XIX Fórum Ecuménico Jovem 2017

Vai realizar-se, no próximo dia 4 de Novembro, no Auditório Vita e no Seminário Menor da Arquidiocese de Braga, o XIX Fórum Ecuménico Jovem 2017 (FEJ) com o tema «Eis que faço novas todas as coisas» (Ap. 21, 5).

A organização da atividade ecuménica é da responsabilidade dos Departamentos Juvenis das Igrejas Católica Romana, Lusitana, Metodista e Presbiteriana, que pretende, em conjunto, “dar continuidade à celebração do 500 anos da Reforma, procurando colocar em evidência os dons espirituais por ela trazidos”.

O Fórum Ecuménico Jovem nasceu com o objetivo comum de pensar o trabalho ecuménico com os jovens através de representantes dos departamentos juvenis de várias das Igrejas cristãs com presença histórica em Portugal que se reuniram pela primeira vez no Seminário de Leiria, em 1999, quando foi criada uma equipa ecuménica juvenil.

Um ano antes, muitos dos que integravam esse grupo representaram Portugal na segunda Assembleia Ecuménica Europeia, celebrada na cidade austríaca de Graz, na Áustria.

Segundo o programa divulgado, o encontro dos jovens cristãos em Portugal começa às 09h30, com o acolhimento, uma hora depois são as boas-vindas aos participantes e às 11h00 a celebração inicial.

Às 11h30 está previsto um painel dedicado à Reforma com o tema «Reforma há 500 anos… E hoje?» “com espaço de debate”.

O almoço é partilhado e entre as 14h30 e as 16h30 os jovens vão participar em workshops criativos que vão “abordar as grandes intuições da Reforma”: «A Palavra; A Fé; O Dom de Deus (Graça); Cristo, Senhor e Salvador; Louvor».

Com o tema «Eis que faço novas todas as coisas», o XIX FEJ termina com a Festa de Cristo que vai integrar os momentos criativos produzidos nos workshops seguido do gesto do envio é às 17h30.

Não é necessária inscrição para participar e basta aparecer em Braga no dia 4 de novembro e levar algo para partilhar no almoço.

Localização XIX Fórum Ecuménico Jovem 2017: Seminário Menor/Centro Pastoral – Rua de S. Domingos, 94-B, Braga [Auditório Vita e Seminário da Senhora da Conceição]

Fonte

A propósito da Reforma Protestante

«No século 16, na Europa central, foi iniciado um movimento de renovação da Igreja cristã denominado Reforma Protestante. Já no final da Idade Média vários fatores contribuíram para que isso ocorresse: a formação dos Estados Nacionais ou as modernas nações europeias, com toda a descentralização política e com príncipes limitando a autoridade do Imperador e com forte tensão entre o Estado e a Igreja.

O poder do papado entrou em declínio, ocorreram confrontos com reis, divisões entre os próprios clérigos e a necessidade de reforma. Houve um Grande Cisma e até mesmo 3 papas rivais em lugares diferentes, de 1378 a 1417. O movimento Conciliar buscou solução para a crise numa tentativa fracassada de democratizar a Igreja e governa-la por meio de concílios. Os movimentos dissidentes na França acarretaram forte oposição e a Inquisição fora oficializada em 1233.

Nos séculos 14 e 15 alguns movimentos esporádicos de protestos surgiram contra os ensinos e práticas da Igreja medieval e alguns líderes foram chamados de pré-reformadores: João Wycliff (1325-1384), João Huss (~1372-1415) e Jerônimo Savonarola (1452-1498), por combaterem irregularidades e imoralidades do clero, condenar superstições, peregrinações, veneração de santos, celibato e as pretensões papais. Também outros movimentos romperam com a Igreja, os movimentos devocionais como o misticismo, a Devoção Moderna dos Irmãos da Vida Comum. Também nasceu o interesse em estudar as obras da Antiguidade pelos Renascentistas e isso levou alguns “humanistas bíblicos” ao estudo da Bíblia nas línguas originais.»

Continuar a ler…