Feira das Cantarinhas ou do 3 de Maio – Bragança

 

A Feira das Cantarinhas é uma das mais antigas e tradicionais feiras que continua a realizar-se na cidade de Bragança [Trás-os-Montes], nos primeiros dias de Maio. Uma feira anual que é uma das tradições mais emblemáticas da cidade

Se recuarmos no tempo, as origens desta tradição encontram-se na época medieval e quase só são conhecidas na tradição oral, devido à escassez de documentos escritos que relatem este acontecimento. No entanto, sabemos que as primeiras cartas de feira foram concedidas entre os séculos XIII e XV pelos monarcas com o objetivo de atrair gentes para a região transmontana.

“Em Bragança temos notícia da primeira feira em 1272 pois D. Afonso III lhe deu carta de feira anual e que deveria começar a 16 de julho e continuar por quinze dias completos. Com D. Fernando, em 1383, a feira passou a ser de trinta dias, confirmada depois por D. João I, com trinta dias, com tanto que se fizesse em tempo que não faça prejuízo às outras feiras que se fazem darredor na comarca. Outras feiras e com outras formulações continuaram a acontecer nesta região e, de facto, as feiras contribuíam para a chegada de produtos novos a esta cidade. Alguns produtos raros e caros como o foram o açúcar, a canela e a erva doce.” 1

A Feira das Cantarinhas estará, porventura, ligada ao ciclo das colheitas, quando os trabalhadores iam para os campos e a cantarinha (originária da aldeia de Pinela) serviria para levar a água para matar a sede. O significado da feira está também relacionado com “rituais de sedução” próprios da Primavera, em que, segundo a tradição, quem queria namorar teria de procurar a cantarinha mais bonita da feira para oferecer à alma gémea.

Este evento tem, pois, como principal característica a comercialização de cantarinhas de barro que, outrora, serviram para acompanhar os trabalhadores, no campo, com água fresca, e que agora são utilizadas para adorno das casas transmontanas. Diz a tradição que trazem sorte a quem as adquire e leva para casa. As pequenas cantarinhas, que deram nome e fama à Feira, são das peças de louça de barro de Pinela mais conhecidas na atualidade.

Assim, as típicas cântaras de barro de Pinela passaram a simbolizar a feira do 3 de Maio, que posteriormente se passou a designar de Feira das Cantarinhas.

Atualmente, os produtos que podemos encontrar são muito diversificados e primam pelo facto de serem essencialmente produtos regionais, em que temos desde o artesanato, produtos agrícolas, gastronomia, mel, entre outros, que advêm não só das aldeias do concelho de Bragança, como também de outros concelhos do distrito e do país. Também nesta feira aparecem as primeiras cerejas, vendidas em pequenos ramos, e o renovo (hortaliças de várias qualidades prontas a serem plantadas).

A Feira das Cantarinhas conta com um número de feirantes que quase atinge várias centenas, vindos dos mais diversos pontos do país, e comercializando os mais variados produtos.

Fazer da Feira do Artesanato de Bragança um ponto de venda, de demonstração de artes e de negociação são alguns dos objetivos, quer da organização do evento, quer dos artesãos que, durante cinco dias, expõem os seus artigos na capital do distrito. Esta iniciativa conta já com um número de participantes (artesãos/expositores) que ultrapassa várias dezenas (alguns da vizinha Espanha). A maior parte dos artesãos são da região, mas muitos vêm de vários pontos do país, trazendo a esta Feira uma variedade enorme de produtos.

Fontes: CM de Bragança (adaptado) | 1 Website