Noites sem dormir | Saúde e bem-estar

 

As pessoas mais idosas têm menos capacidade de dormir de forma contínua. Tanto podem dormir sete horas seguidas, como acordar várias vezes durante a noite. Há várias causas para esta situação.

– Vida menos ativa: gasta-se menos energia.

– Sesta longas: dormir à tarde dificulta o sono à noite.

– Consumo de bebidas alcoólicas, café e tabaco: são substâncias estimulantes.

– Doenças como a depressão e a ansiedade, Alzheimer ou Parkinson, asma ou incontinência urinárias também não permitem uma noite tranquila de sono seguido.

– Alguns medicamentos podem, também, afectar a qualidade do sono.

Não dormir o suficiente, em qualidade e quantidade, prejudica o dia-a-adia e a qualidade de vida. Diminui a concentração, a atenção e a memória, aumenta sonolência durante o dia, torna os movimentos mais lentos e menos firmes, o que pode causar problemas de equilíbrio e aumentar o risco de quedas e outros acidentes. Além disso, quem dorme mal tem maior tendência a sentir-se ansioso e deprimido.

Poderá gostar de ler sobre Saiba o que deve comer para dormir bem.

 

Rotinas para um bom sono:

– Mantenha um horário certo para se deitar e levantar, tendo em atenção o número de horas de sono adequadas, nem mais nem menos do que o necessário.

– Evite sestas superiores e 90 minutos durante o dia.

– Vá para a cama só quando tiver sono.

– Durma num local calmo e confortável.

– Evite falar ao telefone ou ver televisão antes de dormir.

– Faça uma refeição leve à noite, e evite bebidas com cafeína, como o chá ou café.

– Deixe de fumar.

– Evite beber demasiados líquidos à noite, para prevenir idas à casa de banho durante a noite.

– Se não conseguir adormecer passados 30 minutos de estar deitado, levante-se, dedique-se a uma atividade calma, como ler, e volte ao quarto apenas quando sentir sono.

Se mesmo com estes cuidados, sentir que não consegue ter qualidade de sono e que o está a afectar no dia-a-dia, consulte o médico.

Fonte: Revista Saúda | Imagem de destaque