Setembro é o mês das vindimas e das ceifas

Setembro deriva do latim Septembris ou September, palavras que significam sétimo mês. Na realidade, nos primitivos calendários romanos, era o sétimo mês, já com 30 dias.

Assim, como foi mudado os nomes dos 5º e 6º meses para Julho e Agosto, que passaram a ser assim denominados em homenagem a dois imperadores romanos (Júlio César e César Augusto), também os imperadores Tibério, Germânico, Antonino, Herculeu e Tácito tentaram que o 7º mês (Setembro) passasse a ser chamado pelos seus respectivos nomes.

A posteridade, porém, nenhuma delas consagrou, retomando, assim, o antigo nome de Setembro, muito embora, desde a reforma de Numa Pompílio, este mês passasse a ser o 9º (em vez do 7º) do ano.

No dia das Calendas de Setembro era prestada homenagem a Júpiter, no seu templo no Monte Capitolino, a fim de se obter um Inverno benigno e favorável à germinação das plantas. No dia das Nonas de Setembro (dia 5) começavam os grandes jogos romanos, que tiveram o seu início no ano 386 de Roma, e que duravam quinze dias.

Estes jogos eram celebrados em honra de Júpiter, Juno e Minerva, protectores da cidade de Roma, e consistiam em corridas, lutas, ginástica e teatro.

Os romanos consagraram-no a Vulcano, deus do fogo, e era considerado o primeiro mês do Inverno.

Setembro tinha, para a antiga Roma, importantes recordações históricas: no dia 7, Tito conquistou a cidade de Jerusalém; no dia 20 nasceu Rómulo, o fundador de Roma e seu primeiro rei; no dia 22 do ano 19 antes de Cristo, morreu o poeta Virgílio; no dia 23 Octávio Augusto, e no dia 30 nasceu Pompeu.

Setembro passou a nono mês desde o ano 46 antes de Cristo, mantendo os 30 dias que sempre teve.

Este mês era representado pela figura de um homem vestido de púrpura e coroado de cachos de uvas, com algumas espigas numa das mãos e uma balança na outra, símbolos das ceifas e das vindimas.

 

Da natureza e efeitos do Signo de BALANÇA

(23 de Setembro a 22 de Outubro)

Este signo é figurado por uma balança com dois pratos de pesos iguais, significando a igualdade que tem os dias com as noites, entrando o Sol neste signo; e aqui se constitue e tem princípio o segundo equinócio. É signo masculino, diurno e movível, porque entrando o Sol nele, fenece o estio e começa o Outono. É de natureza de ar quente e húmido e imprime calor e humidade. Entra o Sol neste signo a 23 de Setembro e desde que entra até que sai diminue o dia uma hora e meia.

O varão que nascer debaixo do domínio desde signo, será honrado e venturoso no que empreender e cuidadoso em servir aos amigos. Denota que será inclinado a ir a terras estranhas, aonde lhe irá melhor que na sua pátria e será homem de bom entendimento. E finalmente terá com que passar a vida, suposto padecerá infortúnios e trabalhos.

Se for fêmea será alegre e muito afável e terá alguma queimadura nos pés e padecerá algumas enfermidades. Denota que será inclinada a peregrinar e andar pelo mundo.

Ao varão denota uma enfermidade aos seis anos, outra aos treze e outra aos trinta e cinco, da qual, se se livrar, mostra o tal signo, conforme sua natureza, setenta e sete anos de vida e à fêmea sessenta e seis.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

Superstições e crendices no mês de Setembro

Para os nascidos neste mês as flores da sorte são os ásteres, cujo nome deriva do grego aster, que significa estrela. Os ásteres são plantas do exterior e plantam-se na Primavera ou Outono. Há cerca de 500 espécies, sendo três delas espontâneas em Portugal. São muito cultivados como ornamentais. As flores, semelhantes às margaridas, são geralmente raiadas, pelos tons entre o branco, cor-de-rosa e azul.

As pedras preciosas que proporcionam felicidade quando oferecidas às pessoas no seu aniversário em Setembro são as safiras, símbolo de arrependimento. Há-as nas cores azul, rosa, verde, amarelo e branco, sendo a mais valiosa na cor-de-rosa alaranjado. O anel de casamento de lady Diana Spencer e Carlos, Príncipe de Gales, era um anel de safira.

Os agricultores acreditam que se neste mês se ouvirem os primeiros trovões do ano, denotam ser o princípio do ano seco, e no fim húmido.

Crença popular – Casado, no fulgor dourado de Setembro, com suavidade e serenidade a tua vida se escoará.

Provérbios:

– Em Setembro, cara de poucos amigos e manhãs de figos.
– Setembro, revolver; Outubro, semear; em Dezembro nasce um menino para nos salvar.
– Lua Nova setembrina, sete luas determina.
– Em Setembro, palha ao palheiro e meninas ao candeeiro.
– Lua Nova de Setembro travejada, trinta dias é molhada.