Reis e Rainhas de Portugal – síntese da 1ª dinastia

1ª dinastia – Afonsina ou Borgonha de Portugal

“O povo português usa ainda hoje a expressão tempo dos afonsinos para aludir a tempos muito antigos, eras que mal assomam no horizonte da História.

É uma expressão aprendida na escola primária na qual, até não há muito, o estudo da História pátria se fazia seguindo a ordem dos reinados, e agrupando estes por dinastias.

Ora a primeira dinastia chamava-se afonsina por ser formada por D. Afonso Henriques (1143-1185) e pelos seus directos descendentes:

– D. Sancho I (1185-1211),

– D. Afonso II (1211-1223),

– D. Sancho II (1223-1245),

– D. Afonso III (1248-1279),

– D. Dinis (1279-1325),

– D. Afonso IV (1325-1357),

– D. Pedro I (1357-1367) e

– D. Fernando (1367-1383).

O período abrangido por estes nove reinados não corresponde a uma época com qualquer unidade histórica.

Há que distinguir, pelo menos, duas fases muito diferentes, separadas entre si por uma revolução:

– a fase da conquista do território e organização da monarquia, que começa com o primeiro rei e vai até à deposição de D. Sancho II,

– e a fase do desenvolvimento comercial e da expansão económica que se inicia com o reinado de D. Afonso II e termina, também revolucionariamente, em 1383.” 1

Assim, a primeira dinastia real em Portugal é a Dinastia Afonsina ou Borgonha de Portugal, pois provém da Casa Ducal da Borgonha por via de D. Henrique de Borgonha, primeiro Conde de Portugal.

Seu filho, D. Afonso Henriques, que ficou conhecido com o cognome O Conquistador, foi o primeiro Rei de Portugal.

Pode considerar-se que esta dinastia teve início em 1096, sendo Portugal ainda um condado, e terminou em 1383, com nove reis que se sucederam em linha familiar.