Dos netos aos avós… temos de aprender a poupar!

 

Diz o povo, na sua sabedoria secular, que “De pequenino é que se torce o pepino”, ou seja, devemos começar a educar os nossos filhos – nos diversos aspectos práticos da vida do dia-a-dia – o mais cedo possível.

Lidar com dinheiro – ganhar e poupar – é um deles.

Assim…

1.- Ensine-os a distinguir as coisas que compramos porque “queremos” daquelas que compramos porque “precisamos”.

2.- Domine a compra por impulso, ensinando-os a elaborar listas de compras antes de ir ao supermercado ou comprar roupa, por exemplo.

3.- Quando forem às compras, mostre-lhes a diferença de valor das coisas, ensine-os a contar o troco e a perceber como funcionam os descontos.

4.- Dê-lhes uma semanada ou mesada [se puder!]. Isso ajuda-os a tomar decisões e fazer escolhas, mesmo que em pequena escala.

5.- Fixe um dia para o pagamento da mesada e cumpra-o. Não se esqueça que os pais são o maior exemplo na vida dos filhos.

E agora: o que os avós podem ensinar aos netos

1.- As crianças aprendem a brincar. Os avós podem usar as fábulas como “A galinha dos ovos de ouro” e “A formiga e a cigarra” para ensinar como é importante poupar.

2.- O aumento da esperança de vida favorece a relação entre avós e netos. Contem histórias de infância, quando a sociedade de consumo era muito diferente e a poupança um dado adquirido.

3.- Ajudar os pais a atribuir uma mesada ou semanada, e não comprar tudo aquilo que os netos pedem, ensinar a distinguir o essencial do acessório.

4.- Ensinar as crianças a construir os seus próprios brinquedos e a gozarem aquilo que têm.

E os avós?

Os avós também podem dar o exemplo, através da preparação, atempada, da sua própria reforma.

Assim, vamos disponibilizar algumas sugestões para poder poupar e, assim, enfrentar um pouco melhor qualquer crise económico-financeira que possa estar ou vir a estar no horizonte.

Reforma passo-a-passo

Dos 20 aos 50 anos – Comece o mais cedo possível. No início pode investir em produtos mais arriscados, avançando depois para activos com menor risco, como depósitos e obrigações.

Dos 50 aos 65 anos – Esta é a altura para acertar estratégias, para começar a diminuir o peso de activos arriscados nos seus investimentos e a apostar mais em activos de menor risco.

Depois da reforma – Agora precisa de saber como vai gerir o dinheiro que amealhou ao longo da vida. O seu dinheiro deve estar maioritariamente em fundos de liquidez e tesouraria.

Sugestões para uma reforma descansada vos avós

1.- Começar a investir o mais cedo possível. É fundamental ter um plano de investimento e um destino para as suas poupanças.

2.- Estabelecer metas regulares para concretizar os seus objectivos de aforro. Gastar menos de metade do seu rendimento mensal actual e poupar o que sobrar. Se não conseguir, esforce-se por poupar entre cinco e dez por cento do seu rendimento mensalmente.

3.- Diversificar os investimentos sabendo que os produtos de maior risco, como acções, são os que têm mais rendibilidade potencial à medida que se aproxima a reforma, diminua a exposição a produtos de maior risco e opte por investimentos mais conservadores.

Esperamos que estas sugestões tenham sido de alguma utilidade!

Leia outro artigo sobre este mesmo assunto: “poupança“.

 

Imagem de Steffen Eckart