O culto ao Espírito Santo |Textos e opiniões

 

Cortejo nos Açores

O culto ao Espírito Santo possui raízes profundas na tradição portuguesa, manifestando-se com uma certa intensidade nomeadamente entre as gentes açorianas que, não apenas conservam tal costume como levam consigo sempre que emigram para outras paragens, como sucede entre as comunidades radicadas no Brasil, Canadá e Estados Unidos da América.

É ainda no âmbito dos festejos em honra do Espírito Santo que se insere o chamado “bodo aos pobres“, dando lugar a uma série de costumes taurinos como a largada do animal que há-de ser abatido para posteriormente ser comido pelo povo, a “pega de caras“, a capeia raiana tão característica no concelho de Sabugal e o abate tal como se faz lá localidade alentejana de Barrancos, sendo este um costume genuinamente português que só o desaparecimento das tradições o fez esquecer nalgumas localidades.

Uma das localidades em que o culto ao Espírito Santo assume particular grandeza pelo seu colorido e profunda religiosidade é no concelho de Tomar, em plenas margens do rio Nabão. Conhecida como a “Festa dos Tabuleiros“, esta tradição multissecular regressa sempre com maior pujança e beleza de quatro em quatro anos naquela que é designada como a cidade dos Templários por ali ter sido construído o Convento de Cristo.

No domingo de Páscoa realiza-se a primeira saída das coroas, efectuando o percurso que depois realizará o cortejo. No início de Julho tem lugar o cortejo dos rapazes e, finalmente, uma semana depois tem lugar o cortejo dos tabuleiros.

Cada tabuleiro é constituído por trinta pães enfiados em canas que partem de um cesto de vime ou verga e é encimado por uma coroa do Espírito Santo e a respectiva pomba ou a cruz de Cristo. Os tabuleiros são transportados por raparigas que se apresentam vestidas de branco com fitas de cores vivas à cintura ou a tiracolo. Estes festejos tradicionais tornaram-se um dos grandes cartazes turísticos desta região, atraindo sempre muitos milhares de forasteiros.

O culto ao Espírito Santo possui uma profunda significação mística inserindo-se num antiquíssimo conceito trínio, segundo o qual Deus apresenta-Se sob a forma de Pai, Filho e Espírito Santo numa só entidade divina.

É ainda este culto que se encontra na origem da construção nas ilhas açorianas dos magníficos triatros que são pequenos edifícios em cuja ornamentação evocam o culto do Espírito Santo, nomeadamente através do número de janelas e ainda dos símbolos que ostentam.

Fonte da imagem no texto

Carlos Gomes, Jornalista, Licenciado em História | Imagem em destaque de Holger Schué por Pixabay  | Fonte da imagem no texto