Sobre nós | Calendários

Sobre nós

O website Calendários.Info é um projecto da Equipa do Portal do Folclore Português, que pretende disponibilizar informação diversificada e que poderia estar incluída num qualquer calendário, anuário ou agenda, assumindo-se como um ALMANAQUE digital.

É nossa intenção que os internautas obtenham informações – em permanente atualização – sobre o tema “calendários”: história dos calendários de várias civilizações, datas importantes, anos, meses, dias, festividades, efemérides, anotações religiosas (calendário litúrgico, principais festas e romarias), feiras tradicionais, etc.,

Também sobre factos históricos, personagens e individualidades, de modo a constituir-se como um instrumento de divulgação de iniciativas e acontecimentos atuais e não só.

Diversas informações sobre assuntos relacionados com o calendário agrícola – o que fazer ao longo do ano, em cada mês, na horta, no campo, no jardim, com os animais, etc. – terão o devido destaque!

Não poderemos esquecer a divulgação de eventos, acontecimentos ou iniciativas que reputamos de interesse para todos.

Esperamos que seja do seu interesse… e volte sempre, pois será sempre bem vindo(a)!

 

A invenção do Almanaque

Diz-se que a invenção do Almanaque foi atribuída aos chineses, embora a própria palavra indique uma origem árabe: “al-manaj“, que era o nome de um quadrante solar que servia para medir o tempo.

Os Almanaques modernos datas da invenção da Imprensa (em Portugal, o primeiro terá sido escrito por Abraão Zacuto, em 1473), e eram redigidos por astrónomos e médicos que procuravam dar a conhecer as variações astronómicas e as receitas para o tratamento das enfermidades mais comuns. A tudo isso se juntavam previsões meteorológicas para orientar as fainas agrícolas. Mais tarde, apareceram os conselhos de higiene, calendários civil e litúrgico, marés, cotações, medidas e numerosas outras indicações que se consideravam ser de utilidade geral, nomeadamente, as informações sobre o horóscopo individual (os signos do Zodíaco).

E, assim, o Almanaque transformado em agenda, calendário, folhinha, repertório ou borda d’água, variava de ano para ano o seu próprio texto, aumentando-o e aperfeiçoando-o, conforme o gosto e as necessidades dos leitores a que se destinava.

Calendário antigo em metal