Fins-de-semana Gastronómicos – Outubro 2022

Baião | 7, 8 e 9 de outubro de 2022

A gastronomia de Baião é tão especial que até há quem diga que Eça de Queiroz se apaixonou tanto pela paisagem desta terra como pelos sabores da sua cozinha tradicional quando escreveu “A Cidades e as Serras”.

Obrigatório em dias de festa, casamentos, batizados e aniversários é o Anho Assado com Arroz do Forno.

O fumeiro tradicional tem características únicas e, tal como o anho assado, dá origem a um festival que todos os anos atrai milhares de visitantes à Vila de Baião.

É claro que a posta de vitela arouquesa, raça autóctone, constitui uma especialidade a não esquecer pelos apreciadores.

E que dizer do mais famoso doce, sempre presente em todas as romarias do Norte de Portugal?

É o Biscoito da Teixeira, é claro. Mas tem de ser genuíno!

Por fim, de que valeriam todas essas iguarias se não fossem acompanhadas pelo tal vinho que também é único desta terra e que “entra mais na alma do que qualquer poema ou livro santo”?!

Um vinho da casta Avesso, que diversos produtores cultivam como uma verdadeira arte, numa região onde até já começaram a dar provas de excelência os espumantes naturais.

Fins-de-semana Gastronómicos - Baião

Receitas

Pastelão de Ovos com Salpicão

Ingredientes

6 ovos, 8 fatias de salpicão tradicional

Preparação

Coloque as rodelas de salpicão a fritar na frigideira antiaderente com o azeite pré-aquecido até ficarem alouradas.

Bata os ovos com a salsa e junte o preparado às rodelas de salpicão.

Com uma espátula solte as bordas do pastelão da frigideira enquanto frita e depois vire-o para dourar o outro lado.

Arroz de Favas com Frango Alourado

Picar a cebola e os alhos para um tacho, juntar azeite e levar ao lume.

Quando começar a lourar, juntar as favas e o molho de carne assada.

Tapar e deixar cozer 5 minutos.

Regar com água (3 vezes o volume do arroz) e introduzir as folhas de louro e deixar levantar fervura.

Temperar com sal e pimenta e juntar o arroz previamente lavado.

Deixar cozer.

Creme de Água

Ingredientes

1 litro + 7,5 dl de água, 12 gemas, 200 gr. de farinha, 400 gr. de açúcar, 1 pauzinho de canela, 1 pedacinho de casca de limão.

Preparação

Leve um litro de água a ferver com o pauzinho de canela e a casca limão.

Deixe ferver por uns breves minutos e deixe repousar durante uns dez minutos.

Entretanto, bata as gemas com o açúcar e a farinha.

Junte os 7,5 dl de água restantes (esta deve estar a uma temperatura tépida). Mexa bem.

Coe a água fervente e junte à mistura de gemas, mexendo sempre.

Leve o preparado de gemas a lume brando e, sem parar de mexer, deixe espessar.

Retire do lume, coe por um passador de rede fina e distribua o creme por taças individuais. Deixe arrefecer.

Mantenha no frigorífico até ao momento de servir.

Nessa altura, polvilhe de açúcar e queime com um maçarico de cozinha ou ferro em brasa.

Moimenta da Beira | 7, 8 e 9 de outubro de 2022

Moimenta da Beira

, audaz na sua herança gastronómica, é conhecida pela diversidade de ementas que compõem a nossa gastronomia.

Os sabores e saberes tradicionais permanecem na nossa região e em cada prato como vínculo entre a vida do Homem e a labuta a que o cultivo das terras obriga.

Foi através da singular riqueza do seu vocabulário, que Aquilino Ribeiro, oriundo de uma forte identidade cultural, ilustra a nossa intensidade territorial, demonstrando um conhecimento profundo da região, e como um bom beirão, o escritor é devoto das iguarias regionais em que a presença do vinho é uma constante.

A cozinha tradicional Moimentense, assume várias facetas conforme as épocas festivas, os usos, os costumes e as colheitas, qual deles o mais opulento em sabedoria popular.

Visite-nos e desfrute de todas as iguarias que temos para lhe apresentar.

Fidalguia sem comedoria é como gaita que não assobia” Aquilino Ribeiro in Terras do Demo.

Receitas

Fumeiros e Queijos da Região com Doce de Abóbora

Ingredientes

Fumeiro variado (alheira, chouriço, farinheira, moiro, morcela, moira, etc.)

Preparação

Os enchidos devem ser grelhados e cortados em rodelas. Enquanto isso, fatie o salpicão e o presunto, sirva-os a gosto.

Os Queijos da Região devem ser servidos fatiados acompanhados com o Doce de Abóbora.

Marrã de S. Francisco

Ingredientes

Carne de porco (da barriga e da pá, costela); redanho; fígado; moiro de sangue; alhos; vinho tinto; banha de porco ou azeite; sal q.b.; louro

Preparação

Cortar a carne aos pedaços e temperar com os ingredientes acima mencionados; deixar cerca de 2h para tomar o gosto do tempero;

Numa frigideira colocar a banha de porco ou o azeite e, em lume brando, começar a fritar a carne, fritam-se o redanho, o fígado e o moiro.

Depois de tudo frito, retirar a carne e colocar o molho do tempero; assim que o molho comece a engrossar, juntar outra vez a carne, deixar ferver para apurar e está pronto a servir.

Sugestão: servir com batata cozida.

Período sazonal em que este prato é consumido – Mês de Outubro

Arroz Doce (servido na cesta)

Ingredientes

1L de leite; 100g de arroz;250g de açúcar; 250ml de água com sal; 4 gemas; canela para polvilhar

Preparação

Escolha o arroz, sem o lavar e ponha-o a abrir na água com uma pitada de sal.

Quando a água tiver evaporado, adicione o leite e leve a cozer.

Entretanto, misture as gemas com o açúcar e junte ao arroz cozido, já fora do lume. Este procedimento deixa o arroz-doce com uma textura particularmente cremosa, porém tem de levar novamente o preparado ao lume para cozer as gemas.

Forre um cesto com uma toalha branca de linho e coloque nele o arroz-doce, pode optar também por colocar em pratos individuais ou num recipiente para o efeito.

Enfeite com canela a gosto (tradicionalmente, são desenhados traços, letras, corações).

Amarante | 15, 15 e 16 de outubro de 2022

Foi a situação geográfica de Amarante que condicionou a sua gastronomia. Por um lado, está situada na charneira entre o Minho e Trás-os-Montes.

A sua comida comunga assim das características de ambas as províncias.

O facto é que, ainda hoje, a cozinha amarantina é baseada em pratos substanciosos, como o cabrito serrano, a vitela arouquesa e maronesa, as feijoadas, as tripas, o cozido à portuguesa, o bacalhau…

Para variar, a delicadeza de umas trutas pescadas nas cachoeiras do Tâmega e o requinte de um fumeiro bem temperado.

Ficaram célebres os bacalhaus à Zé da Calçada e à Custódia que, em tempos idos, eram as duas mais importantes casas que disputavam entre si a clientela, procurando apresentar cada qual o melhor bacalhau.

(O bacalhau à Custódia não dá hoje por esse nome, mas, sob qualquer outra designação, deve corresponder a uma das muitas maneiras de cozinhar o bacalhau ainda presentes na gastronomia de Amarante).

Célebre também o arroz de frango, vulgarizado pelas monjas de Santa Clara, advogada das pessoas com dificuldades de fala, a quem eram oferecidas, em pagamento de promessas, inúmeras aves de capoeira.

Doçaria…

Os ovos desempenham igualmente um papel importante na confeção da doçaria.

As gemas para os doces, as claras para a clarificação do próprio vinho…

A doçaria nasce conventual, mas as Invasões Francesas, obrigando à retirada das clarissas, precipitam a sua difusão pelas famílias da vila e pelas lojas próximas do rio.

Uma referência especial às pastelarias, que continuam a garantir a amarantinos e sobretudo a viajantes os deliciosos papos de anjo, foguetes, lérias e brisas do Tâmega que rivalizam em fama (diz-se em Amarante) com o convento e a ponte, sem esquecer, num passado não muito longínquo, Alcino dos Reis e a sua confeitaria “Casa das Lérias“.

O pão tem também a sua especialidade: o pão de Padronelo, de farinha moída nos moinhos do rio e cozido em fornos a lenha de carqueja que superabunda na região.

Finalmente o vinho. Estamos numa sub-região do vinho verde. Muita da vinha é de enforcado, conferindo à paisagem agrária amarantina um ar que a aproxima de certas regiões minhotas.

Receitas

Cabrito Assado

Desde os caminheiros fatigados de outros tempos aos amantes do bom garfo dos nossos dias, o cabrito assado faz de Amarante um ponto de paragem obrigatório.

Os segredos multiplicam-se na preparação deste prato, no entanto, pode revelar-se os ingredientes básicos que o sublimam, nomeadamente alho, louro, salsa, pimentão doce, vinho branco e… o repouso do cabrito até ao dia seguinte.

Deitado numa cama” de cebola, azeite, sal e alho, acrescentamos, como companhia, as batatas e as partes finas do cabrito (costelas) e corrigimos o molho.

Já na reta final, um toque de tostado em todos os ingredientes – conquistado no forno – denuncia que a assadeira está pronta a ir para a mesa.

Período sazonal em que este prato é consumido – todo o ano

Doces conventuais de Amarante – Lérias

Ingredientes

1 kg de amêndoas, 1 kg de açúcar escuro, 200 g de farinha, 2 dl de água, 500 g de açúcar pilé, farinha quanto baste para polvilhar.

Preparação

“Pelam-se” e ralam-se as amêndoas.

Amorna-se a água e trabalha-se a amêndoa, o açúcar escuro e a farinha com água tépida até se obter uma massa homogénea.

Molda-se a massa em rolo com a ajuda de um pouco de farinha e cortam-se às rodelas.

Espalmam-se as rodelas de massa com a mão e colocam-se num tabuleiro polvilhado com farinha.

Levam-se a cozer em forno brando.

Leva-se o açúcar pilé ao lume com um copo de água até fazer ponto de espadana.

Passam-se as Lérias por açúcar e secam-se em redes.

Freixo de Espada à Cinta | 14, 15 e 16 de outubro de 2022

Freixo de Espada à Cinta

, território que vai para além da História, feito de património de vivências e sabores que a terra dá.

Da eno-gastronomia, rica e variada, homenageiam-se momentos carpe diem, salpicados com a excelência dos produtos endógenos, onde pontificam os vinhos, o fumeiro e o azeite.

Receitas

Cogumelo Recheado

Ingredientes

Cogumelo Portobello; presunto; castanha; ou, alheira; queijo de cabra; presunto.

Preparação

Coza as castanhas e triture.

Salteie os pés dos cogumelos em azeite. Temperar com pimenta e sal.

Ligue o forno a 180 ⁰C.

Misture o miolo da castanha e o presunto ao refogado.

Recheie os cogumelos e leve ao forno.

Lave os cogumelos e tempere com sal e pimenta.

Recheie com alheira e leve ao forno.

Retire e sobreponha uma fatia de queijo de cabra.

Coloque novamente para gratinar. Decore com presunto.