Actividades agrícolas e outras em Fevereiro

Mais actividades agrícolas em Fevereiro

Nos olivais

Concluída a colheita das azeitonas, proceda à mobilização do solo, à profundidade de 0,20 a 0,30m, com lavoura ou escarificação razoável para que fique em condições óptimas de armazenar a água da chuva.

Continue com a poda. Limpe troncos e pernadas de musgos e líquenes, aplicando-lhes uma calda ferro-cálcica.

Instalação de viveiros.

Nas matas

Semeie ainda matos com giestas, piorno e tojo que são excelentes para camas de gado, adubos verdes, para pastos e para defesa de terrenos inclinados.

Nos pinhais, continue o corte de madeiras e a colheita de pinhas.

Inicie a resinagem.

Nos currais

Forneça às vacas leiteiras suplementos alimentares (concentrados ou cereais).

Após o parto, durante os primeiros 8 a 10 dias, devem alimentar-se especialmente de palhas ou fenos com inclusão de algumas verduras.

Nos apiários

Dum modo geral, as obreiras iniciam por toda a parte a faina da colheita, pelo que se deve dedicar muita atenção à vida do comeal.

Faltando mel ou pólen, temos de fornecer quaisquer dos substitutos que são: xarope de açúcar, farinhas de centeio e leguminosas comestíveis.

Obras de Fevereiro

conforme Paládio, in “Lunário Perpétuo”, de 1901

Na Lua crescente de Fevereiro se costuma semear linho no regadio; e se podem semear alguns legumes, melões, pepinos, mostarda, abóboras para temporão;

enxertar pereiras, macieiras, e outras árvores semelhantes; plantar loureiros, heras e murtas;

transplantar laranjeiras, limoeiros, álamos e ciprestes; pôr bacelos e mergulhias, e enxertá-las em terras temperadas.

No minguante de Fevereiro apanham-se as canas de vimes para fazer cestos e para obras grossas, posto que é melhor que se cortem no minguante de Janeiro;

podem-se podar as vinhas, e cavá-las, em parreiras, fazer valados, podar as árvores tardias, ver as colmeias, quando não fizer mau tempo.

Se neste mês se ouvirem os primeiros trovões do ano, denota muita geada, e pouca fruta.