A seca do bacalhau em Viana do Castelo

 

A imagem mostra a antiga seca do bacalhau em Darque, vendo-se ao fundo a igreja e o monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

Em regra, a secagem do bacalhau situava em local próximo às salinas, nas fozes dos rios, quase sempre na margem esquerda dos mesmos. Isto deve-se a um fenómeno geológico relacionado com a hidrografia que determina nomeadamente a formação dos sapais e cabedelos nesta zona. De resto, a localidade de Darque, que deve o seu nome a uma vila romana que ali existiu, pertencente a um senhor chamado Arquius, foi em tempos um lugar da paróquia de Santa Maria das Areias.

Junto ao Cais Novo, fundada em 1774, a fábrica de Louça de Viana do Castelo e ainda no século XX aqui existiu a Seca do Bacalhau. As mais antigas referências às salinas de Darque datam de 1085, daqui partindo embarcações rio acima, chegando a carregar até quinze toneladas e atracando em todos os ancoradouros da margem esquerda do rio Lima, muitos deles votados ao esquecimento, aliás à semelhança do que se verifica com as salinas.

Aspeto curioso a registar, desconhece-se até ao momento a existência de qualquer representação etnográfica das tradições dos marnotos por parte dos grupos folclóricos da região de Viana do Castelo.

Poderá também gostar de ler sobre
Romaria de Nª Sª da Agonia – Viana do Castelo
A comemoração do Dia da Árvore e da Floresta
Rota dos Moinhos de Água
Caminhos de Santiago no Alto Minho

A secagem tradicional do bacalhau constitui um processo natural cuja prática encontra-se relacionada com a necessidade de conservação dos alimentos durante as descobertas quinhentistas, razão pela qual o consumo de bacalhau seco constitui um hábito alimentar exclusivo dos portugueses. Não obstante, parecendo revelar que não possui outras preocupações mais relevantes, a União Europeia pretende impor-nos o uso de polifosfatos e outros agentes químicos no bacalhau em detrimento do método tradicional de secagem, constituindo uma clara medida que virá prejudicar a saúde e aumentar os preços deste bem alimentar que ocupa um lugar de destaque na nossa alimentação.

Carlos Gomes, Jornalista, Licenciado em História

[themoneytizer id=”18933-16″]

Seca do Bacalhau 1

Pertencente à Empresa de Pesca de Viana, a antiga e bem conhecida Seca do Bacalhau de Darque – Viana do Castelo, que se destinava a receber o fiel amigo proveniente das capturas dos navios vindos dos mares da Terra Nova e Gronelândia, foi construída no ano de 1914.

O bacalhau da seca de Viana tinha fama em todo o país, graças, entre outras coisas, à sua secagem natural (em estendais de arame onde se dispunham as folhas de bacalhau a secar ao sol).

Está desativada há décadas.

1 Fonte do texto e imagem

[themoneytizer id=”18933-16″]