A Revolução Francesa – Breve síntese

A Revolução Francesa

A Revolução Francesa, que rebentou em 1789, não só transformou o governo de França como também abalou toda a Europa e levou a algumas mudanças nas ideias de governo.

As causas

Em 1789, a França encontrava-se mergulhada em dívidas por causa de dispendiosas guerras e era mal governada por uma elite da nobreza, que vivia no luxo, enquanto muitos pobres morriam de fome.

Então, e na iminência de uma bancarrota total, Luís XVI decidiu convocar os Estados Gerais, um parlamento nacional que não se reunia desde 1614.

Este parlamento era composto pelos três «estados»:

– trezentos nobres,

– trezentos clérigos

– e seiscentos comuns.

Cada «estado» tinha direito a um voto, o que queria dizer que a nobreza e o clero dispunham da maioria. Assim, os «comuns» formaram uma Assembleia Constituinte, destinada a conseguir uma nova Constituição para a França.

A violência das massas

Luís XVI planeou dissolver a Assembleia, o que provocou a fúria da população de Paris, que assaltou a fortaleza-prisão da Bastilha em 14 de Julho de 1789. Como consequência, o rei foi obrigado a ceder e a Assembleia pôs em prática muitas reformas.

A República

Luís conspirou com os seus aliados da Áustria e da Prússia, e em Junho de 1791 tentou fugir do país. Foi capturado e levado de volta para Paris. Seguiu-se uma guerra com a Áustria e a Prússia, em Abril de 1792.

Em Agosto, a população de Paris atacou o rei no Palácio das Tulherias, massacrando os guardas e aprisionando-o.

A vitória francesa contra os Prussianos na batalha de Valmy encorajou os revolucionários. Reuniu-se uma nova assembleia, a Convenção Nacional, que declarou abolida a monarquia e instaurou a república em 21 de Setembro.

Morte e terror

Dentro da Convenção, o poder passou para um grupo político, os Girondinos, que mandou julgar e executar Luís, por traição.

Durante 1793, um grupo ainda mais extremista, os Jacobinos, apoderou-se do poder. Os Girondinos foram executados e uma Junta de Segurança Pública governou o país, encabeçada por Maximiliano de Robespierre.

Sob a sua influência, todos os suspeitos de oposıção ao novo regime eram executados, num banho de sangue conhecido por «Período do Terror».

Em Julho de 1794 o próprio Robespierre foi acusado e guilhotinado, e o Terror desapareceu gradualmente.

Em 1795 foi eleita uma nova assembleia de duas câmaras, e a ordem voltou lentamente à França.

Fonte: História – Resposta a Tudo | Imagem de Wynn Pointaux

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.