A Feira de Barcelos – das origens até à atualidade

As origens da Feira de Barcelos

A Feira de Barcelos, tal como a conhecemos hoje, é o resultado de um processo evolutivo sofrido ao longo de vários séculos. Não se sabe ao certo como começou, nem como se fixou à quinta-feira.

Sabe-se, contudo, que o motivo da grande popularidade que ostenta se deve à sua marcada ruralidade e à tradicional venda de “louça de barcelos” e artefactos artesanais locais.

As suas origens permanecem incertas. Porém, é crível que esta já se realizasse no século XIII, numa altura em que os cereais se avaliavam pela “medida de Barcelos” . Possivelmente, nesta época, ainda sem um local ou calendário fixo, mas é muito provável que tivesse um carácter quinzenal.

Certo é que, no ano de 1412, em carta de 19 de Fevereiro, D. João I, a pedido de seu filho D. Afonso, 8º Conde de Barcelos, instituiu uma feira de ano a realizar entre os dias 1 e 15 de Agosto no Campo do Salvador (actual Campo da Feira), conforme atesta a seguinte citação:

“… D. Afonso I concedeu ao concelho de Barcelos uma feira franqueada anual, de quinze dias, de 1 de Agosto até ao dia da Santa Maria de Agosto “por Noyte”, pois tivera informação que nesse tempo ela não prejudicaria as outras feiras, “que se fazem”, e concedeu também que essa feira gozasse todos os privilégios e franquias que tinha a de Trancoso” – in Virgínia Rau.

Alterações ao longo dos tempos

Esta feira sofreu várias alterações ao longo dos tempos, mudando várias vezes a data da sua realização. Chegou a realizar-se em Outubro e, em 1455, já se encontra documentada a sua realização por altura das comemorações do Corpo de Deus. A realização da feira nesta última data chegou quase aos nossos dias.

No século XVI, assiste-se à expansão da vila de Barcelos para fora das muralhas, motivada pelo aumento populacional. Dá-se, também, aparecimento miraculoso de uma Cruz no chão das imediações do actual Campo da República, em Dezembro de 1504.

Este acontecimento deu origem à romaria de 3 de Maio e à afamada “Feira das Cruzes”, realizada entre os dias 1 e 3 desse mês.

A evolução da Feira de Barcelos, com o seu estabelecimento em local mais aproximado ao da actualidade, ou seja, nas imediações do Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz e com cariz semanal, à quinta-feira, deverá remontar a finais do século XVII ou ao século XVIII.

Feira de Barcelos – A feira das feiras

A Feira de Barcelos realiza-se todas as semanas, à quinta-feira, no Campo da República (Campo da Feira).

Trata-se de uma feira tradicional e marcadamente rural que privilegia as produções agrícola locais e está por excelência ligada à venda de produtos artesanais, como as louças de Barcelos, galos, trabalhos em madeira, linhos e bordados, entre outros.

Nenhuma passagem pelo Norte de Portugal [Minho] ficará completa sem a visita à feira semanal de Barcelos. A quinta-feira é um dia diferente, assemelha-se a um dia de festa.

Ainda de madrugada, começam a chegar os feirantes. Alguns vieram mesmo de véspera, montam as bancas e com o raiar do sol chegam os primeiros clientes.

Com o avançar do dia, avoluma-se o trânsito automóvel e pedestre.

A cidade, que por norma é tranquila, transforma-se num espaço pujante e dinâmico. As ruas e as praças enchem-se de gente que aproveita o dia para sociabilizar, negociar, comprar, regatear e resolver afazeres burocráticos.

Os cafés e espaços públicos enchem-se de gente de todos os lados que dão cor e vida à paisagem urbana, depois de efectuadas as suas compras na feira tradicional.

Os forasteiros, encantados com este ambiente, sonoridades e cor, isolados ou em grupo, calcorreiam a feira e a cidade, contemplando particularidades que fazem deste território e desta feira únicos em Portugal e proporcionam uma experiência ímpar de contacto com a autenticidade da cultura minhota e barcelense.

Todo este emaranhado de gente que chega à feira desaparece ao final da tarde de quinta-feira. Mas apenas até que se repita todo este ritual na semana seguinte, quando a cidade voltar a receber a feira e as suas gentes.