Feiras Medievais e recriações históricas em Portugal em 2024

Feiras Medievais, recriações históricas e outras

Neste ”jardim à beira mar plantado” – reino independente desde 1143 até 1910 -, e ao longo de cada ano, realizam-se, de Norte a Sul, diversas iniciativas relacionadas com a História de Portugal:

– Mercados ou Feiras Medievais 1 ,

– Recriações Históricas,

e outras iniciativas do género,

nas quais se tenta recriar, o melhor possível, épocas, vivências, factos e/ou personagens históricas, e que importa conhecer melhor.

Em muitas dessas iniciativas também se tentam retratar as artes e ofícios de cada tempo e lugar, a gastronomia e o modo de viver das respetivas populações, permitindo apreciar tradições recriadas, com maior ou menor precisão, de uma forma muito visual e atrativa.

Nesta página vamos colocar as informações que nos foi possível recolher sobre este assunto.

Feiras Medievais, recriações históricas e outras em 2024

Setembro de 2024

= Dias 27 a 29 –  9.ª edição da Feira Medieval de Palmela

A iniciativa decorrerá no Castelo e Centro Histórico da vila, terá como tema “Um Cavaleiro de Santiago para Alcaide-Mor de Palmela” e desenvolve-se no século XV.Ao longo de três dias, a recriação história passará pela realização da feira franca com os seus mercadores e artesãos, pela animação nos acampamentos temáticos, torneios e cortejos e um conjunto de animações itinerantes, permitindo às/aos visitantes, vivências da história do castelo e da Ordem de Santiago.“D. João, o denominado Príncipe Prefeito (futuro rei D. João II), governante e perpétuo administrador da Ordem de Santiago, escolhe o cavaleiro Antão de Faria, seu camareiro-mor e conselheiro para alcaide-mor de Palmela, em 1475.  Esta terá sido umas das primeiras iniciativas do novo Mestre, a justificar a importância de garantir que no Castelo de Palmela liderava um homem da sua confiança, ligado à casa real”.

 

Para ler: Reis e Rainhas de Portugal – síntese da 1º Dinastia

Agosto de 2024

= Dias 31 de julho a 11 de agosto – Viagem Medieval em Terra de Santa Maria

Santa Maria da Feira volta a transformar-se para receber todos os que queiram fazer uma verdadeira “viagem” ao reinado de D. Duarte.

Julho de 2024

= Dias 31 de julho a 11 de agosto – Viagem Medieval em Terra de Santa Maria

Santa Maria da Feira volta a transformar-se para receber todos os que queiram fazer uma verdadeira “viagem” ao reinado de D. Duarte.= Dias 20 e 21 de julho – Feira Medieval de Constantim 2024

Tabernas | Mercado Medieval | Música Medieval | Animação | Desfile Medieval | Espetáculo de Fogo

= Dias 19 a 21 – 29ª edição da Feira Medieval de Coimbra

O tema desta edição é dedicado aos 960 anos da conquista definitiva de Coimbra por Fernando Magno, ficando o governo da região entregue a D. Sesnando.A habitual animação da época (no sábado e no domingo, dias 20 e 21), deambulará entre o Largo da Sé Velha, o Quebra Costas, o Pátio do Castilho, o Arco de Almedina e a Rua Borges Carneiro até ao Museu Nacional de Machado de Castro.

 

Para ler: 14 de agosto de 1385, dá-se a Batalha de Aljubarrota

Junho de 2024

= 24 a 28 de junho – Caminha Medieval

O tema é “740 anos da Outorga do Foral a Caminha”.A 24 de julho de 1284, D. Dinis, Rei de Portugal, outorga a primeira Carta Foral à Vila de Caminha.Caminha pela sua posição marítimo-fluvial privilegiada cedo viu a sua importância estratégico-militar ser reconhecida, sendo a sede agraciada com o seu primeiro foral em 1284.A preocupação régia com o povoamento e a defesa, num território fronteiriço, implicou garantir aos seus habitantes segurança, isenção ou redução tributária, assim como novas formas de governação local.

= Dias 21 a 24 – 12ª edição da Feira Afonsina – Feira Medieval de Guimarães

Dia 24 de junho marca também as celebrações da Batalha de São Mamede, o Dia Um de Portugal.A viagem ao passado está marcada em Guimarães e promete fazer levar os vimaranenses e visitantes à época dos primeiros reis de Portugal.A par das recriações históricas, com teatro e outras cenas performativas ao longo de todo o centro histórico de Guimarães, estarão presentes artesãos, artífices, místicos, produtores alimentares e mercadores alimentares.

= Dias 14 a 16 – Feira Medieval de Montemor-o-Novo

Castelo de Montemor-o-Velho – Montemor-o-Novo

= Dias 14 a 16 – Feira Medieval de Belver – Gavião

Neste evento, de recriação histórica, vão ser realizadas várias representações da época medieval desde a vila até ao Castelo, originando um ambiente diferente contando com artesãos, espetáculos e restauração, o que atrai milhares de pessoas a esta vila e ao concelho de Gavião.Horário: 17h00 às 22h00

= Dias a 11 de junho – Feira Medieval de Alhos Vedros

A Feira Medieval decorrerá no Largo da Igreja vai contar com cerca de 140 expositores, 120 animadores e artistas, bem como cavalos, cães, aves de rapina, cobra, entre outros animais que prometem surpreender com os seus espetáculos. O tema deste ano é Alhos Vedro e o rio, e a feira volta a ser promovida pela Associação Aliusvetus.

Os petiscos, esses, também não vão faltar e as carnes assadas vão saciar, certamente, a fome de quem por lá passar. Os licores, a cerveja artesanal, a sangria, ginginhas e hidromel, prometem, também, matar a sede a muitos visitantes.

= Dias 31 de maio a 2 de junho – III Feira de Inspiração Renascentista de Vila Viçosa

Esta Feira de Inspiração Renascentista vai decorrer no interior do espaço amuralhado do castelo. O programa inclui animações e espetáculos históricos, mercado, música e danças populares, concerto, espetáculo de fogo, arruada pelas principais artérias e praças da vila

= Dias 31 de maio a 2 de junho – Feira Medieval – A Cidade do Falcão “Guarda-Mor do Reino e Senhorios de Portugal”

Este ano, a Feira Medieval em Pinhel é dedicada ao tema “D. João II – As Tercenas e o Povo”.Manjares, ceia medieval, cortejos, torneios, teatros, música, dança e animação de rua são os principais atrativos desta iniciativa que é também uma viagem no tempo…

= 29 de maio a 2 de junho – Feira Medieval de Torres Novas

O tema vai ser a recriação histórica de “A Carta de Feira de 1273Nesta viagem no tempo, o tema remonta ao tempo em que “Afonso III reinava em Portugal há cerca de 30 anos. Após várias contendas com o seu já falecido irmão, D. Sancho II, e depois da conquista definitiva do Algarve, El-Rei pacificou o território e pôs fim às lutas com Castela, casando com D. Beatriz, filha de Afonso X de Castela, o Sábio”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Torres Novas.Afonso III organizou administrativamente o território, fez novas leis, mandou que se divulgassem e cumprissem, cunhou nova moeda e mandou que se fizessem feiras, atribuindo Cartas de Feira a várias vilas e cidades de Portugal, entre as quais Torres Novas. 

 

Para ler: Tratado de Zamora – 5 de Outubro de 1143

Maio de 2024

= Dias 31 de maio a 2 de junho – Feira Medieval – A Cidade do Falcão “Guarda-Mor do Reino e Senhorios de Portugal”

Este ano, a Feira Medieval em Pinhel é dedicada ao tema “D. João II – As Tercenas e o Povo”.Manjares, ceia medieval, cortejos, torneios, teatros, música, dança e animação de rua são os principais atrativos desta iniciativa que é também uma viagem no tempo…

= 29 de maio a 2 de junho – Feira Medieval de Torres Novas

O tema vai ser a recriação histórica de “A Carta de Feira de 1273Nesta viagem no tempo, o tema remonta ao tempo em que “Afonso III reinava em Portugal há cerca de 30 anos. Após várias contendas com o seu já falecido irmão, D. Sancho II, e depois da conquista definitiva do Algarve, El-Rei pacificou o território e pôs fim às lutas com Castela, casando com D. Beatriz, filha de Afonso X de Castela, o Sábio”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Torres Novas.Afonso III organizou administrativamente o território, fez novas leis, mandou que se divulgassem e cumprissem, cunhou nova moeda e mandou que se fizessem feiras, atribuindo Cartas de Feira a várias vilas e cidades de Portugal, entre as quais Torres Novas. 

= Dias 17 e 18 de maio – Feira Medieval da Vila de Alcanede

Assista ao Cortejo Medieval, do Castelo de Alcanede até ao centro da Vila.Desta recriação histórica faz parte a leitura da Carta de Feira, concedida pelo Rei D. Afonso Henriques ao lugar de Alcanede.Estes dias contam com muita animação, música, dança, espetáculos de fogo e malabaristas, jogos tradicionais, tiro ao arco, cantigas de amigo e de amor, entre outras atividades.No Mercado de Rua, os visitantes podem encontrar tendas diversas com produtos artesanais, alimentos e mercadorias variadas, tais como pão, doces conventuais, licores, frutos secos, queijos, fumeiro, fritos e café, plantas e ervas aromáticas, produtos agrícolas e animais, que vão permitir a todos os presentes vivenciar o comércio medieval.Esta iniciativa conta também com a Taverna Medieval, com bebidas e refeições, inspiradas na culinária da época.No artesanato e ofícios ao vivo, os artesãos vão demonstrar as suas habilidades em trabalhos manuais, com os torneados em madeira, tecelagem, cerâmica e “scriptorium” – oficina onde os visitantes podem experimentar a caligrafia medieval.Organização do Agrupamento de Escolas D. Afonso Henriques, conta com a colaboração da Junta de Freguesia de Alcanede e da Câmara Municipal de Santarém.

= Dia 18 de maio –  Festival da Rainha-Feira Medieval de Estremoz

= Dias 10 a 12 de maio – Feira Medieval da Aldeia Histórica de Marialva   

O programa inclui várias oficinas, espetáculos de fogo, torneios a cavalo, danças medievais, arruadas musicais e a recriação de diversos episódios de Marialva enquanto vila antiga, como a fuga à peste, a conquista de Marialva e chegada dos peregrinos a caminho de Santiago de Compostela

= Dias 10 a 12 de maio – Feira Medieval Ibérica de Avis: “D. João I e os Príncipes de Avis”

A Feira Medieval Ibérica de Avis é um evento de recriação histórica que decorre no Centro Histórico da vila e que dá vida a episódios associados à dinastia de Avis.Durante três dias, os visitantes terão a oportunidade de mergulhar na atmosfera dos séculos XIV e XV, explorando os intricados enredos de poder, as rivalidades entre Portugal e Castela, e as disputas internas na realeza, tal como retratado nas obras literárias de D. João I e de seus filhos, D. Duarte e D. Pedro. Horário: 19h00 às 23h00

= Dias 1 a 5 de maio – Feira Medieval de Benfica

Parque Silva Porto – Benfica

Aos visitantes pede-se que entrem no espírito da Idade Média, com a oportunidade de se vestirem à época e comprarem produtos inspirados em tempos antigos aos mercadores e nas tavernas. No recinto vão encontrar um mercado, tavernas, artesanato e jogos infantis, bem como “manjares, repastos e beberes”. O hidromel, considerada a bebida dos deuses, também não vai faltar.

Ao longo dos quatro dias haverá demonstração de ofícios, exposições de materiais da época, malabaristas, bobos trapalhões, bailados,  demonstrações de armas e teatros com fogo. Com entrada gratuita

 

Abril de 2024

= 12, 13 e 14 de abril – Feira Medieval de Torre de Moncorvo

O Foral Dionisino d’El Rei Povoador é o tema escolhido para a XI edição da Feira Medieval de Torre de Moncorvo, sendo que se mantém como figura de destaque El Rei D. Dinis, aliado ao documento régio que cria o concelho da Torre de Mem Corvo: a carta de foral. Partindo deste documento, nos vários momentos do programa exploram-se os direitos, os privilégios, bem como os aspetos respeitantes à justiça, economia, administração pública e sociedade local.Esta edição inicia no dia em que se assinala a comemoração dos 739 anos da atribuição da carta de foral de D. Dinis a Torre de Mem Corvo, precisamente a 12 de abril de 1285.

= Dias 6 e 7 de abril – Feira Medieval de “Castelo Mendo”

A ceia Medieval de sábado à noite é um dos pontos altos.Este ano há também a participação da Oficina de História, levada a cabo por alunos do agrupamento de escolas de Almeida, mas grande novidade é a recriação de “OsPerseguidos”, pessoas que na altura tinham Peste Negra, para além das tradicionais Lides de Guerra e espetáculos do Imaginário Medieval.

 

Uma sugestão de leitura: Forais ou Cartas de Foral em Portugal: o que são?

 

Notas

1

“Por açougue se designava, geralmente, o local onde se efetuavam as compras e vendas, passando mais tarde a chamar-se mercado.

Mas o açougue ou mercado é fruto da necessidade contínua de abastecimento e de transações dum numeroso aglomerado de pessoas que se dedicam às mais variadas profissões.

Em outros lugares menos populosos, de população mais dispersa e onde predomina fortemente o trabalho agrícola, não se sente a necessidade do mercado, bastando que as transações se façam periodicamente.

Está nesse facto a origem das feiras.

«Em Portugal a concessão das feiras encontra-se na maior parte dos forais, sendo o de Ponte do Lima, de 1125, o mais antigo». (Pág. 403 do Vol. II da Hist.& de Portugal edição da «Portucalense Editora, Lda» – Barcelos).

Em algumas terras havia, além dos mercados, as fangas, que eram locais especialmente destinados ao negócio de cereais e farinhas.” (Luís Cyrne de Castro, in “Do Passado de Vila Real – Apontamentos – maio de 1666 a novembro de 1850).