A água e as fontes no imaginário popular

A água é considerada um símbolo da vida e da pureza. Ela é referida em inúmeras passagens da Bíblia a começar pelo Génesis. O seu carácter purificador está patente no ritual do baptismo através do qual se anuncia uma vida nova.

Da mesma forma que o poço está associado à ideia de sabedoria e a água à sede do conhecimento. De resto, trata-se de um elemento comum a todas as religiões e culturas.

As mouras encantadas das lendas

As mouras encantadas, porém, não surgiam somente junto dos poços e fontes. Frequentemente, elas habitavam grutas e necrópoles, castros e mamoas, consoante as características da região no que respeita a locais de interesse histórico.

Aparecem por vezes sob a forma de serpente e, na Idade Média, transfiguraram-se em bruxas e “damas-de-pé-de-cabra”.

Pela mística de que se revestem, as bocas dos poços passaram a ser frequentemente ornamentados com uma cruz sobre o arco de ferro, da mesma forma que encima o espigueiro a proteger o cereal do qual se fará o pão.

A água e as fontes no imaginário popular
Fonte manuelina, em Viana do Alentejo.
A água e as fontes no imaginário popular
Antigo chafariz da Porcalhota, na Amadora.
A água e as fontes no imaginário popular
A fonte de Flor da Rosa, bonita localidade junto ao Crato, no Alto Alentejo.
A água e as fontes no imaginário popular
A imagem mostra a cisterna do castelo de Marvão.

Carlos Gomes, Jornalista, Licenciado em História, texto e fotos

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.