Estâncias termais: Termas e Caldas em Portugal

 

«Os registos arqueológicos mais antigos que se conhecem em Portugal e que confirmam o culto dos povos ancestrais pela água, localizam-se no distrito de Braga, sendo anteriores ao período céltico. Como exemplo de explorações de águas nos tempos proto-históricos podemos citar os vestígios encontrados em Vizela.

A utilização das águas termais no território português é pois muito anterior à fundação da nacionalidade. Povoados construídos nas imediações de fontes ou de nascentes termais tomaram a designação de “caldas”, “caldelas”, “termas” ou simplesmente “banhos”, de acordo com o período histórico em que tal designação se estabeleceu.

Com o Império Romano muitas fontes já existentes foram aproveitadas e melhoradas. Ainda hoje se podem encontrar restos arqueológicos desta época junto às termas actualmente mais frequentadas de Portugal: Chaves (antiga Aquae Flaviae), Canavezes, Caldas da Saúde, Cabeço de Vide, Caldelas, S. Vicente, S. Jorge, S. Pedro do Sul (antigas Caldas de Alafões), Monchique, Arêgos, Caldas da Rainha, Caldelas ou Taipas, entre outras. São igualmente bem conhecidas de todos nós as ruínas de Conímbriga (próximas de Coimbra).

A história do desenvolvimento dos estabelecimentos balneares e da utilização das águas em Portugal está pois frequentemente associada à cultura romana. São particulares testemunhos os aquedutos construídos para o transporte das águas e as reminiscências de elementos arquitectónicos nos antigos balneários romanos. A cultura romana marca a utilização das águas por uma acrescida vertente de carácter social que assim se junta à anterior componente essencialmente de saúde, decorrente da cultura grega. Roma consagra uma perspectiva multidimensional ao termalismo, simultaneamente de saúde e de lazer, em que a interacção social desempenha um importante papel como factor sinergicamente lúdico e terapêutico. (…)

O verdadeiro “boom” do Termalismo em Portugal vai ocorrer já nos séculos XIX e XX, em sintonia com o resto da Europa. A aristocracia e a burguesia urbanas de então não dispensavam no final do Verão uma ida às Termas. Era modas instalarem-se, por vezes famílias inteiras, nos sumptuosos hotéis que no princípio do século passado povoavam estâncias termais como o Luso, Vidago, S. Pedro do Sul ou Pedras Salgadas.

A este período de autêntica prosperidade do Termalismo nacional e europeu seguiu-se o declínio; uma longa travessia no deserto. Surge a era da terapêutica farmacológica. A guerra também não havia ajudado. A moda da praia ocupa a dimensão lúdica da procura termal.» Fonte

A seguir, listamos as Termas e Caldas existentes em Portugal, com indicação das respectivas indicações terapêuticas e patologias.

 

Termas

Termas de Alcafache

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Reumatologia e doenças músculo-esqueléticas

Termas de Almeida Fonte Santa

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Tratamento de doenças do aparelho respiratório, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.

Termas das Caldas de Aregos

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Tratamentos de balneoterapia para reumatismos e afecções do trato respiratório, Músculo-esqueléticos, Dermatológicos.

Termas de Cabeço de Vide

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Doenças osteo-articulares e reumatismais crónicas. Doenças crónicas e alérgicas das vias respiratórias superiores e inferiores. Doenças crónicas e alérgicas da pele.

Termas das Caldas da Rainha

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Artrose, Reumatismos Inflamatórios (Artrite Reumatóide, Espondilite Anquilosante, etc.), Gota, Sequelas Pós-Traumáticas, Sinusites, Rinites Crónicas, Hipertróficas e Atróficas, Laringite Crónica, Bronquite Crónica, Asma Brônquica.

Termas de Caldelas

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Doenças do Aparelho Digestivo: Alterações do trânsito intestinal: diarreia e obstipação; Patologias crónicas do intestino: síndrome do cólon irritável, doença de Crohn, colite ulcerosa; Dispepsia: dores abdominais, azia, enfartamento, flatulência; Discinesia: doenças da vesícula e das vias biliares. Doenças do Aparelho Músculo-Esquelético: Patologia dolorosa: cervicalgias, dorsalgias, lombalgias e ombro doloroso; Patologias reumáticas: artrite reumatoide, espondilite, conectivites ; Patologia degenerativa: artroses; coluna, ancas, joelhos, mãos e pés. Doenças das Vias Respiratórias: Rinite; Sinusite; Bronquite; Asma; Amigdalites; Otites; Alergias.

Termas do Carvalhal

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Doenças Reumatológicas e Músculo-Esqueléticas; Doenças de Pele; Doenças das Vias Respiratórias e Doenças do Aparelho Digestivo.

Termas de Chaves

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Patologias músculo-esqueléticas, Patologias do aparelho digestivo, Patologias cardio-ciruclatórias, Patologias das vias respiratórias

Termas do Cró

Indicações Terapêuticas: Doenças músculo-esqueléticas e reumáticas (Osteoartrose, Reumatismos Inflamatórios e abarticulares (ombro doloroso, nevralgias e ciatalgias), Artropatias traumáticas e Pós-operatório Ortopédico). Doenças do foro respiratório / ORL (Rinite, Sinusite, Bronquite, Faringite, Laringite, Asma Brônquica, DPOC). Doenças de pele e patologias dermatológicas (psoríase, eczema, úlceras varicosas, acne).

Termas da Curia

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Doenças metabólico-endócrinas, Cálculos e infecções urinárias, Hipertensão arterial, Doenças reumáticas e músculo-esqueléticas

Termas de Entre-os-Rios

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: A água mineral natural é captada a 120m 18º de profundidade, o que lhe garante estabilidade bacteriológica e físico-química. Doenças do aparelho respiratório doenças do aparelho locomotor, reumático e músculo-esquelético.

Termas do Estoril

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: As suas propriedades terapêuticas estão indicadas na prevenção e tratamento das patologias: Respiratórias (Asma, rinite, sinusite, faringite, laringite e bronquite crónicas), Doenças Músculo-Esqueléticas e degenerativas osteo-artículares (coluna e membros), Inflamatórias (artrite, espondilite), Fibromialgia e recuperação pós-traumática de fracturas, Luxações e entorses, Doenças Dermatológicas (Dermatoses alérgicas e psoríase).

Termas das Furnas

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Eczema, Reumatismo, Artrite, Poliartrite Reumatismal, Hipertensão Arterial, Nevralgia Ciática, Artrose, Reumatismo Poliarticular, Sinusite, Faringite, Rinite Alérgica, Stress, Espondilite, Poliartrite, Psoríase, Perturbações Circulatórias, Reumatismo Deformante, Acne, Nevrite, Reumatismo Crónico, Bronquite, Dermatite, Escoliose da Coluna, Espondilose, Afecções Vasculares, Dispepsias Gástricas, Gastrites Crónicas, Afecções Catariais das Vias Respiratórias (de fundo alérgico).

Caldas do Gerês

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Alguns séculos de experiência, demonstraram que o seu efeito é especialmente eficaz no tratamento das seguintes patologias: Fígado, Vesícula, Obesidade, Diabetes, Hipertensão arterial.

Termas de Ladeira de Envendos

Indicações Terapêuticas e respectivas patologias: Doenças de pele (psoríase, eczemas, úlceras varicosas, acne); Sistema Osteoarticular (artroses, artrites, lombalgias, outras doenças reumatismais); Sistema Respiratório (rinite, sinusite, faringite, bronquite).