Em maio surge a época das cerejas, apetitosas!

Maio é época das cerejas

Com os dias quentes, em maio surge a época das cerejas, para delícia de miúdos e graúdos que adoram este pequeno fruto doce, suculento e carnudo. Irresistível para o paladar, a cereja é também benéfica para o nosso organismo.

Proveniente da cerejeira (cerdeira, no português antigo), árvore de origem asiática, a cereja é um fruto doce, de polpa suculenta. Conforme as variedades, as cerejas podem ser de polpa mais macia ou firme, e o seu tamanho variar.

Nos primeiros dias da época deste fruto, estão prontas para serem consumidas predominantemente as variedades de cereja de polpa mais macia (como a Burlat), pois são as que amadurecem primeiro. Surgem, depois, as de polpa mais firme.

Benefícios

Recuperação muscular – O consumo de cerejas tem vindo a ser associado à melhor capacidade de recuperação muscular após a prática de exercício físico, nomeadamente pelo seu conteúdo em compostos com propriedades antioxidantes, como as antocianinas, a quercetina e alguma vitamina C.

Promove a qualidade do sono – Pela presença de melatonina na sua composição, o consumo de cerejas tem vindo a ser estudado e caracterizado como benéfico na manutenção de um sono regular em indivíduos saudáveis, podendo, inclusive, contribuir para atenuar alguns distúrbios do sono.

Promove a saciedade – O índice glicémico da cereja é baixo, e este pequeno fruto é fonte de fibra, duas características que contribuem para uma entrada gradual do açúcar no sangue, ajudando a prolongar a sensação de saciedade.

Antioxidante e anti-inflamatório – O consumo de cereja tem vindo a revelar capacidades anti-inflamatórias e antioxidantes, o que a torna num coadjuvante no combate à progressão de algumas doenças inflamatórias crónicas e lesões desportivas.

Cereja do Fundão

São muitas as origens de cereja, mas há uma que se destaca no nosso país: a cereja do Fundão, que no passado mês de março de 2019 foi classificada, a nível nacional, como produto de Indicação Geográfica (IG) pela Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, após o pedido apresentado pela Cerfundão.

Em termos gustativos, é das melhores cerejas do mundo, sendo também um dos ex-libris daquela região e motivo de orgulho nacional. Trata-se de uma cereja muito doce e de textura firme, características que advêm das condições edafoclimáticas do Fundão.

Esta região possui um microclima muito apropriado para a cultura deste fruto, que tem que ver com

– a proteção oferecida pelas serras da Estrela e da Gardunha,

– a qualidade dos solos graníticos,

– o xisto da encosta,

– o nível de humidade,

– um número elevado de horas de frio no inverno,

– primaveras amenas, verões quentes

– e a proteção dos ventos.

Tudo isto, conjugado com o saber dos produtores locais, contribui para criar este fruto de excelência.

Para se apresentarem com a marca de “Cereja do Fundão”, na colheita os frutos são avaliados por um conjunto de indicadores, como o calibre, a consistência e a cor. Além de todo o cuidado no manuseamento, de forma a evitar que sofram danos, as cerejas são colhidas no ponto ótimo de maturação e o mais homogéneas possível, com pedúnculos e sem folhas, para que os consumidores desfrutem de frutos doces e suculentos.

Além dos portugueses, também outros mercados reconhecem esta cereja, pois ela é exportada para todo o mundo.

Na próxima página, sugestões e receitas…