Fins-de-semana Gastronómicos – Maio 2018

Provérbio ou ditado popular: “Fiandeira não ficaste, pois em maio não fiaste”. Conheça outros provérbios sobre os meses do ano.

 

Fafe – 11, 12 e 13 de Maio

A vitela assada projetou a gastronomia fafense por todo o país, sendo a coroa de glória dos comeres locais. Na verdade, já no último quartel do século XIX, José Augusto Vieira escreveu que “é afamada a vitela de Fafe”. O autor de “O Minho Pitoresco” enaltece, por mais do que uma vez, a “deliciosa vitela, que torna Fafe uma celebridade entre os amadores da carne tenra e branca.”

O que pedir nos restaurantes aderentes: Vitela Assada à Moda de Fafe | Doces de Gema

 

Maia – 11, 12 e 13 de Maio

A Maia faz parte integrante do Douro Litoral, respira história, modernidade, negócios e eventos culturais e desportivos. Reconhecida pelo prestígio dos seus restaurantes, foi em tempos fornecedor dos frescos da cidade do Porto. É nestes autênticos “templos gastronómicos” que se podem degustar diversas especialidades como o “Bacalhau à Lidador”, a “Vitela Assada” e o “Cabrito à Maiata”.

Nesta edição incluímos como petisco uma receita inspirada no nosso receituário tradicional (bolo de sardinha) os queques de sardinha, da blogger maiata Teresa Rebelo do Lume Brando. Na doçaria, são conhecidos os afamados “Lidadores”, o Leite-creme, os “Biscoitos da Maia”, o Pão-Doce, a Aletria, mas as Rabanadas terão, este ano, um papel de destaque.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Queques de Sardinha | Vitela assada na brasa | Rabanadas

 

Paredes de Coura – 11, 12 e 13 de Maio

A gastronomia é uma expressão de cultura e de bem viver. Os saberes e sabores tradicionais evidenciam os produtos locais de que o Homem dispunha para a sua alimentação, os modos e as formas que foi apurando para os tornar mais úteis, mais saborosos e agradáveis.

Paredes de Coura possui um vasto e rico património gastronómico, assente em produtos naturais e ecológicos de um sã economia rural. Destacamos a truta do rio Coura, os deliciosos enchidos, as carnes de cabrito, anho e de cachena criados nos nossos montes, assim como a mítica batata da Boalhosa e a saborosa couve-galega. Toda esta variedade de pratos regionais e de cozinha tradicional torna-se um deleite para o nosso palato.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Cozido à Moda de Coura | Formigos/Rabanadas de Coura

 

Peso da Régua – 11, 12 e 13 de Maio

Situado em plena Região Demarcada do Douro, Peso da Régua oferece uma experiência única da comunhão entre as vinhas construídas a pulso pelos Homens e o Rio Douro, porta de entrada num território Património da Humanidade.

Aqui pode deliciar-se com Tripas com arroz branco, acompanhadas por um vinho branco, leve e aromático, ou um tinto, quente e aveludado, finalizando com um doce leite-creme.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Tripas | Leite-creme

 

Boticas – 18, 19 e 20 de Maio

A Carne Barrosã – DOP, as Trutas à Moda de Boticas, o Cabrito de Barroso – DOP, o Mel de Barroso – DOP e o “Vinho dos Mortos” constituem os ex-libris da gastronomia local.

A Aguardente de Mel, a Batata de Trás-os-Montes – IGP, conhecida por “castanha da terra”, e os cogumelos silvestres, cujas variedades são maioritariamente comestíveis, são também riquezas gastronómicas deste concelho.

Os pratos de caça e o pão de centeio, cozido nos fornos comunitários, completam o menu desta cozinha barrosã.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Alheira de Boticas | Trutas à Moda de Boticas | leite-creme à Barrosã

Ponte da Barca – 18, 19 e 20 de Maio

Ponte da Barca é um concelho que preserva, orgulhosamente, o seu património, no que toca a gastronomia. Neste território podemos encontrar o mais tradicional sabor, fruto da utilização dos mais variados e ricos produtos da região para a confecção das mais diversas especialidades.

Merecem destaque o Cabrito da Serra Amarela, as Papas de Sarrabulho, o Arroz de Sarrabulho, a Posta Barrosã, o Sável e a Lampreia. Nos doces, podemos destacar o Leite-creme, as Rabanadas de Mel que, com facilidade, se podem encontrar nas ementas dos restaurantes. Destacamos, também na doçaria, as Queijadas de Laranja e os Magalhães, concebidos em homenagem ao navegador com raízes barquenses.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Pataniscas de Bacalhau | Posta Barrosã | Rabanadas de mel

S. João da Madeira – 18, 19 e 20 de Maio

A história desta cidade está relacionada com a indústria do calçado e da chapelaria, como é nos dias de hoje reconhecida pela sua criatividade e inovação. É neste contexto que surge uma tradição gastronómica em S. João da Madeira relacionada com as formas da nossa indústria, aliando a alguns sabores tradicionais com a cenoura e o coelho, alusivos à indústria chapeleira. Apresentamos as Gastroformas!

O que pedir nos restaurantes aderentes: Gastroformas: Cloche | Gastroformas: Sapato | Gastroformas: Chapéu

Resende – 25, 26 e 27 de Maio

Nas encostas de uma paisagem fértil, rasgadas pelas águas do rio Douro, pastam, por lameiros e prados, os anhos que serão imolados sobre o arroz. Trata-se da carne tenra do cordeiro de leite que, depois de preparada com ingredientes que lhe irão conferir particular sabor, é cozinhada no tradicional forno a lenha, acompanhado com arroz e batata assada.

Para sobremesa, propomos as já afamadas Cavacas de Resende. A cavaca de Resende é uma fatia de pão-de-ló, húmida, com uma coroa doce a lava, conferida pela cobertura de açúcar e farinha que, delicadamente, só a mão hábil da doceira de Resende lhe pode proporcionar.

Poderá, ainda, degustar as cerejas, o produto de excelência da nossa região. Iguarias da nossa região que farão com toda a certeza a delícia de quem nos visita, acompanhadas do melhor vinho, que pode ser um maduro do Douro ou um Verde das encostas do Montemuro.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Diversos petiscos | Anho Assado em forno a lenha | Cavacas de Resende

Santa Maria da Feira – 25, 26 e 27 de Maio

Uma visita a Santa Maria da Feira não fica completa sem um passeio pelo centro histórico, onde se pode degustar as célebres Fogaças da Feira, ícone da doçaria regional e produzidas diariamente em várias casas de fabrico de “Indicação Geográfica Protegida”.

Com a aproximação do “Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua”, deleite-se com o nosso ex-libris gastronómico, símbolo da secular “Festa das Fogaceiras”, e aproveite para degustar nos principais restaurantes da cidade “Menus Imaginarius”, extremamente criativos e originais com recurso aos produtos endógenos e distintivos de Santa Maria da Feira.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Tapas de Queijos Feirenses | Menus IMAGINARIUS | Tigelada de Fogaça com Mirtilos

 

Fonte: Brochura do Turismo do Porto e Norte de Portugal