São Martinho, castanhas e vinho | Tradições

São Martinho, castanhas e vinho

A lenda do milagre de São Martinho, santo padroeiro dos agricultores e produtores de vinho, é muito antiga.

Conta-nos que, num dia de chuva e frio, este oficial romano se apiedou de um mendigo faminto e desnudado. Martinho cortou em dois o seu manto militar e o seu pão e partilhou o conforto com o pobre.

A partir daqui, as lendas multiplicam-se.

Uma versão refere que, naqueles tempos, o traje militar era intocável e imaculado. Para quem o corrompesse propositadamente estava guardada a desonra e a punição em praça pública. Devido aos dias tempestuosos e gélidos que se viviam, os superiores de Martinho decidiram atá-lo a um poste ao ar livre, totalmente nu.

E é aqui que surge o milagre. A partir do momento em que o militar (e futuro bispo) é sujeito ao castigo, os céus esqueceram toda a cor cinzentona e o calor soalheiro permaneceu durante todo o período punitivo. Daí se apelidar “verão de São Martinho” ao tempo quente em pleno outono, com aroma de castanhas assadas e sabores de vinho novo.

Pelo São Martinho vai à adega e prova o teu vinho” é um dos muitos provérbios que cruzam gerações.

Outro faz boa recomendação aos produtores: “Pelo São Martinho abatoca o pipinho“.

A Rede Europeia das Cidades do Vinho instituiu o Dia Europeu do Enoturismo, que se realiza no segundo domingo de novembro, celebrando o São Martinho. As adegas portuguesas abrem as portas à sua visita e à descoberta ou ao aprofundamento da cultura e dos sabores únicos do vinho.

Aníbal José Coutinho (Continente Magazine)

Alguns provérbios populares ou adágios sobre o São Martinho:

» No dia de S. Martinho vai à adega e prova o teu vinho.

» Mais vale um castanheiro do que um saco com dinheiro.

» Dia de S. Martinho fura o teu pipinho.

Saber mais provérbios…

Imagem de Antonio Cansino