Os cães e as crianças | Saúde e bem-estar

 

Num artigo anterior, falou-se sobre “O poder dos gatos: segredos que podem ajudar”. Hoje, vamos apresentar um texto sobre os cães e as crianças.

“Os animais transmitem conhecimentos básicos sobre o crescimento, a saúde, a higiene, a alimentação, a reprodução, a vida e a morte.

O cão é uma animal de companhia com estatuto de elemento familiar que, desde cedo, melhora o controlo de condutas emocionais, sociais e cognitivas, e aumenta o bem-estar psicológico e físico da criança.

Que benefícios podem existir na interacção?

Os benefícios da companhia de um cão numa criança são imensos: aumenta a sua autoestima e a sua capacidade de concentração, reduz o stress (acariciar um animal diminui a pressão sanguínea, deixando um sentimento de tranquilidade), promove o contacto físico, desenvolve a capacidade de regular as emoções favorecendo a demonstração de afetos e a capacidade de expressar sentimentos e transmite ensinamentos como o respeito e a aceitação do outro.

Riscos associados

Se o relacionamento entre ambos for salutar, o cão pode ser visto como uma figura que colabora na educação da criança. Antes de tomar esse passo de permitir que o seu filho, por exemplo, estabeleça uma relação como o seu parceiro de aventuras, é muito importante estar consciente da forma natural de relacionamento entre crianças e cães para assim poder tomar as medidas necessárias e evitar situações de risco.

Por exemplo:

– Para uma criança pequena, com 2-3 anos de idade, empurrar, agarrar e atingir um cão com objetos é a forma natural de se relacionar com ele;

– Um cachorro com 1-4 meses de idade tende em perseguir qualquer coisa que se mexa, e a forma que tem de brincar é morder, fazendo-o sem consciência da sua força;

– Uma criança com 3-4 anos tende a acariciar os cães, sem noção do controlo da força com que o faz;

– Os cachorros entre os 4-6 meses jogam a morder e a rasgar;

– As crianças entre os 5-6 anos, geralmente, gostam de abraçar, torcer e manusear os cães. Embora os benefícios obtidos nas relações entre crianças e cães sejam inúmeras, existem riscos que é necessário prevenir.

O cão transmite sempre às crianças que as ações provocam reações.

O animal reage ao carinho, abana o rabo, salta e afasta-se se for maltratado. Cuidar da limpeza do seu habitat, da sua alimentação, dividir o lanche e medicá-lo favorece o vínculo afetivo e ajuda a lidar com os mais diversos sentimentos, da alegria à frustração.”

Texto de Pedro Paiva, Especialista em comportamento animal (Revista H, nº34)