Fitoterapia – os benefícios de algumas ervas aromáticas

Salva

É utilizada para dar ânimo e energia, mas também para limpeza dos dentes, através da remoção do tártaro. Um banho tónico com um pouco de salva faz revigorar o corpo e a mente. É recomendada para diabéticos.

A infusão das folhas secas ou frescas actua sobre o aparelho digestivo, além de ser utilizada como tónico e estimulante hepático ou para melhorar a circulação.

Stevia

Óptima para quem sofre de obesidade, uma vez que uma porção de 100 miligramas contém menos de meia caloria; para além disso atenua a necessidade de petiscar, assim como o desejo de comidas com gorduras.

Tomilho

Rico em ferro e cálcio, tem propriedades antisséticas e anti-inflamatórias e é tradicionalmente utilizado também como digestivo e expectorante, sendo eficaz a melhorar problemas respiratórios e torácicos, como a tosse e a bronquite. Também é muito eficaz para ajudar a vesícula preguiçosa.

Saiba quando pode semear ou plantar algumas destas ervas aromáticas na sua horta.

Mais informações sobre o tema

A propósito deste tema, sugerimos a leitura dos seguintes textos:

À descoberta das esplêndidas ervas aromáticas

Dizem os historiadores que, desde o Paleolítico, o homem se habituou a procurar as ervas mais apropriadas para a alimentação, mas também para a cura dos seus males. As referências, primeiro em cavernas e, mais tarde, em documentos, são prova disso.

A Bíblia, o Talmude e o Corão, por exemplo, mencionam e indicam ervas para uso pessoal e cerimonial. Mas a proliferação das ervas e temperos está sobretudo ligada à história dos meios de transporte e à imigração de povos.

A sua importância ganha outra dimensão com o empenho dos europeus, em particular dos portugueses, em encontrar um caminho para a Índia, com a finalidade de adquirir especiarias. Ler+

Doenças e ervas medicinais

Todas as plantas têm princípios activos, capazes de interferir a nível biológico se ingeridos pelo organismo humano. Destiladas, a maioria das plantas produz essências, álcool e gases combustíveis.

Associadas a estas substâncias estão outras que, pela sua concentração, dão propriedades específicas às plantas, como é, por exemplo, o caso das papoilas que produzem o ópio. Ler+

Plantas aromáticas e medicinais

“Existem plantas aromáticas e medicinais das mais variadas espécies, apresentando consistência herbácea, semi-herbácea ou lenhosa, e com possibilidade de aproveitamento de uma parte da planta ou da sua totalidade.

Estas plantas possuem na sua composição, para além das substâncias presentes em todas as outras (como água, sais minerais, ácidos orgânicos, hidratos de carbono ou substâncias proteicas), compostos que as diferenciam e conferem propriedades especiais, tais como alcalóides, glucosídeos, óleos essenciais, taninos, entre outros, permitindo a sua utilização em medicina, na alimentação, como conservante, aromatizante ou no fabrico de cosméticos e perfumes. Ler+

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.