Seis Concertos de Jazz em Valença – Alto Minho

Ciclo Jazz de Valença

Entre os meses de março e maio de 2020, Valença oferece um ciclo de jazz, com seis concertos gratuitos.

Desde os clássicos americanos às novas tendências do jazz, esta é uma oportunidade para ouvir, ao vivo, algumas das referências nacionais.

Este Sábado Atua Miguel Ângelo Utopia

O ciclo abre sábado, 7 de março, às 21h30, no auditório CILV com a atuação de M A U – Miguel Ângelo Utopia (Miguel Ângelo, Miguel Moreira, Mário Costa).

MAU é o novo projeto liderado pelo contrabaixista Miguel Ângelo, e UTOPIA é o título do disco de estreia deste trio.

The Dark Jungle – 21 de março

O segundo concerto estará a cargo dos The Dark Jungle, projeto liderado por Rogério Francisco com temas originais do quarteto. O concerto decorrerá na Quinta do Caminho, em Cerdal, às 21h30.

Kasual Quartet – 3 de Abril

O auditório do CILV acolhe, a 3 de abril, um concerto do quarteto Kasual Quartet que encantará seguramente os amantes do jazz.

Naiad Splash – 18 de abril

A Quinta do Caminho acolhe o concerto Naiad Splash, às 21h30. Esta é uma estreia absoluta do projeto liderado por Nuno Trocado.

Fuzzo – 2 de maio

A proposta do concerto de 2 de maio, é Fuzzo no auditório do CILV. Fuzzo é uma formação que reúne a três das grandes figuras do jazz galego: Virxilio Da Silva, Xan Campos e Chus Pazos.

Filipe Teixeira Trio – TAO – 16 de maio

O Ciclo de Jazz de Valença encerra com o concerto de Filipe Teixeira Trio – TAO, na Quinta do Caminho, às 21h30

Seis noites, seis concertos, um ciclo de jazz que vai já na sua terceira edição numa organização do Município de Valença e da Quinta do Caminho.

Programa do Ciclo de Jazz em Valença - 2020

Sobre o Jazz

O Jazz é um estilo musical criado pelos negros americanos em Nova Orleães no princípio de século XX. Tem raízes em canções folclóricas negras, Espirituais, Blues e Ragtime.

Evoluiu por meio das grandes orquestras de jazz da era do Swing dos anos 30, dirigidas por músicos como Duke Ellington, Count Basie, Cab Calloway e Benny Goodman. Através do BEBOP jazz experimental dos anos 40 e desenvolvido por músicos como Dizzy Gillespie e Charlie Parker, até ao movimento mais ligeiro do cool jazz lançado por Miles Davis em finais dos anos 40. Fonte: Dicionário Ilustrado do Conhecimento Essencial