Caminhos de Santiago – Caminho Português Interior

Vila Real

Vila Real engloba 20 freguesias e, apesar da natureza urbana da sua sede principal, mantêm muitas das características rurais.

O território é caracterizado por dois tipos de paisagem:

– a zona montanhosa, com as serras do Marão e do Alvão, separadas pelo Vale da Campeã,

– e a zona a sul, onde os terrenos elevados são marcados com vinhas tradicionais.

Existem muitos cursos de água pelo território, mas o Rio Corgo é aquele que mais vale a pena salientar. Ele atravessa Vila Real num vale pequeno e estreito, criando um cenário pitoresco e único!

Esta região, onde Vila Real se eleva a 450m, mostra vestígios de ter sido habitada desde a era do paleolítico.

O primeiro foral medieval foi concedido por D. Afonso III, em 1272. Mas foi só em 1289 que D. Dinis fundou oficialmente a cidade de “Vila Real de Panóias“, que, mais tarde, se tornou a actual Vila Real.

A sua importância nos séculos XVII e XVIII era tão grande que era vista como o centro real da Província de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Hoje em dia, vários brasões antigos em muitas casas são testemunho desse período auspicioso na história de Vila Real.

Mais tarde, a cidade obteve o título de capital da província. Na primeira metade do século XX, dois atos reforçaram o estatuto da cidade:

– a elevação de Vila Real a “Cidade”, em 1925,

– e a criação da diocese, em 1922.

A não perder…

Arte&Cultura: Igreja do Mosteiro de Sã Domingos / Catedral de Vila Real (Século XV), Capela de São Brás (século XIII), Pal´cio de Mateus (século XVIII), Museu de Arqueologia e Numismática.

Natureza: Parque Corgo, Jardim Botânico da Universidade de Trás-os.Montes e Alto Douro, Parque Natural do Alvão (Centro Interpretativo).

Dificuldade: Moderada (pontos difíceis: por volta de Parada de Cunhos, na aproximação da estrada nacional, e a travessia do Rio Corgo em Vilarinho da Samardã).