O que é a Semana Santa para os Cristãos!

Sábado Santo

O Sábado Santo é um dia absolutamente especial dentro do Ano Litúrgico.

As igrejas e os altares despojam‑se dos seus ornamentos habituais, e o sacrário fica vazio. Não há nenhuma celebração, além da Liturgia das Horas. A comunhão só se pode administrar na forma de Viático. É uma jornada de meditação, de deserto e de silêncio.

Depois da morte e da sepultura do Senhor, as mulheres que O tinham acompanhado desde a Galileia voltaram para as suas casas.

Nas horas que precederam o sábado, tinham preparado aromas e perfumes com a intenção de ir embalsamar o Seu corpo, logo que terminasse o repouso sabático, que cumpriram rigorosamente (Lc 23,55‑56).

Por seu lado, os Apóstolos e um pequeno grupo de discípulos encerraram‑se numa casa «com medo dos judeus» (Jo 20,19).

Os evangelistas não dizem nada dos seus pensamentos e sentimentos, mas tudo parece indicar que, sobre uns e outros, se tinha abatido um silêncio de morte. O silêncio que hoje, Sábado Santo, envolve a comunidade dos cristãos é diferente.

A Liturgia da Sexta‑Feira é já celebração pascal; é evidente na adoração da Cruz.

Encontro marcado

Antes de abandonar a igreja, os fiéis marcam encontro para o dia seguinte à noite, para outra celebração: a da ressurreição de Cristo, que se proclamará, com alegria transbordante, na Vigília Pascal.

No silêncio do Sábado Santo, a Igreja medita no mistério da Paixão de Cristo, morto pela salvação de todos os homens, murmurando já no íntimo do coração do Aleluia que logo ecoará.

O Sábado Santo continua no mundo e ecoa entre a Sua morte e a Sua ressurreição, mas os que estão encerrados no fundo e não podem dormir ouvem que lá mais abaixo se abrem diante de Cristo as portas do abismo.(J.‑P.Lemaire, L’exode et la nuée, Gallimard, Paris 1982, p. 61)

Na página seguinte: Vigília Pascal