Novembro é o mês dos magustos

Novembro deriva do latim November ou Novembris, que significa nono mês, lugar que ocupava no primitivo calendário romano, composto de 10 meses. Depois, na reforma operada por Numa Pompílio, com o acrescento dos meses de Janeiro e Fevereiro, passou a ser o 11º mês, embora conservasse até hoje o nome inicial. O Imperador Romano Cómodo, cerca do ano 185 da nossa era, tentou mudar-lhe o nome para Exaperatorius, mas tal tentativa não prevaleceu.

No primitivo calendário romano, este mês tinha 30 dias, passando a ter apenas 29 na reforma de Numa Pompílio. Mais tarde, Júlio César ordenou que passasse a ter 31 dias, e desde o reinado do Imperador Augusto até hoje voltou a ter 30 dias.

Na antiga civilização romana, o mês de Novembro era o menos importante em festas, pois era ocupado em arar a terra e semear, não havendo tempo para descanso. Mais tarde, por volta do ano 220 antes de Cristo, já encontramos muitas festividades neste mês, entre as quais as chamadas Festas Neptunas, em honra de Neptuno, deus dos mares, e as Festas Plebeias, que celebravam a reconciliação dos patrícios e do povo, e que duravam três dias.

De 21 a 24 de Novembro celebravam-se as chamadas Brumas ou festividades do Inverno.

A 27 deste mês faziam-se sacrifícios mortuários aos manes (almas) dos antigos gaios ou gauleses (franceses de hoje) e que depois de vencidos, haviam sido sepultados vivos num dos mercados de Roma.

Novembro era representado pela figura de um homem coberto por um manto variegado de verde e preto, coroado de perpétuas e empunhando um molho de nabos e cenouras. Este é o mês em que, por todo o país, se realizam os magustos.

Conheça algumas das superstições, crenças e tradições relacionadas com o mês de Novembro.

No dia 1 de Novembro, a Igreja Católica celebra a Solenidade de Todos os Santos, e, no dia 2, a Comemoração dos Fiéis Defuntos.

Sobre este assunto:

No dia de Todos os Santos, a Igreja Católica celebra a santidade dos cristãos que se encontram no Céu, para mostrar a todos os fiéis a vocação universal de todos para a felicidade eterna, pois “Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. Todos são chamados à santidade: ‘Deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito’ “(Mt 5,48) (CIC 2013).

Já a comemoração dos Fiéis Defuntos (ou Dia de Finados) não deve ser um dia de tristezas e lamúrias, mas sim uma ocasião para transformar as nossas saudades em forças de intercessão pelos fiéis defuntos, particularmente pelos que foram da nossa família ou nossos amigos.

Neste dia, a Igreja lembra o conselho de São Paulo para as primeiras comunidades cristãs: “Não queremos, irmãos, deixar-vos na ignorância a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais como os outros que não tem esperança” ( 1 Tes 4, 13). Para continuar a ler…

 

Da natureza e efeitos do Signo de SAGITÁRIO

(22 de Novembro a 21 de Dezembro)

Este signo é figurado por um centauro que está atirando setas, o qual representa os efeitos que causa o Sol, ao tempo que anda juntamente com este signo, que é lançar-nos chuvas, geadas, trovões e raios. É de natureza do fogo, quente e seco; é masculino, diurno e comum no Outono e Inverno. Entra o Sol neste signo a 22 de Novembro e desde que entra até que sai diminue o dia uma hora.

O varão que nascer debaixo da subida deste signo será vergonhoso, afável, honesto e venturoso: será inclinado a navegar, por onde virá ter fazenda e padecerá dano por animal quadrúpede; e terá algumas enfermidades: a primeira aos sete anos, outra aos dezoito e outra aos vinte e oito; e viverá, conforme sua natureza, sessenta e sete anos.

Se for fêmea denota que será imaginativa, temerosa e vergonhosa e alcançará riquezas e será de grande governo. Finalmente, assim o homem, como a mulher, serão inconstantes, mudáveis, ainda que misericordiosos e de boa consciência. Denota-lhe uma enfermidade aos quatro anos, outra aos vinte e dois e outra aos trinta: promete-lhe, conforme sua natureza, cinquenta e sete anos de vida.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Superstições e crendices no mês de Novembro

Para os nascidos neste mês as flores da sorte são os crisântemos, cultivados há mais de 2500 anos na China e no Japão, onde as flores e folhas são, também, usadas como alimento. Chegou ao Ocidente no século XVII. O seu nome deriva da combinação do prefixo grego chrys, que significa dourado (a cor das flores originais) e anthemon, que significa flor. Floresce no fim do Outono. Havia a superstição de que uma única pétala desta flor, colocada no fundo de uma taça de vinho, oferecia uma vida longa e saudável.

As pedras preciosas que proporcionam felicidade quando oferecidas às pessoas no seu aniversário em Novembro são os topázios, símbolo de jovialidade. Do topázio diz-se que significa dinheiro e amigos e, como tal, é tido como uma pedra de sorte. Há topázios de diversas cores, sendo as mais típicas a cor de vinho ou amarelo claro.

Os agricultores acreditam que se neste mês se ouvirem os primeiros trovões do ano, significa que haverá abundância de trigo, andará bom o tempo e choverá com proveito, e as frutas cairão das árvores antes do tempo, onde se ouvirem esses trovões.

 

Crença popular – Casado entre os véus da neblina de Novembro, a fortuna beijou a tua aliança de matrimónio.

 

Provérbios sobre o mês de Novembro:

– Em Novembro põe tudo a secar, pode o Sol não voltar.
– Novembro é quente no começo e frio no fim.
– Em Novembro, e no mês do Advento, racham as fragas com a água e com o vento.
– Novembro, pelos Santos, nove nos campos.
– Em dia de São Martinho (11), lume, castanhas e vinho.
– De Todos-os-Santos ao Santo André (dia 30), um mês é; de Santo André ao Natal, três semanas.