Os dez países com mais católicos no mundo

 

Há quase dois mil anos, e para cumprir as instruções de Jesus Cristo: «Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for baptizado será salvo; mas, quem não acreditar será condenado.» (Mc 16, 15-16), os seus apóstolos e discípulos deixaram Jerusalém e partiram em várias direções.

Logo a seguir a converter-se ao Cristianismo, Paulo de Tarso tornou-se no Missionário dos Gentios, tendo feito diversas viagens e criado inúmeras comunidades de crentes pelas terras por onde passava.

Depois de ter sido dada a conhecer aos europeus e habitantes do Médio Oriente, a Palavra de Deus foi levada a todas as partes do mundo, particularmente por missionários europeus, muitos dos quais deram a sua vida pela fé em Jesus Cristo.

De um pequeno grupo de fiéis seguidores de Jesus Cristo, a Igreja por ele fundada, “Também Eu te digo: Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Abismo nada poderão contra ela.” (Mt 16, 18) tem, hoje, quase 1,3 milhões de fiéis (a Igreja Católica), sendo que a soma dos fiéis de todos as Igrejas de denominação cristã abrange quase um terço da população mundial.

Saiba quais são os 10 países com maior número de católicos no mundo:

01 – Brasil – 126.880.000 católicos

O país com o maior número de católicos no mundo é o Brasil, os quais constituem 61% da população.
Os portugueses levaram o catolicismo para o Brasil, no tempo das descobertas, e estabeleceram a primeira diocese em 1551.
A primeira missa no Brasil foi celebrada por Henrique de Coimbra, frade e bispo português, no dia 26 de abril de 1500 (6 de maio, no calendário atual), um domingo, na praia da Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália, no litoral sul da Bahia.

02 – México – 98.820.000 católicos

O catolicismo foi levado para o México pelos espanhóis, no século XVI.
No início do século XX, formou-se um governo que perseguiu a Igreja Católica, o que levou à Guerra Cristera, (também conhecida como Guerra dos Cristeros ou Cristiada) e que se desenrolou entre 1926 e 1929. Tratou-se de um levantamento popular contra as leis anticlericais impostas pela Constituição Mexicana de 1917, resultado de uma Assembleia Constituinte em 1 de dezembro de 1917.
Após um período de resistência pacífica, a reação popular teve início em 1 de Janeiro de 1927. Os Cristeros lutavam pelo direito de exercer sua fé em Jesus Cristo.

03 – Filipinas – 85.470.000 católicos

O cristianismo chegou as Filipinas com o desembarque de Fernão de Magalhães, em 1521, e desenvolveu-se com os missionários espanhóis.
A conversão das Filipinas foi um evento sem paralelo na história: em 40 anos (de 1555 a 1605), sem que se derramasse uma só gota de sangue, o país tornou-se um modelo de cristandade graças aos espanhóis. Para a Igreja, as Filipinas tornaram-se uma base providencial da qual partiam legiões de missionários para outras terras da Ásia.
Hoje, o país é predominantemente católico, com 81,4% da população declarando-se católica.

04 – Estados Unidos da América – 71.000.000 católicos

Os Estados Unidos da América viram a chegada do catolicismo junto com os espanhóis na Florida e na Geórgia.
Os franceses levaram o catolicismo para Louisiana, Alabama, Arkansas, Illinois e Michigan, no século XVIII.
E a religião católica ficou fortalecida pela chegada dos imigrantes italianos e irlandeses no século XX, e é uma das religiões que mais cresce nos EUA, devido ao elevado número de imigrantes latino-americanos e filipinos que o país recebe a cada ano.

05 – Itália – 50.474.000 Católicos

A Itália acolhe a sede da Igreja Católica, o Vaticano, cujo território consiste num enclave murado dentro da cidade de Roma. Com aproximadamente 44 hectares (0,44 km²) é a menor entidade territorial do mundo administrada por um Estado
O rico património artístico e histórico do catolicismo na Itália tem um significado e valor inestimáveis.
Ao longo dos seus dois mil anos de história, a Igreja católica em Itália cresceu em tamanho e influência, produzindo e/ou abrigando (algumas vezes antes martírio) alguns dos maiores líderes e impulsionadores do Cristianismo Católico.

06 – França – 44.000.000 católicos

A França tem uma longa história de ótimas relações com a Igreja Católica.
Antes da Revolução Francesa, a Igreja Católica Romana era a religião oficial do estado francês desde a coroação de Clóvis. A relação entre o povo francês e a Santa Sé era tão intensa, sendo a França chamada de “A filha mais velha da Igreja” e seu monarca “o mais católico dos reis“.
Os reis franceses ficaram conhecidos por procurar orientação e o apoio do papa, apesar das divergências históricas com a Santa Sé, como foi com o Cisma do Ocidente.

07 – Colômbia – 36.000.000 católicos

A preponderância do catolicismo tem profundas raízes nos processos de conquista e colonização pela Espanha depois de 1492.
O catolicismo chegou à Colômbia em 1508 e a primeira diocese deste país foi estabelecida em 1534.
A história da Colômbia está, pois, associada a uma intensa e fervorosa vocação religiosa, com profundas raízes católicas, resultado do processo de evangelização e catequização que se realizou durante a conquista.
Hoje há 52 dioceses e mais de 120 organizações religiosas no país.

08 – Polónia – 33.037.017 católicos

Desde que a Polónia adotou oficialmente o cristianismo, no ano 966, num episódio que ficou conhecido como Baptismo da Polónia, que a Igreja Católica desempenha importante papel religioso, cultural e político no país, sendo que 85,5% da sua população se afirma como católica
A Polónia é o país que guarda a sua fé católica com mais carinho.
O país de São João Paulo II, que hoje é o seu santo padroeiro, continua a seguir os seus passos e tem-no como um forte símbolo da fé.

09 – Espanha – 32.364.000 católicos

A história da Espanha com a Igreja Católica inclui capítulos como a guerra pela fé contra os muçulmanos e a Inquisição espanhola do século XV.
A Tradição coloca as origens da Igreja Católica durante a evangelização da Península Ibérica, no século I, por meio do apóstolo Santiago Maior (ligado às histórias do aparecimento de seu túmulo em Santiago de Compostela e da Virgem do Pilar em Zaragoza).
Hoje estima-se que apenas 15% da população de Espanha pratique a fé, mas a maioria da população continua a afirmar-se católica.

10 – República Democrática do Congo – 28.700.000 católicos

A República Democrática do Congo tornou-se independente da Bélgica em 30 de junho de 1960, e é, atualmente, o segundo maior país da África em área.
A Igreja Católica tem ajudado o país na construção de escolas e hospitais, e também tem atuado como mediadora de conflitos.
“O marco inaugural da integração do Congo ao mundo atlântico e ao universo europeu da época foi a chamada conversão do mani Congo ao cristianismo. Esse momento foi fixado em cartas escritas por D. Afonso Mbemba Nzinga. Em uma delas, enviada em 1514 a D. Manuel I, então rei de Portugal, ele narra a vitória que obteve sobre seu irmão, com a ajuda de um pequeno número de seguidores e de São Tiago, que durante a batalha apareceu no céu junto com uma cruz.”

Fonte (texto adaptado e ampliado com recurso a informações diversas)  | Imagem de destaque

 

[themoneytizer id=”18933-16″]