Breves curiosidades sobre o casamento

Existem, antes, durante e após a celebração de cada casamento, expressões, usos e costumes – verdadeiras curiosidades – com origens diversas e, por vezes, desconhecidas. Mas tudo deve ter, sempre, uma explicação, verdadeira ou não.

Lua-de-mel

A expressão “lua-de-mel” teve a sua origem nos casamentos por captura.

Era assim: um homem apaixonava-se por uma mulher, capturava a amada (muitas vezes contra a sua vontade) e escondia-a durante um mês (de uma lua cheia até outra lua cheia) em algum lugar afastado.

Durante esse período, eles bebiam uma mistura afrodisíaca, adocicada com muito mel, até que ela se rendesse à sua corte.

Daí a expressão “lua-de-mel“.

Buquês e seus significados

Os primeiros buquês de noivas incluíam, não apenas flores, mas também ervas e temperos.

Os mais populares, geralmente com cheiro mais forte, como os alhos, eram usados para espantar os maus espíritos.

As flores tinham, cada uma, o seu significado:

– a hera representava a fidelidade;

– o lírio, a pureza;

– as rosas vermelhas, o amor;

– as violetas, a modéstia;

– as flores de laranjeira significavam a fertilidade e a alegria do casal.

Posição da noiva e do noivo

A razão da noiva ficar sempre do lado esquerdo do noivo tem a sua origem entre os anglo-saxões.

O noivo, temendo um ataque dos dragões e outras ameaças, deixava sempre o braço direito livre para sacar a sua espada.

Aliança

O uso da aliança no casamento aparece na tradição cristã no século XI, em que começou a colocar-se o anel no dedo da mão esquerda (chamado hoje o “anelar“), pois nesse tempo acreditava-se que nesse dedo havia uma veia que ia direita ao coração.

Vestido da noiva

O vestido branco no casamento, hoje adoptado em todo o mundo, veio da Inglaterra do casamento da rainha Vitória, da sua união com o príncipe Alberto.

Foi a rainha quem o pediu em casamento, pois naquela época não era permitido fazer um pedido desses a uma rainha.

Então, a rainha não teve outra alternativa, a não ser ela mesma a pedir o príncipe em casamento.

Flores no caminho

Os antigos romanos tinham o costume de atirar flores à noiva durante o trajecto que ela percorria.

Eles acreditavam que as pétalas fariam a noiva ter sorte e dar carinho ao marido.

O arroz

Há mais de 2.000 anos antes de Cristo, o arroz já era tido na China como símbolo da fartura.

O hábito de atirar arroz aos noivos, após a cerimónia nupcial, data de tempos antigos. A tradição teve origem na China, onde um Mandarim poderoso quis dar provas de vida farta, e fez que o casamento da sua filha se realizasse sob uma “chuva” de arroz.

O véu da noiva

O uso do véu da noiva era um costume da Antiga Grécia.

Foi criado para proteger a noiva do mau-olhado e também dos seus possíveis admiradores.

Fonte: Almanaque Boa Nova – 2008 (texto editado e adaptado)