Setembro é o mês das vindimas e das ceifas

Setembro deriva do latim Septembris ou September, palavras que significam sétimo mês. Na realidade, nos primitivos calendários romanos, era o sétimo mês, já com 30 dias.

Assim, como foi mudado os nomes dos 5º e 6º meses para Julho e Agosto, que passaram a ser assim denominados em homenagem a dois imperadores romanos (Júlio César e César Augusto), também os imperadores Tibério, Germânico, Antonino, Herculeu e Tácito tentaram que o 7º mês (Setembro) passasse a ser chamado pelos seus respectivos nomes.

A posteridade, porém, nenhuma delas consagrou, retomando, assim, o antigo nome de Setembro, muito embora, desde a reforma de Numa Pompílio, este mês passasse a ser o 9º (em vez do 7º) do ano.

No dia das Calendas de Setembro era prestada homenagem a Júpiter, no seu templo no Monte Capitolino, a fim de se obter um Inverno benigno e favorável à germinação das plantas. No dia das Nonas de Setembro (dia 5) começavam os grandes jogos romanos, que tiveram o seu início no ano 386 de Roma, e que duravam quinze dias.

Estes jogos eram celebrados em honra de Júpiter, Juno e Minerva, protectores da cidade de Roma, e consistiam em corridas, lutas, ginástica e teatro.

Os romanos consagraram-no a Vulcano, deus do fogo, e era considerado o primeiro mês do Inverno.

Setembro tinha, para a antiga Roma, importantes recordações históricas: no dia 7, Tito conquistou a cidade de Jerusalém; no dia 20 nasceu Rómulo, o fundador de Roma e seu primeiro rei; no dia 22 do ano 19 antes de Cristo, morreu o poeta Virgílio; no dia 23 Octávio Augusto, e no dia 30 nasceu Pompeu.

Setembro passou a nono mês desde o ano 46 antes de Cristo, mantendo os 30 dias que sempre teve.

Este mês era representado pela figura de um homem vestido de púrpura e coroado de cachos de uvas, com algumas espigas numa das mãos e uma balança na outra, símbolos das ceifas e das vindimas.