, se for o caso disso:

Dia 1 (1290) – O Rei D.Dinis cria, em Lisboa, o “Estudo Geral“, que daria origem à primeira Universidade Portuguesa;

Dia 3 (1977) – Em Portugal, a Assembleia da República decide solicitar a adesão do país à Comunidade Europeia (CEE);

Dia 6 (1836) – O Forte de Alamo, em Santo António, Texas (EUA), cai em poder do exército mexicano, após 13 dias de cerco, no qual pereceram o lendário David Crockett e outros 186 defensores norte-americanos;

Dia 9 (1980) – Em Espanha, os Bascos elegem, pela primeira vez, o seu parlamento regional autónomo;

Dia 11 (1975) – Em Portugal, ocorre a tentativa de um golpe militar (precipitado ou provocado?), em que esteve envolvido o ex-presidente António de Spínola, e cujo fracasso abriu caminho à experiência colectivista;

Dia 12 (1975) – Em Portugal é constituído o MFA (Movimento das Forças Armadas) como órgão superior da Revolução, tendo cabeça o Conselho da Revolução, com poderes legislativo e executivo;

Dia 15 (1147) – D. Afonso Henriques conquista Santarém aos mouros;

Dia 16 (1974) – Em Portugal, gorou-se à nascença a revolta militar das Caldas da Rainha;

Dia 17 (1756) – O Papa Bento XIV canoniza a Princesa Joana, padroeira da cidade de Aveiro;

Dia 18 (1957) – A CEE (Comunidade Económica Europeia, que deu origem à actual União Europeia) passa a ter uma moeda comum, o ECU (European Current Unity);

Dia 24 (1976) – Golpe militar na Argentina que depõe Isabel Perón, ficando Chefe de Estado o General Jorge Rafael Videla;

Dia 26 (1979) – Assinatura, em Camp David, nos EUA, do tratado de paz entre o Egipto e Israel;

Dia 27 (438 a.C.) – Data provável da inauguração do Parthenon, de Atenas;

No mês de Março nasceram ou morreram as seguintes personalidades:

No dia 5 de Março de 1925, nasceu Luís Filipe Lindley Cintra

Luís Filipe Lindley Cintra nasceu em Espariz, Tábua. Foi e é, sem dúvida, uma das figuras principais da Linguística portuguesa. Toda a sua actividade científica foi desenvolvida na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde se licenciou e doutorou em Filologia Românica, e onde exerceu toda a sua actividade docente, de assistente a professor extraordinário e catedrático. Faleceu em Lisboa, no dia 18 de Agosto de 1991. Saber mais.

No dia 18 de Março de 1926, nasceu Augusto Abelaira

Augusto José de Freitas Abelaira nasceu em Ançã, Cantanhede. Foi escritor, professor, tradutor, jornalista, dramaturgo, romancista, director de programas na RTP e director das revistas “Seara Nova” e “Vida Mundial”. Foi, também, presidente da Associação Portuguesa de Escritores. Entre outros, venceu o Grande Prémio de Romance e Novela, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores, em 1997. Faleceu em Lisboa, no ano de 2003. Saber mais.

No dia 20 de Março de 1913, nasceu Ilse Losa

De seu nome completo Ilse Lieblich Losa, nasceu em Melle-Bauer (Alemanha). Escritora portuguesa de origem judaica, dedicou a sua vida à tradução e à literatura infanto-juvenil. Segundo Óscar Lopes “os seus livros são uma só odisseia interior de uma demanda infindável da pátria, do lar, dos céus a que uma experiência vivida só responde com uma multiplicidade de mundos que tanto atraem como repelem e que todos entre si se repelem“. Trabalhou também para a televisão criando séries infantis. Faleceu no Porto, no dia 6 de Janeiro de 2006. Saber mais.

No dia 1 de Março de 1923, faleceu Camilo Pessanha

Camilo de Almeida Pessanha faleceu no dia 1 de Março de 1926, em Macau, devido ao consumo excessivo de ópio. Apesar da pequena dimensão da sua obra, é considerado um dos poetas mais importantes da língua portuguesa, o expoente máximo do simbolismo em língua portuguesa, além de antecipador do princípio modernista da fragmentação. Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, foi Procurador Régio em Mirandela (1892), advogado em Óbidos, em 1894, professor de Filosofia Elementar no Liceu de Macau, conservador do registro predial e, depois, juiz de comarca em Macau. Publicou poemas em várias revistas e jornais e na área da imprensa, encontra-se colaboração da sua autoria nas revistas Ave Azul, Atlântida e Contemporânea. Camilo Pessanha nasceu Coimbra no dia 7 de Setembro de 1867. Saber mais.

No dia 4 de Março de 1911, faleceu Fialho de Almeida.

De seu nome completo José Valentim Fialho de Almeida, faleceu em Cuba (Beja – Alentejo). Panfletário maior da literatura portuguesa, “título” que obteve com a publicação d’Os Gatos, entre 1889 e 1894, Fialho de Almeida assegurou também uma vasta colaboração na imprensa da época, escrevendo folhetins, crónicas, críticas literárias e teatrais. Com Os Gatos deu-nos uma crónica mensal (depois semanal) da vida portuguesa, mordaz e combativa, hoje da maior importância para o conhecimento do final do século XIX. Além de jornalista e panfletário, Fialho de Almeida foi um contista admirável, que deixou na literatura portuguesa alguns dos escritos mais belos desse género. Fialho de Almeida nasceu em Vidigueira, Vila de Frades no dia 7 de Maio de 1857. Saber mais.

No dia 5 de Março de 1917, faleceu Manuel de Arriaga

Manuel José de Arriaga Brum da Silveira, primeiro presidente da República Portuguesa, faleceu em Lisboa, no dia 5 de Março de 1917. Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, da qual veio a ser nomeado Reitor em 1910. Foi um excelente orador e escritor. Membro do Partido Republicano, foi eleito deputado, quatro vezes, pelo círculo da Madeira. Em 1890, foi preso em consequência das manifestações de 11 de Fevereiro contra o “ultimato” inglês. Foi deputado à Assembleia Constituinte em 1911. O seu mandato como Presidente da República foi bastante atribulado por motivo das investidas monárquicas chefiadas por Paiva Couceiro. Nascido no dia 8 de Julho de 1840, jaz no Panteão Nacional de Sta Engrácia, conforme deliberação da Assembleia da República de 16 de Setembro de 2004. Saber mais.

No dia 10 de Março de 1923, faleceu Basílio Teles

Basílio Teles morreu no dia 10 de Março de 1923, no Porto. Depois de ter abandonado a Escola Médico-Cirúrgica, devido a um conflito com um professor, leccionou as disciplinas de Literatura, Filosofia e Ciências Naturais, ao mesmo tempo que escrevia para alguns jornais políticos e literários, defendendo os ideais republicanos. Filiado no Partido Republicano Português (PRP) Basílio Teles também fez parte do Clube de propaganda democrática do norte, e teve um papel muito importante na preparação da revolta de 31 de Janeiro de 1891, o que o levou ao exílio. Implantada a República a 5 de Outubro de 1910, a Carbonária tentou que lhe fosse atribuída a pasta do Interior, mas por influência de Afonso Costa foi indigitado para a pasta das Finanças. Basílio Teles não aceitou e por isso não tomou posse. Basílio Teles nasceu no Porto no dia 14 de Fevereiro de 1856. Saber mais.