O que semear na horta em Novembro

Couve-galega – A Couve-galega é uma couve tradicional portuguesa de extraordinária beleza e versatilidade. A origem da Couve-galega é muito antiga e o estatuto de “Rainha das Couves” em Portugal não se deve ao acaso. Esta imponente couve, vigorosa e muito produtiva, é uma das couves que mais se aproxima da couve espontânea e selvagem.

Trata-se de uma variedade que possui importantíssimas propriedades medicinais e nutricionais, e uma notável aliada na prevenção de doenças. Na gastronomia, esta maravilhosa couve é a responsável por nos proporcionar aquele delicioso caldo verde de que tanto gostamos.

Nabiças de grelo – A Nabiça é uma planta herbácea, bienal cultivada como anual, com sistema radicular aprumado, carnudo, que pode assumir diversas formas consoante as cultivares, podendo a raiz, ter coloração uniforme ou bicolor, sendo o branco e o roxo as cores mais vulgares. As folhas de Nabiça são de cor verde médio a escuro, rugosas, ásperas, pubescentes e dispostas em roseta durante a fase vegetativa do ciclo. As flores são amarelas, agrupadas numa haste floral. A espécie possui polinização alogâmica. O fruto das Nabiça é uma síliqua. O ciclo cultural tem a duração de cerca de 40 a 60 dias na Primavera e Verão e 90 a 100 dias no Inverno.

Em geral, as sementes de Nabiças cultivam-se em local definitivo desde meados da Primavera até meados do Outono. Em geral, as sementes de Nabiças cultivam-se em local definitivo desde meados da Primavera até meados do Outono. Para saber mais

Nabo redondo – «O nabo é um vegetal com um teor energético muito baixo, que supõe aproximadamente 27 kcal/100g. Contém uma grande quantidade de água, chegando até ao 92%, fazendo que seu teor em carboidratos, lípidos e proteínas não será muito significativo. Fornece somente um 0,1% de gordura e um 0,9% de proteínas, enquanto que os carboidratos chegam ao 4%.

De seu teor em mineral destacaremos o potássio por ser encontrado em maior proporção, seguidamente pelo magnésio, cálcio, ferro, sódio e fósforo. E em menor proporção, embora não seja o menos importante, encontraremos quantidades apreciáveis de zinco. Quanto ao fornecimento de vitaminas, encontraremos quantidades significativas de todas, exceto de vitamina B12 e de vitamina A e E. Destacaremos a vitamina C por ser encontrada em maior proporção, seguidamente em ordem decrescente dos folatos, vitamina B6, niacina, vitamina B1 e B2.

O nabo não é um alimento que tenha uma longa tradição de alimento ou de planta medicinal, embora tenha sido usado desde há milhares de anos como alimento básico em toda a Europa. Por isso, lhe contaremos algumas patologias para as que tradicionalmente foi considerada útil o consumo do nabo, como são por exemplo: a Gota, a Obesidade e o Hipertiroidismo.» Para saber mais

Rabanetes – «O rabanete é uma hortaliça anual de raiz, cultivada desde a Antiguidade e consumida no mundo todo por seu sabor adocicado, refrescante e picante. Ele pertence à família Brassicaceae, a mesma da couve, do nabo, da mostarda e do agrião.

Com poucas calorias, os rabanetes são fontes de antioxidantes, eletrólitos, minerais, vitaminas e fibras. Graças às suas propriedades, têm ação no combate ao cancro de próstata, cancro de mama, do cólon e cancros do ovário. Por serem ricos em vitamina C, atuam no combate aos radicais livres, inflamações e ainda aumentam a imunidade. Ajuda ainda na digestão dos amidos graças à enzima diatase.

As folhas e as raízes são consideradas, juntas, excelentes calmantes, diuréticos, mineralizantes, alcalinizantes, tônicos para os músculos, antiescorbúticos, aperientes e eupépticos. Seus antioxidantes ajudam a reduzir os níveis de colesterol no sangue e, por isso, reduz também os níveis de risco de doença cardíaca e de ataques cardíacos. A raiz também é estimulante da produção de bilis, melhorando a digestão e, por ser rico em fibras, ajuda a eliminar a prisão de ventre.

Aos diabéticos, a raiz traz benefícios, pois tem baixos índices glicémicos, podendo ser consumida sem preocupação. Além disso, é eficaz àqueles que querem perder peso, pois reduz o inchaço, melhora o funcionamento intestinal e traz sensação de saciedade.»

ErvilhasPisum sativum popularmente chamada de ervilha é uma planta da qual existem mais de duzentas variedades, e de suas vagens são extraídos diversos tipos de grãos.

As ervilhas são ricas em sais minerais como o cobre, o cálcio, o potássio, o fósforo, o enxofre e o ferro, e ainda possuem vitaminas K, E, A, B e C.

Possuem ação como anti-inflamatório, antioxidante, entre outras que contribuem para o combate às doenças do coração, radicais livres e envelhecimento precoce, anemia, osteoporose, atuando ainda no fortalecimento dos ossos e da visão e atuando como um cicatrizante. Ajudam a diminuir os níveis de colesterol ruim e de açúcar no sangue, além de serem ricas em fibras: além de regularem o funcionamento intestinal, ajudam no emagrecimento por promover a saciedade. Possuem um nível muito baixo de calorias, controlam a liberação de açúcar – o que o faz ser um alimento ideal para diabéticos – e fornecem energia. Devido à presença da vitamina C, agem, ainda, estimulando o sistema imunológico e prevenindo o cancro.

Favas – Fava é a denominação de um ou mais espécies de plantas da família das Fabaceae, em especial da espécie Vicia faba. Ao contrário do feijão, a fava tem como característica encontrar-se a sua radícula numa das pontas espalmadas e não ao centro.

A fava é uma leguminosa tendo, no geral, uma composição nutricional muito semelhante a outros alimentos deste grupo. Além do elevado teor em proteína de origem vegetal, a fava é rica em amido, um tipo de hidrato de carbono complexo, que proporciona ao organismo níveis de energia estáveis por um período de tempo considerável. É também rica em ferro, vitaminas do complexo B, magnésio, potássio, zinco e fósforo.

A fava é também uma das leguminosas mais ricas em fibra, apresentando 5,8g deste nutriente por 100g de fava, sendo apenas ultrapassada pelo feijão branco. Além disso, o seu elevado conteúdo de fibra, à semelhança de outros alimentos com esta característica, faz com que o consumo de fava nas quantidades recomendadas tenha efeito positivo na redução dos níveis das substâncias gordas no sangue (colesterol sanguíneo e triglicéridos), na regulação do apetite e no funcionamento do trânsito intestinal.

SalsaA Salsa (Petroselinum sativum)é uma planta herbácea, formando uma roseta de folhas muito divididas, e o seu sabor é suave tornando-a numa das mais populares ervas aromáticas. A salsa é bastante resistente a flutuações da temperatura. O seu sabor é suave tornando-a numa das mais populares ervas aromáticas, é universalmente utilizada como tempero de imensos pratos. É usada em sopas, molhos, pratos de carne, de peixe, de marisco, omeletas e massas.

A salsa é um poderoso diurético, curando a retenção de água no organismo, sendo recomendada para pedras nos rins, reumatismo e cólicas menstruais. A clorofila encontrada nesta planta é também um bom remédio para evitar o mau hálito (halitose). A salsa contém mais vitamina C que qualquer outro vegetal da nossa culinária (166mg por 100g). Isto é três vezes mais do que uma laranja. Fonte 

 

Saiba que frutos e legumes ou hortaliças devem consumir em Novembro, por ser a melhor época para os consumir.

 

Alguns dos textos foram elaborados com base em informações retiradas de diversos site e adaptados.