Sobre os antibióticos – quando a cura mata!

 

Cerca de 25 mil pessoas morrem na Europa, todos os anos, por causa da resistência microbiana aos antibióticos, um problema evitável.

 

Antibióticos

– Só podem ser adquiridos com receita médica;

– Tratam infecções causadas por bactérias;

– Não tratam doenças causadas por vírus, como as gripes e as constipações;

– Não tratam doenças causadas por fungos e parasitas;

– O uso incorrecto dos antibióticos – falhas de tomas, doses inadequadas, interrupção do tratamento – é o principal responsável pela resistência.

 

Resistência

As bactérias são organismos com grande capacidade de adaptação ao meio envolvente. Isto significa que, perante a exposição repetida e/ou incorrecta aos antibióticos, algumas tornam-se resistentes. Os riscos são vários:

– Pode ser necessário tomar doses superiores de antibióticos para curar a doença;

– O antibiótico pode passar a fazer menos ou nenhum efeito;

– Pode ter de se mudar para um antibiótico diferente, mais forte, para obter o mesmo efeito;

– A possível propagação a outras pessoas das bactérias resistentes, quer no meio hospitalar que na comunidade;

– Maior dificuldade em descobrir antibióticos capazes de eliminar estas bactérias;

– O ressurgimento de doenças graves já consideradas controladas, como a tuberculose, e em formas mais graves e difíceis de tratar.

 

Bom uso

– Tome antibióticos apenas quando receitados pelo médico;

– Respeite as indicações médicas: horários de toma, doses, duração do tratamento;

– Não os tomes por iniciativa própria ou por conselho de terceiros;

– Não tome sobras de tratamentos anteriores, mesmo que a doença pareça a mesma;

– Nunca interrompa o tratamento, mesmo que se sinta melhor. Se o fizer, estará a reduzir a eficácia do antibiótico e terá de voltar ao início.

 

Previna-se de infecções

– Lave as mãos com frequência. Esfregue-as bem com água e sabão;

– Lave bem os dentes, principalmente após as três principais refeições;

– No caso de feridas, mantenha-as limpas e protegidas até cicatrizarem;

– Tenha as vacinas em dia.

 

Fonte: Revista Saúda – nº 27 | Jan 18