Em maio surge a época das cerejas, apetitosas!

 

Com os dias quentes, em maio surge a época das cerejas, para delícia de miúdos e graúdos que adoram este pequeno fruto doce, suculento e carnudo. Irresistível para o paladar, a cereja é também benéfica para o nosso organismo.

Proveniente da cerejeira (cerdeira, no português antigo), árvore de origem asiática, a cereja é um fruto doce, de polpa suculenta. Conforme as variedades, as cerejas podem ser de polpa mais macia ou firme, e o seu tamanho variar.

Nos primeiros dias da época deste fruto, estão prontas para serem consumidas predominantemente as variedades de cereja de polpa mais macia (como a Burlat), pois são as que amadurecem primeiro. Surgem, depois, as de polpa mais firme.

Benefícios

Recuperação muscular – O consumo de cerejas tem vindo a ser associado à melhor capacidade de recuperação muscular após a prática de exercício físico, nomeadamente pelo seu conteúdo em compostos com propriedades antioxidantes, como as antocianinas, a quercetina e alguma vitamina C.

Promove a qualidade do sono – Pela presença de melatonina na sua composição, o consumo de cerejas tem vindo a ser estudado e caracterizado como benéfico na manutenção de um sono regular em indivíduos saudáveis, podendo, inclusive, contribuir para atenuar alguns distúrbios do sono.

Promove a saciedade – O índice glicémico da cereja é baixo, e este pequeno fruto é fonte de fibra, duas características que contribuem para uma entrada gradual do açúcar no sangue, ajudando a prolongar a sensação de saciedade.

Antioxidante e anti-inflamatório – O consumo de cereja tem vindo a revelar capacidades anti-inflamatórias e antioxidantes, o que a torna num coadjuvante no combate à progressão de algumas doenças inflamatórias crónicas e lesões desportivas.

Cereja do Fundão

São muitas as origens de cereja, mas há uma que se destaca no nosso país: a cereja do Fundão, que no passado mês de março de 2019 foi classificada, a nível nacional, como produto de Indicação Geográfica (IG) pela Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, após o pedido apresentado pela Cerfundão.

Em termos gustativos, é das melhores cerejas do mundo, sendo também um dos ex-libris daquela região e motivo de orgulho nacional. Trata-se de uma cereja muito doce e de textura firme, características que advêm das condições edafoclimáticas do Fundão. Esta região possui um microclima muito apropriado para a cultura deste fruto, que tem que ver com a proteção oferecida pelas serras da Estrela e da Gardunha, e também com a qualidade dos solos graníticos, o xisto da encosta, o nível de humidade, um número elevado de horas de frio no inverno, primaveras amenas, verões quentes e a proteção dos ventos. Tudo isto, conjugado com o saber dos produtores locais, contribui para criar este fruto de excelência.

Para se apresentarem com a marca de “Cereja do Fundão”, na colheita os frutos são avaliados por um conjunto de indicadores, como o calibre, a consistência e a cor. Além de todo o cuidado no manuseamento, de forma a evitar que sofram danos, as cerejas são colhidas no ponto ótimo de maturação e o mais homogéneas possível, com pedúnculos e sem folhas, para que os consumidores desfrutem de frutos doces e suculentos.

Além dos portugueses, também outros mercados reconhecem esta cereja, pois ela é exportada para todo o mundo.

Sugestões sobre…

… como escolher – As maiores e mais carnudas são as que têm maior qualidade, pois uma cereja madura é mais pesada face à verde. Na hora de comprar, opte pelas que têm pele limpa, firme, brilhante, sem golpes e manchas. O pedúnculo deve ser verde, fresco e bem preso ao fruto. Evite cerejas moles, pegajosas, engelhadas, rachadas ou podres.

… como conservar – As cerejas podem ser guardadas no frigorífico, sem lavar nem tapar. Pode, no entanto, optar por congelá-las para mais tarde as usar em sobremesas. Nesse caso, lave-as bem em água corrente, seque-as e acondicione-as no congelador, dentro de sacos plásticos.

… como consumir – As cerejas podem ser utilizadas em doces, compotas, tortas, bolos, batidos, gelados, smoothies, cocktails, licores ou podem, simplesmente, ser condumidas ao natural.

[themoneytizer id=”18933-19″]

 

Receita de Bolo gelado de cereja e flor de sabugueiro

Ingredientes…

… para a base

200 g de bolachas integrais ou de aveia

80 g de manteiga derretida

… para o sorvete de cereja

500 g de cerejas descaroçadas

100 g de xarope de flor de sabugueiro

… para o sorvete de pêssego-manga

½ manga

3 pêssegos

30 g de xarope de flor de sabugueiro

… para o sorvete de iogurte

4 iogurtes gregos naturais

120 g de xarope de flor de sabugueiro

1 colher de chá de extrato de baunilha

100 g de compota de cereja

Preparação

Coloque as bolachas e a manteiga derretida num processador e triture até formar uma espécie de areia. Despeje a mistura numa forma de aro com 20 cm, pressione com os dedos e leve ao congelador.

Para o sorvete de cereja, lave e descaroce as cerejas e coloque-as no processador. Junte o xarope e triture até formar um puré. Despeje o puré por cima da mistura de bolachas e leve ao congelador por cerca de 2 horas.

Prepare o sorvete de pêssego-manga: misture a polpa da manga, os pêssegos sem pele e cortados aos bocados juntamente com o xarope de flor de sabugueiro no processador. Despeje por cima do sorvete de cereja e leve novamente ao congelador por cerca de 1 a 2 horas.

Para o sorvete de iogurte, misture os iogurtes com o xarope de flor de sabugueiro e o extrato de baunilha. Depois coloque-o por cima do sorvete de pêssego. Alise a superfície e coloque umas colheres de compota de cereja. Com uma faca faça um efeito tipo swirl. Leve ao congelador no mínimo por 3 a 4 horas.

Retire o aro cuidadosamente e coloque o sorvete num prato de bolo.

Paula Moita | Ervideira

Fonte: Texto (adaptado) Continente Magazine | Imagem de Hans Braxmeier por Pixabay 

A uma cerejeira em flor

Acordar, ser na manhã de abril
a brancura desta cerejeira;
arder das folhas à raiz
dar versos ou florir desta maneira.

Abrir os braços, acolher nos ramos
o vento, a luz, ou o que quer que seja;
sentir o tempo,fibra a fibra,
a tecer o coração de uma cereja.

Eugénio de Andrade | in As mãos e os frutos (1948)

Alguns locais do mundo onde se festeja a cerejeira em flor 1

1.- Vancouver  – Canadá | Vancouver Cherry Blossom Festival
Do final de março ao final de abril
O Jardim Botânico VanDusen abriga 500 árvores plantadas originalmente na década de 1930 pelos presidentes de Kobe e Yokohama. Atualmente, há 40 mil cerejeiras a florescer a cada primavera e um festival que dura semanas.

2.- Curitiba – Brasil | Jardim Botânico
Em julho
Nem o Brasil escapa à festa, onde há espaço para milhares de cerejeiras, celebradas em julho.

3.- Amsterdão – Holanda | Cherry Blossom Festival
Em abril
A cada primavera, este festival atrai pessoas de todo o mundo. Estende-se uma toalha debaixo de uma cerejeira, dá-se início ao piquenique e a festa começa.

4.- Copenhaga – Dinamarca | Festival de Sakura
De 29 a 30 de abril
São mais de 200 as cerejeiras plantadas em Lengelinie Park. Em 2008, um comité organizou o festival de Sakura, que perdura até hoje.

5.- Bona – Alemanha | Altstadt Cherry Festival
De final de abril a início de maio
Há um quarteirão nesta cidade chamado Altstadt, onde as cerejeiras formam um túnel cor-de-rosa na primavera. Bona celebra a chegada destas árvores com um festival ao ar livre

6.- Meghalayda – Índia | Festival das Cerejeiras em Flor da Índia
Do final de outubro ao início de novembro
Ao contrário de todos os outros festivais internacionais em homenagem às cerejeiras em flor, este realiza-se no outono.

7.- Xangai – China | Gucun Park
Em meados de março
As 12 mil cerejeiras de mais de 60 variedades em Gucun Park levam, anualmente, milhares de pessoas a um festival em seu nome. Aqui pode ver-se a maior coleção de cerejeiras em Xangai.

8.- Jinhae – Coreia do Sul | Festival Jinhae Gunhangje
No início de abril
Em Jinhae há uma grande exibição de cerejeiras em flor, celebrada com gastronomia típica à mistura.

1 DN – 18.05.2019

[themoneytizer id=”18933-16″]