Efemérides para lembrar durante o mês de Maio

No mês de Abril nasceram as seguintes personalidades:

No dia 4 de Maio de 1905 nasceu António Branquinho da Fonseca

Escritor (Mortágua 4.5.1905 – Malveira, Cascais 16.5.1974).

Licenciou-se em 1930 na Faculdade de Direito de Coimbra. Foi conservador do registo civil em Marvão e na Nazaré, conservador do Museu-Biblioteca de Cascais e director dos serviços de bibliotecas itinerantes da Fundação Gulbenkian. Em Coimbra fundou a revista literária Tríptico e foi co-fundador (1927) da Presença, que dirigiu até 1930, e da revista Sinal.

Publicou poemas, contos, novelas, romances e peças de teatro, tendo sido um mestre do conto. Ficcionista, escreveu: Zonas, 1931, e Caminhos Magnéticos, 1938 (contos), O Barão, 1943 (novela), Rio Turvo, 1945 (contos), Porta de Minerva, 1947 (romance), Mar Santo, 1952 (novela), e Bandeira Preta, 1956 (contos). Poeta, deu a lume Poemas, 1926, e Mar Coalhado, 1932.

A sua obra teatral, iniciada em 1928 com A Posição de Guerra, encontra-se reunida no volume Teatro, 1973. 1

No dia 27 de maio de 1913 nasceu José Marmelo e Silva

Escritor (Paul, Covilhã 7.5.1913 – Espinho, 11.10.1991).

Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, dedicou-se ao ensino liceal. Colaborou na Presença, em O Diabo, na Seara Nova e no suplemento literário do Jornal de Notícias.

Nas suas novelas cultiva sobretudo os temas da sexualidade dos adolescentes e da antinomia cidade-campo. Obras principais: Sedução, 1937 (refundida em 1960), Depoimento, 1939, O Sonho e a Aventura, 1934 (refundida em 1965), Adolescente, 1948 (refundida com o título Adolescente Agrilhoado, 1958), O Ser e o Ter, 1968, Anquilose, 1968, e Desnudez Uivante, 1983. 1

No mês de Abril morreram as seguintes personalidades:

No dia 6 de Maio de 1907 morreu Júlio Lourenço Pinto

Publicista (Porto 24.5.1842-ib. 6.5.1907).

Em 25.6.1864 formou-se na Faculdade de Direito de Coimbra. Foi administrador de vários concelhos do distrito do Porto (Póvoa de Varzim, Vila Nova de Gaia, Lousada e Santo Tirso) e governador civil de Santarém e de Coimbra.

Recebeu em 1880 o título de conselheiro. Colaborou em jornais políticos e literários, em especial em O Comércio do Porto, e em 1884 tornou-se presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto.

Entre outras obras, publicou Margarida, Cenas da Vida Contemporânea, 1879, Vida Atribulada, 1880, O Homem Indispensável, 1884, e Estética Naturalista, 1885. 1

No dia 4 de maio de 1917 morreu Hermenegildo de Brito Capelo

Explorador científico do continente africano (Palmela 1841 – Lisboa 4.5.1917).

Assentou praça na Marinha em 1855 e foi promovido a vice-almirante em 1906. Bateu-se com valentia, em 1871, no ataque a Caconga (Guiné-Bissau). De 1877 a 1880, com Roberto Ivens, realizou a primeira travessia científica do território angolano, relatada no livro De Benguela às Terras de Iaca.

Os mesmos realizaram em 1884 a travessia do continente africano de Moçâmedes (Angola) a Quelimane (Moçambique). Em sete meses percorreram 4500km e dos 124 homens que iniciaram a expedição 68 morreram no trajecto, relatado no volume De Angola à Contracosta. Em apoio das pretensões portuguesas no Niassa e na África Central publicou ainda, com Roberto Ivens, Quelques notes sur l’établissement et les travaux des portugais au Monomotapa, 1889.

Foi ajudante-de-campo dos reis D. Luís, D. Carlos e D. Manuel II: após a partida deste para o exílio pôs termo à sua carreira militar. 1

Fonte: 1 O Grande Livro dos Portugueses | Imagem

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.