Tripeiros são os naturais ou habitantes do Porto

Tripeiros

No ano de 1415, construíam-se nas margens do Douro as naus e os barcos destinados à conquista de Ceuta. A razão deste empreendimento era secreta e nos estaleiros os boatos eram variados.

Um dia, o Infante D. Henrique apareceu inesperadamente no Porto para ver o andamento dos trabalhos e, embora satisfeito com o esforço despendido, achou que se poderia fazer ainda mais.

Então, o Infante confidenciou ao mestre Vaz, o fiel encarregado da construção, as verdadeiras razões do empreendimento. Pediu ao mestre e aos seus homens mais empenho e sacrifícios.

Mestre Vaz assegurou ao Infante que iriam fazer o mesmo que tinham feito cerca de trinta anos atrás aquando da guerra com Castela. Dariam toda a carne da cidade para abastecer os barcos e comeriam apenas as tripas.

Comovido, o infante D. Henrique disse-lhe que esse nome de “tripeiros” – alcunha que lhes tinha sido dada há trinta anos – era uma verdadeira honra para o povo do Porto.

Fonte: Lenda dos Tripeiros. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2008

O prato tradicional da cidade ainda é, hoje em dia, as “tripas à moda do Porto“. Imagem

Uma receita

Ingredientes (4 pessoas)

400 g de feijão manteiga demolhado

500 g de dobrada de vitela (sola e folhada)

1 chispe de porco

1/2 de uma mão de vitela

200 g de presunto gordo

200 g de salpicão do Douro

1/2 de uma galinha gorda

1 chouriça de carne

2 folhas de louro

1 cenoura média

3 dentes de alho

1 dl de azeite

200 g de cebola

sal e pimenta q.b.

1 colher de sopa de banha de porco

1 colher de chá rasa de colorau

2 cabeças de cravinho-da-índia

1 colher de sobremesa rasa de cominhos em pó