XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras 2018

 

Já começou a contagem decrescente para a realização do XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras, que vai acontecer, entre os dias 13 a 16 de Novembro de 2018, em Cascais, no Centro de Congressos do Estoril.

O Município de Cascais candidatou-se à realização deste Congresso Internacional, propondo o tema: “Cidade, Pertença das Pessoas: Caminhos para a Coesão Social na Cidade”. Esta é uma temática que envolve o compromisso das cidades para a Coesão Social, a partir das pessoas e dos seus sentimentos de pertença ao município.

Este Congresso vai ser um momento onde se pretende a renovação de olhares e sentires sobre a aprendizagem através da partilha de boas práticas, conscientes que só desta forma conseguimos tornar o Mundo num lugar Melhor, e durante o qual os participantes vão poder conhecer e debater 131 propostas de experiências ou boas práticas, essencialmente inovadoras, distribuídas pelos 3 Eixos do Congresso, originárias de 14 Países / 74 Cidades.

1º Eixo

Desenhar a Cidade a partir das Pessoas, das suas necessidades e aspirações

O direito à cidade é um direito real de reconfigurar a cidade de outra maneira, de a adequar mais às nossas necessidades e desejos coletivos e assim mudar os nosso quotidianos, de redesenharmos as práticas arquitetónicas (por assim dizer), para encontrar uma forma alternativa de podermos continuar a ser simplesmente humanos(Harvey,  David. Educação e Vida Urbana: 20 anos das Cidades Educadoras, 2008)

2º Eixo

A convivência para o sentimento de pertença

A Cidade Educadora ao melhorar a cidadania democrática, a concertação e participação dos cidadãos recria “o conceito de cidadão como sujeito da política urbana em permanente renovação através da sua atitude participativa(Pozo, Educação e Vida Urbana: 20 anos das Cidades Educadoras, 2008 p.30)

3º Eixo

A Cidade para as Pessoas e os seus projetos de vida

Pretende-se que cada pessoa que vive na cidade se sinta realmente ponto de atenção do conjunto da cidade e, principalmente, dos seus representantes democráticos; que se sinta sujeito de direitos de cidadania como pessoa com possibilidade real de desenvolver, a todo o momento e em pleno, as suas capacidades(Pozo, Educação e Vida Urbana: 20 anos das Cidades Educadoras, 2008)

Conheça o Programa completo do XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras.

 

Sobre a Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE)

Movimento criado em novembro de 1990, que conta atualmente com 485 cidades associadas, 70 das quais portuguesas, em 36 países. Tem como objetivo estreitar as relações entre os governos locais para a promoção do valor educativo do espaço urbano, fomentando políticas e intervenções públicas transformadoras das cidades em espaços propícios para o desenvolvimento humano e cidadão, em conformidade com os princípios da Carta das Cidades Educadoras. Saber mais

 

Carta das Cidades Educadoras

Estabelece os princípios orientadores do planeamento para a promoção de uma cidade educadora. Baseia-se na Declaração Universal dos Direitos do Homem e prioriza, paralelamente às funções tradicionais de uma cidade (económica, social e política), a formação e o desenvolvimento de todos os seus habitantes, com uma vontade decidida de incorporar pessoas de todas as idades numa formação ao longo da vida e ocupar-se, prioritariamente, com crianças e jovens.

Para conhecer, na íntegra, a Carta das Cidades Educadoras.

 

Com a colaboração da Capital Europeia da Juventude – Cascais 2018, o XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras integra a participação de um grupo de cerca de 80 jovens oriundos de 11 países da Rede, que irão, em simultâneo debater os grandes temas do Congresso.

Conheça aqui o Manifesto da Infância que integra testemunhos das Crianças de Cascais sobre o que é uma Cidade Educadora (trabalho realizado no âmbito do Dia Internacional das Cidades Educadoras 2017).