Algarve – Terra de paixões e de encantos sem fim!

Algarve – As serras e o interior

O interior do Algarve Central de Silves a Tavira, do Barrocal à Serra, é uma área com vários atractivos a descobrir.

Praias à parte, vale mesmo a pena rumar ao interior e explorar as serras de Monchique, Espinhaço de Cão e do Caldeirão.

O objectivo é apenas um: descobrir um Algarve diferente, onde as gentes vivem em harmonia com os sabores e saberes da terra.

Geologicamente, Monchique não tem relação com o meio que a rodeia e a sua flora é singular no panorama algarvio.

Parece uma serra dentro de outra serra,

– com um cenário de ribeiros que escorrem por entre os vales,

– de cumes onde cresce o medronheiro,

– e de montes onde se erguem carvalhos, pinheiros e castanheiros.

Monchique é um verdadeiro jardim onde se misturam laranjeiras, alecrim, inhame e loendros. Delineada entre a aldeia da Fóia e o cerro da Picota, esta imponente serra é um recanto de clima suave e grande variedade de espécies vegetais, também conhecida pelas águas termais de grande qualidade.

De onde se vê o Alentejo

A aldeia da Fóia, local mais alto da região sul de Portugal, constitui um miradouro natural de onde é possível ver o extenso Alentejo e o infinito horizonte marítimo.

Estamos perante um outro Algarve, de horizontes largos, entre montes ondulados e vales profundos. Também com o verde das florestas de sobreiros, pinheiros, azinheiras, eucaliptos e medronheiros a conviverem equilibradamente com os tons dourados dos campos de trigo e cevada ou os matos escuros de esteva e rosmaninho. Curiosamente, na zona leste, muda a paisagem e surgem as hortas e os pomares.

Ainda mais para leste, impõe-se a Serra de Espinhaço de Cão, cadeia de pequenos cerros que descem até ao mar.

A serra tem encostas repletas de medronheiros e pequenos mas férteis vales onde crescem árvores de fruto e os mais variados legumes. E também é habitada por caça de pequeno porte, predominando a perdiz, o pombo e o coelho.

Mais a sul, os eucaliptos marcam a paisagem que, apesar de tudo, se transforma em magníficos cenários coloridos quando, na Primavera, os campos se cobrem de esteva.

Longe das praias mas perto da natureza, as serras algarvias são uma descoberta a não perder!