Valença vai entregar imagem de S. Teotónio ao Papa

 

A imagem do Santo vai ser exposto e benzido na igreja onde Teotónio foi batizado.

Valença vai entregar uma imagem de S. Teotónio ao Papa Francisco, no Vaticano, na próxima quarta-feira, 24 de outubro. A imagem de São Teotónio, primeiro santo português, vai passar a estar presente, pela primeira vez, na Galeria dos Santos, no Vaticano.

A imagem de São Teotónio vai ser levada, para o Vaticano, por uma delegação de Valença constituída pelo Arcipreste, presidentes da Câmara e Assembleia Municipal, presidente da Junta de Ganfei e pelo deputado valenciano Luís Campos Ferreira. A delegação valenciana vai ser recebida pelo Papa Francisco, em audiência, na próxima quarta-feira, 24 de outubro, às 10h.

Imagem exposta em Ganfei

A imagem de São Teotónio, que vai ser entregue ao Papa Francisco, será benzida e exposta na celebração eucarística de domingo, 21 de outubro, às 10h, na Igreja Paroquial de Ganfei, na igreja onde São Teotónio foi batizado.

Promover a figura ímpar de São Teotónio

Este ato insere-se no trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Valença no sentido de promover a figura e o legado daquele que é considerado a figura maior do concelho e uma referência para a fundação de Portugal.

1º Santo Português – O Inspirador e Protetor da Nacionalidade.

Para Portugal, São Teotónio é o primeiro santo; para a Cristandade, o padroeiro dos cristãos escravizados; para Valença, a figura maior; para os primeiros tempos da nacionalidade, o homem que deu força espiritual à fundação do país.

Nasceu em 1082 na freguesia valenciana de Ganfei e faleceu em Coimbra a 18 de Fevereiro de 1162. São Teotónio é o primeiro santo português, celebrado como o reformador da vida religiosa. Conhecido como padroeiro dos cristãos escravizados, por ter amparado 1000 moçárabes, capturados numa incursão à Andaluzia por D. Afonso Henriques.

 

Síntese biográfica de São Teotónio

Prior do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra (Ganfei, Valença do Minho, c.1080 – Coimbra, 18.02.1162)

Veio para Coimbra em 1092, quando seu tio D. Crescónio tomou conta desta diocese; à morte deste (1098) foi para Viseu, onde recebeu a ordenação sacerdotal e de cuja Sé já era prior em 1110. No regresso da sua segunda peregrinação à Terra Santa, começou a fazer parte da comunidade do Mosteiro de Santa Cruz, constituída em 24.02.1132, sendo eleito, por unanimidade, seu primeiro prior. Em breve transformou esse mosteiro no mais importante centro religioso e cultural do país. Doente e cansado, renunciou ao priorado em 24.02.1152, continuando, porém, a colaborar no governo do mosteiro.

É patrono principal de Viana do Castelo e de Viseu e padroeiro secundário da cidade de Coimbra. Venera-se a 18 de Fevereiro [Feriado Municipal em Valença, concelho a que pertence a freguesia onde nasceu].

Fonte: O Grande Livro dos Portugueses. Círculo dos Leitores