O calendário o que é? | História dos calendários

Calendário, o que é?

O calendário é um sistema apresentado sob a forma de livro ou tabela, contendo a divisão cronológica do ano em meses, semanas e dias, podendo indicar também as fases da Lua, festas religiosas e civis.

Este termo provém do latim calendarium, livro de contas onde se registavam as calendas em que os juros deviam ser pagos. [“calandae “, era o primeiro dia do mês romano, em que as contas eram pagas].

Os calendários podem classificar-se em lunares, solares e luni-solares, segundo o fenómeno astrológico que os fundamenta.

Os Babilónios usaram o calendário lunar, enquanto os Egípcios [que terão inventado o calendário em 3.000 a.C.] se regiam pelo calendário solar.

Para estes, o ano tinha 365 dias, repartidos em meses de 30 dias cada, mais cinco dias complementares.

O primeiro calendário romano foi utilizado por Rómulo. O ano tinha 300 dias, divididos em 10 meses.

Numa Pompílio acrescentou dois meses ao ano, mais foi Júlio César (calendário juliano) quem alterou o calendário de acordo com o ano solar.

O ano tinha 365,25 dias, repartidos por 12 meses desiguais. Todos os quatro anos havia um bissexto (366 dias).

A reforma do calendário pelo papa Gregório XIII

O erro acumulado com esta reforma era de 7 dias ao fim de 900 anos. O papa Gregório XIII (1582) reformou o calendário (calendário gregoriano), mudando o dia 5 de Outubro para o dia 15 do mesmo mês.

Este calendário por quase todos os países da Europa entre 1582 e 1587. A URSS adoptou-o 1918 e a Turquia em 1927.

Durante a Revolução Francesa, 22 de Setembro de 1792, a Convenção promulgou o Calendário republicano, que esteve em vigor 15 anos.

Cada mês era composto por 30 dias, divididos em três decanatos. No final do ano eram somados 5 ou 6 dias. Os nomes dos meses referiam-se ao tempo e aos trabalhos campestres.

No calendário muçulmano, os meses seguem o curso da Lua, tendo 29 ou 30 dias. Os anos têm 12 meses, 354 dias comuns e 355 dias abundantes.

É usado pelos Turcos e Árabes. Teve a sua origem no primeiro ano da Hégira (16 de Junho de 622 d. C.).

O calendário judaico é lunar e os meses têm 29 ou 30 dias. O ano é composto por 12 ou 13 meses lunares (embolísmico). No primeiro caso, o ano tem 353, 354 ou 355 dias, no segundo tem 383, 384 ou 385 dias.

O calendário perpétuo é uma tabela que permite encontrar o calendário de qualquer ano e resolver problemas relacionados com a datação.

Fonte: Nova Enciclopédia Portuguesa

Curiosidades…

Em I a.C., o Almanaque Farnésio, gravado em mármore, apresentava os trabalhos agrícolas do ano, e no século XV, o primeiro calendário alemão fazia exactamente o mesmo.

O ano de 2019 corresponde aos anos de:

4363 do dilúvio bíblico;

2057 da era de César;

2019 do nascimento de Jesus Cristo;

1439 da era muçulmana;

142 da invenção do telefone;

122 da aviação;

121 da invenção da telefonia sem fios;

84 da televisão;

75 da era atómica;

62 do lançamento do primeiro satélite;

58 do lançamento dos primeiros astronautas;

50 dos primeiros homens a pisar o solo lunar.