Efemérides para lembrar ou celebrar em Novembro

 

No mês de Novembro, sugerimos estas efemérides para lembrar ou mesmo celebrar, se for o caso disso:

Dia 1 (1755) – Um violento sismo destrói, parcialmente, Lisboa, causando cerca de 60 mil mortos.

Dia 2 (1914) – A Rússia declara a guerra à Turquia.

Dia 3 (1903) – Temendo que os EUA escolham outro local para o canal oceânico, se a Colômbia adiar por mais tempo a assinatura do pacto, um grupo de colombianos proclama a independência do Panamá.

Dia 4 (1909) – O czar Nicolau II e o seu Ministro dos Negócios Estrangeiros iniciam conversações com Guilherme II da Alemanha em Potsdam; a Rússia deixará de se opor ao caminho-de-ferro de Bagdad e ontem liberdade de movimentos no Norte da Pérsia (atual Irão).

Dia 5 (1911) – A Itália anexa Tripoli e a Cirenaica.

Dia 6 (1913) – Prisão de Mahatma Gandhi, chefe do movimento indiano de resistência passiva.

Dia 7 (1935) – Os tratados soviético-turcos são prolongados por mais dez anos.

Dia 8 (1917) – Na sequência da revolução bolchevique, Lenine é eleito Presidente do Conselho dos Comissários do Povo da União Soviética e Leon Trotsky Primeiro-Ministro.

Dia 9 (1936) – A Conferência de Viena entre a Itália, a Áustria e a Hungria consolida a posição italiana no vale do Danúbio.

Dia 10 (1938) – Aprovada legislação anti-semita na Itália.

Dia 11 (1978) – Em Portugal forma-se novo governo de iniciativa presidencial, desta vez presidido por Carlos Alberto da Mota Pinto.

Dia 12 (1975) – As ilhas Comores tornam-se um estado membro da ONU.

Dia 13 (1974) – Embora não seja representante de um estado membro da ONU (excepção, até então, feita com Paulo VI, em 1965), Yasser rafat, chefe da OLP (Organização de Libertação da Palestina) fala na Assembleia Geral da ONU.

Dia 14 (1918) – Rendição da frota alemã que, à data, se encontrava no mar alto.

Dia 15 (1969) – Comandos egípcios sabotam três navios israelitas no porto de Eilat.

Dia 16 (1955) – J. Dulles, H. Macmillan e A. Pinay fazem uma declaração sobre a Alemanha em oposição a Molotov que se recusara a discutir a reunificação deste país. Tal só se veio a verificar em 1990.

Dia 17 (1922) – A república do Extremo Oriente vota a favor da união com a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas).

Dia 18 (1914) – Os alemães quebram a linha russa em Kutno.

[Conheça a cronologia das principais batalhas nos primeiros conflitos modernos]

Dia 19 (1807) – Tropas francesas invadem Portugal (1ª Invasão Napoleónicas).

Dia 20 (1969) – Em Washington duzentas e cinquenta mil pessoas manifestam-se contra a Guerra do Vietname.

Dia 21 (1912) – A Turquia declara inaceitáveis as condições de paz dos aliados balcânicos.

Dia 22 (1963) – Assassínio do presidente John Kennedy em Dalas, por Harvey Lee Oswald. L. B. Johnson, vice-presidente, é investido como presidente dos EUA.

Dia 23 (1990) – O Parlamento soviético concede ao presidente Gorbatchev poderes de emergência para manter a ordem no país.

Dia 24 (1936) – António de Oliveira Salazar, além da presidência do Conselho de Ministros, assume as pastas das Finanças, da Guerra e dos Negócios Estrangeiros.

Dia 25 (1975) – Em Portugal, uma intervenção das forças fiéis ao Governo põe fim à facção coletivista que se preparava para monopolizar a Revolução dos Cravos. Registaram-se três mortos.

Dia 26 (1955) – John Harding proclama o estado de emergência em Chipre.

Dia 27 (1941) – O marechal russo Timoshenko lança uma contra-ofensiva, obrigando os alemães a retirarem-se de Rostóvia, junto ao rio Dom.

Dia 28 (1976) – Encerramento do 13º Congresso da Internacional Socialista com a eleição de Willy Brandt para a presidência desta organização.

Dia 29 (1932) – Assinatura do pacto de não-agressão franco-soviético.

Dia 30 (1939) – Os soviéticos bombardeiam Helsínquia e avançam para o interior da Finlândia, facto que leva a Sociedade das Nações a expulsar a URSS do seu seio, em 14 de Dezembro desse ano.

 

Poderá, também, gostar de conhecer as datas comemorativas que se celebram neste mês.

 

No mês de Novembro nasceram ou morreram as seguintes personalidades:

No dia 24 de Novembro de 1906, nasceu António Gedeão (pseudónimo de Rómulo Vasco da Gama de Carvalho) – (Lisboa, 24.11.1906 – Lisboa, 19.02.1997) – Filho de um funcionário dos correios e telégrafos e de uma dona de casa, Rómulo Vasco da Gama de Carvalho nasceu a 24 de Novembro de 1906 na lisboeta freguesia da Sé. Aí cresceu, juntamente com as irmãs, numa casa modesta da rua do Arco do Limoeiro (hoje rua Augusto Rosa), no seio de um ambiente familiar tranquilo, profundamente marcado pela figura materna, cuja influência foi decisiva para a sua vida. Continuar a ler

No dia 2 de Novembro de 1919, nasceu Jorge Sena – (Lisboa, 02.11.1919 – Santa Bárbara, Califórnia, 04.06.1978) – É hoje considerado um dos grandes poetas de língua portuguesa e uma das figuras centrais da cultura do nosso século XX. A sua infância de filho único é marcada pelas expectativas que o pai, comandante da marinha mercante, alimenta para ele como futuro oficial da Armada, em confronto com a educação musical que a mãe procura proporcionar-lhe. Em setembro de 1937 ingressa na Escola Naval como primeiro cadete do “Curso do Condestável”, mas vicissitudes diversas da viagem de instrução no navio-escola Sagres ditam a sua exclusão da Marinha em março de 1938. Continuar a ler

No dia 6 de Novembro de 1919, nasceu Sophia de Mello Breyner Andresen – (Porto, 06.11.1919 – Lisboa, o2.07.2004) – Em 1939-1940 estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publicou os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia. Na sequência do seu casamento com o jornalista, político e advogado Francisco Sousa Tavares, em 1946, passou a viver em Lisboa. Foi mãe de cinco filhos, para quem começou a escrever contos infantis. Além da literatura infantil, Sophia escreveu também contos, artigos, ensaios e teatro. Continuar a ler

No dia 11 de Novembro de 1915, morreu Sampaio Bruno (pseudónimo de José Pereira de Sampaio) – (Porto, 30.11.1857 — Porto, 06.11.1915) – Foi um autor extremamente versátil, produzindo uma vastíssima obra de cariz político, religioso e filosófico, e versando temas como o problema da evolução das sociedades humanas, a teoria da ciência e do conhecimento e a ideia de Deus. Oriundo de uma família da pequena burguesia, filho de pai mação, iniciou a sua atividade jornalística aos 14 anos, adotando nessa altura o pseudónimo Bruno (em homenagem ao renascentista Giordano Bruno), ao qual permaneceria fiel durante toda a vida. Continuar a ler

No dia 29 de Novembro de 1969, morreu António Alves Redol – (Vila Franca de Xira, 29.12.1911 – Lisboa, 29.11.1969) – Romancista e dramaturgo, filho de um pequeno comerciante ribatejano, obteve um curso comercial, conheceu em Angola a pobreza e o desemprego e desenvolveu em Lisboa várias actividades profissionais. Militante do partido comunista e empenhado na luta de resistência ao regime salazarista, compreendeu a literatura como forma de intervenção social, sendo um dos seus primeiros romances, Gaibéus, considerado um dos textos literários fundadores da narrativa neo-realista. Continuar a ler