Julho, o sétimo mês do ano

Julho deriva do latim Julius, em homenagem a Júlio César (por decreto publicado por Marco António), reformador do calendário, nascido a 12 deste mês, no ano 101 antes de Cristo. No primitivo calendário romano era denominado quintilius, por ser o quinto mês do ano que começava em Março. É o sétimo mês desde os calendários juliano e gregoriano, com 31 dias.

Entre as antigas festividades celebradas neste mês, são notáveis os Jogos de Neptuno, os Apostinários, os do Circo e os Minervaes.

No dia 28 oferecia-se a Ceres um sacrifício de vinho e mel, e depois matavam-se alguns cães ruivos em honra de Canicula, para afastar os calores violentos.

Na antiguidade, Julho era representado por um mancebo nu, de tez bronzeada pelo Sol, com cabelos ruivos cheios de espigas, tendo na cabeça uma coroa de espigas e no braço um cabaz de amoras, já que é neste mês que os agricultores recolhem grande parte das suas sementeiras.

Em Roma, os arrendamentos das casas começavam e acabavam nas Calendas de Julho (primeiro dia do mês).

No antigo Egipto celebrava-se neste mês a festa da inundação do Rio Nilo, pela fertilidade que trazia.

Julho era para os atenienses, na antiga Grécia, o primeiro mês do ano, nele se celebrando grandes festas.

Em Julho aconteceram, no século XVIII, dois acontecimentos políticos de extrema importância: a Independência dos Estados Unidos da América, a 4 de Julho de 1767, e a Revolução Francesa, a 14 de Julho de 1789.

 

Da natureza e efeitos do Signo de LEÃO

(23 de Julho a 22 de Agosto)

Este signo é de natureza de fogo, quente e seco em demasia: é masculino, diurno e fico, porque estando o Sol no dito signo, o calor será fixo e firme; no qual tempo as coisas vigorosas se destroem e secam. Entra o Sol neste signo comumamente a 22 de Julho e até que sai diminui o dia uma hora.

O varão que nascer debaixo da influência deste signo será bem disposto, de boa presença, altivo e de grande ânimo, denota que será atrevido, arrogante, eloquente; e que, se se aplicar às letras, será muito sábio e letrado, alcançará algumas dignidades, ou cargos e que verá muitas terras; e se casar terá que passar, por ter herança por parte de sua mulher. Finalmente, denota que terá um perigoso golpe de ferro e que padecerá algum tempo no mar e será venturoso nos negócios e em algum tempo. Padecerá seis enfermidades por todo o decurso da sua vida e aos quarenta anos uma muito perigosa, da qual, se se livrar, lhe promete este signo setenta e um anos de vida.

Se for fêmea será formosa, terrível e forte. Denota que será molestada de dores de estômago, que será muito amante da honra e virá a possuir muita fazenda. Finalmente, será caridosa para com os pobres, está em perigo de padecer fluxo de sangue; terá algumas enfermidades pelo demasiado sangue que sempre terá e que viverá, conforme sua natureza, setenta e um anos.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Superstições e crendices no mês de Julho

Para os nascidos neste mês as flores da sorte são os nenúfares, plantas aquáticas de água doce com grandes folhas e flores flutuantes. Crescem em água de pouca corrente e são cultivadas principalmente em lagos de jardim. Há nenúfares com flores brancas, amarelas ou vermelhas, que abrem ao nascer do Sol, para se fecharem ao entardecer.

As pedras preciosas que proporcionam felicidade quando oferecidas às pessoas no seu aniversário em Julho são os rubis, símbolo de satisfação. O rubi é um mineral cristalizado, de cor vermelha de sangue e brilho intenso, mais duro que o aço sendo só superado em dureza pelo diamante. Os rubis de valor médio são empregues no fabrico de mancais para relógios e em instrumentos de precisão.

Os agricultores acreditam que se neste mês se ouvirem os primeiros trovões do ano, denota carestia de pão, e abundância de frutos onde eles se ouvirem.

Crença popular – Casado em Julho com as flores ardentes, recordações agridoces durante vários dias.

Provérbios:

– Julho fresco, pouco vinho no teu copo.
– Julho é o mês das colheitas, Agosto o mês das festas.
– Em Julho quente, seco e ventoso, trabalha sem repouso.
– Julho fusco (fresco), Inverno chuvoso, Estio perigoso.
– Aí por Santa Marinha (dia 18), visita a tua vinha: tal a achares, tal será a vindima.