Cultura e civilização – as diferenças entre os conceitos

De origem latina (onde possui a mesma raiz de cultivo e de culto, adoração), a palavra cultura tem vindo a ser aplicada em diferentes contextos e domínios (nas ciências, nas técnicas, nas letras) derivando de um significado etimológico comum.

Com efeito, originariamente, cultura significa a ação que o Homem realiza quer sobre o seu meio, quer sobre si mesmo, visando uma transformação.

Significado da palavra cultura

Sendo assim, o significado da palavra cultura evoluiu em dois sentidos diferenciados:

– enquanto ação que o ser humano realiza sobre si mesmo, ela pode significar a formação do ser humano como pessoa, isto é, a educação das suas faculdades físicas, intelectuais, morais, religiosas… identificando-se desse modo com o sentido da paideia grega;

– enquanto ação que o ser humano realiza sobre o seu meio, cultura significa o conjunto das técnicas, dos apetrechos/utensilagem, dos conhecimentos e das práticas e usos que ele criou e utiliza para transformar e adaptar a si esse meio.

Por outras palavras, o conjunto dos produtos e atributos das sociedades humanas (e distintivos do género humano, isto é, que não existem nas outras espécies).

Sendo resultado da ação humana, esses produtos e atributos são, por conseguinte, extrassomáticos e transmissíveis, não por hereditariedade biológica mas social.

Cultura e civilização

Como termo aplicável às sociedades humanas e à História, o conceito cultura começou a difundir-se no século XIX, sobretudo com os filósofos alemães, os primeiros a lançarem a polémica sobre o significado dos vocábulos “cultura” e “civilização”, a qual, entre finais do século XIX e princípios do século XX, alimentou acesos debates entre os académicos.

Hoje, pensa-se que, sendo ambas produto do ser humano, a “cultura” é mais do domínio do “ser” (isto é, da formação pessoal, dos valores, da mentalidade), enquanto “civilização” é mais do domínio do “ter” (vida material, técnica e tecnologia, equipamentos, ação sobre o meio).

Cultura é, portanto, substantiva ao ser humano e civilização é adjetiva ao mesmo ser humano; a cultura vai no sentido da transcendência (isto é, da transformação pessoal e interior), enquanto civilização vai mais no sentido da emanação (isto é, resulta do Homem, é feita por ele).

Resumindo, cultura significa o aspeto pessoal e criador da civilização; e civilização constitui o aspeto técnico e material da cultura.

Usando a palavra “cultura” no duplo sentido que atrás lhe demos, nela se incluem produtos da ação humana tão diferenciados como a linguagem falada, as técnicas da escrita, o Direito, as práticas do lazer e festividades, a religião e os rituais religiosos, as conceções sobre o planeta e o universo… e, sobretudo, a arte, sob todas as suas formas e modalidades, já que sendo a arte uma atividade exclusivamente humana, deve tanto aos seus criadores individuais como às sociedades onde eles se integram. E, portanto, um produto cultural por excelência.

Fonte: Ideias&Imagens, História da Cultura e das Artes (10º ano) | Imagem de Kathleen Pirro

 

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.