Em Janeiro, datas comemorativas

Dia 01 – Dia Mundial da Paz – Santa Mãe de Deus

Inicialmente designado apenas como Dia da Paz, o Dia Mundial da Paz foi criado por proposta do Papa Paulo VI, o qual, numa mensagem divulgada no dia 8 de Dezembro de 1967, sugeriu que este dia fosse celebrado sempre no primeiro dia de cada ano civil (1 de Janeiro), com início no ano de 1968. Desde então, esta celebração nunca deixou de se realizar.

Na sua mensagem para o primeiro Dia Mundial de Paz (1 de Janeiro de 1968), o Papa Paulo VI afirmou: “Dirigimo-nos a todos os homens de boa vontade, para os exortar a celebrar o Dia da Paz, em todo o mundo, no primeiro dia do ano civil, 1 de Janeiro de 1968. Desejaríamos que depois, cada ano, esta celebração se viesse a repetir, como augúrio e promessa, no início do calendário que mede e traça o caminho da vida humana no tempo que seja a Paz, com o seu justo e benéfico equilíbrio, a dominar o processar-se da história no futuro“.

Dia 04 – Dia Mundial do Braille

Com o objetivo de despertar a atenção da sociedade para os problemas dos cidadãos invisuais, celebra-se no dia 4 de janeiro, o Dia Mundial do Braille. O método de Braille, inventado por Louis Braille, que é um novo alfabeto para cegos, também aplicado à música, à estenografia e ao cálculo, modificando preponderantemente a educação dos mesmos.

Louis Braille nasceu no dia 4 de Janeiro de 1809, em Coupvray, a cerca de 40 km de Paris (França), filho de Simon-René Braille, fabricante de arreios e selas. Faleceu no dia 6 de Janeiro de 1852, também em Paris, devido à tuberculose.

Inventor. Aos 3 anos, quando brincava com uma ferramenta na oficina do pai, esta escapa-se-lhe e atinge-o no olho esquerdo; logo uma infecção atinge-o também no olho direito, deixando-o completamente cego (1812). Em 1819, ganhou uma bolsa para o “Institut Royal des Jeunes Aveugles de Paris” (Instituto Real de Jovens Cegos de Paris). Estudou piano e violão. Foi professor e compositor., tendo escrito livros para facilitar o ensino. Em 1824, com Foucault, inventou um sistema de leitura para cegos, inspirado num método do Capitão de Artilharia reformado, Charles Barbier, para ler mensagens no escuro. Em 1829 publicou o sistema de leitura para cegos que tem o seu nome.

Dia 06 – Dia de Reis

Dia 08 – 1º Dia do Oitavário pela Unidade dos Cristãos

Anualmente, entre o dia 18 de Janeiro (dia em que se celebrava a antiga festa da Cátedra de São Pedro) e o dia 25 de Janeiro (festa da Conversão de São Paulo), a Igreja Católica dedica oito dias a uma oração mais intensa para que todos aqueles que creem num único Senhor, Jesus Cristo, cheguem a fazer parte da única Igreja fundada por Ele.

Em 1897, o papa Leão XIII, através da Encíclica Satis cognitum, dispôs que fossem consagrados a esta intenção os nove dias que vão da Ascensão ao Pentecostes. No ano de 1910, São Pio X transferiu a celebração para as actuais datas: 18 a 25 de Janeiro.

«A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos propriamente dita encontra as suas raízes no Oitavário pela Unidade da Igreja, iniciado em 1908 por Paul Watson a que Paul Couturier, a partir de 1935, deu um novo impulso, sob o nome de Semana Universal de Oração pela Unidade dos Cristãos. A partir de 1968, porém, a Semana deu um passo assinalável, passando a ser assumida e preparada pelas diversas confissões cristãs, mediante o trabalho conjunto da Comissão Fé e Constituição (Conselho Mundial das Igrejas) e do Secretariado para a Promoção da Unidade dos Cristãos, hoje Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos (Igreja Católica Romana)(in JN – 2011-01-16)

Dia 15 – Dia Mundial do Compositor

O Dia Mundial do Compositor nasceu com o objectivo de lembrar e homenagear todos os compositores, vivos e já falecidos, os quais, através da música e com a sua arte e engenho, contribuem para o fluir das emoções humanas.

«A música é sempre manipuladora das mais íntimas sensações – individuais ou coletivas – e de todo o mecanismo das emoções. A música eleva, inspira, comove; mas também pode deprimir, agitar, conturbar. Cabe ao compositor traçar caminhos. E o fará através do domínio da técnica, do estilo, da estética

Dia 21 – Dia Mundial da Religião

Este dia celebra-se desde 1949, por sugestão da comunidade bahá’i, uma religião surgida na Pérsia, no século XIX. Este dia pode e deve ser encarado como uma oportunidade de reflexão sobre a importância das religiões, particularmente na formação das civilizações.

Dia 23 – Dia Mundial da Liberdade

A liberdade é um valor e um direito comum a todo o ser humano, que lhe permite determinar o seu futuro e as suas opções de vida, através de escolhas verdadeiramente livres, sem pressões ou constrangimentos de qualquer tipo.

Não nos podemos esquecer o que afirma a Declaração Universal dos Direitos HumanosTodos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.” (artigo 1º) e que “Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação.” (artigo 2º)

Dia 27 – Dia Internacional de Memória das Vítimas do Holocausto

O Dia Internacional de Memória das Vítimas do Holocausto foi instituído pelas Nações Unidas em 2005, e a escolha recaiu sobre o dia 27 de Janeiro, porque foi na data desse dia de 1945 que o Exército Soviético vitorioso chega a Auschwitz-Birkenau, o maior e o mais mortífero centro de extermínio do III Reich. Auschwitz foi o primeiro campo de concentração a ser libertado pelos Aliados e o único onde a máquina de morte funcionou a todo o vapor até ao final de 1944.

Dia 27 – Dia Mundial dos Leprosos

No último Domingo do mês de Janeiro de cada ano, celebra-se o Dia Mundial dos Leprosos, instituído pela ONU, em 1954, a pedido de Raoul Follereau, o Apóstolo dos Leprosos do século XX.

Raoul Follereau (1903/1977) dedicou mais de 50 anos da sua vida à promoção do tratamento e cura, à reabilitação e reinserção dos doentes afectados pela lepra, em todo o mundo, defendendo a sua dignidade e os seus direitos à vida em igualdade de circunstâncias a quaisquer outros doentes.

A Lepra é uma doença dermatológica, infecciosa, crónica que atinge as pessoas pelo contágio, em especial as mais frágeis que sofrem de desnutrição, falta de água potável e baixos padrões de higiene. Raoul Follereau chamava à lepra a filha primogénita da pobreza.

Quando a Lepra é diagnosticada e tratada atempadamente, evita-se a formação de úlceras, a afectação do sistema nervoso periférico, a produção de lesões graves nos pés, nas mãos e evitar a cegueira.

Visite o site da Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau.

Dia 28 – Dia Europeu da Protecção de Dados

Dia 30 – Dia Escolar da Não Violência e da Paz